Meu Perfil
BRASIL, Homem, de 56 a 65 anos, Portuguese, English, Livros, Cinema e vídeo, Viagens



Histórico


    Categorias
    Todas as mensagens
     Link
     CRÔNICA
     NOTÍCIAS
     CULTURA
     REPORTAGEM
     ENTREVISTA


    Votação
     Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
     UOL - O melhor conteúdo
     BOL - E-mail grátis


     
    Arco-íris


     
     

    EUA:

    Governador da Califórnia proíbe terapias de “cura” da homossexualidade

    Para o democrata Jerry Brown, as chamadas “terapias de conversão” agora podem ser “jogadas na lata do lixo dos farsantes”

     

    A Califórnia tornou-se nesta sábado (29/09) o primeiro estados dos EUA a proibir tanto a publicidade quanto a prática de terapias contra a homossexualidade em crianças e adolescentes. A lei formulada pelo senador estadual Ted Lieu proíbe que quaisquer especialistas em saúde mental “assumam o compromisso de alterar orientações sexuais”.

    Em um comunicado endereçado ao jornal The San Francisco Chronicle, o governador da Califórnia, Jerry Brown, alegou que “essa lei proíbe terapias sem base científica que têm levado jovens à depressão e ao suicídio”. Na visão do democrata, “essas práticas não possuem fundamentação na medicina e agora devem ser jogadas na lata do lixo dos farsantes”.

    WikiCommons

     

    Terapias que prometem uma cura para a homossexualidade tem sido denunciadas pela maior parte dos psiquiatras norte-americanos. No entender da Associação de Psiquiatria dos EUA, a chamada "terapia de conversão" é antiética.

    No início deste ano, Alan Chambers, membro de um dos principais grupos do movimento “ex-gay”  denunciou a teoria de que a orientação sexual de uma pessoas poderia ser modificada por meio de terapia. Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, ele ressaltou que “não há cura para a homossexualidade”.

    A decisão do governo da Califórnia foi recebida positivamente por defensores dos direitos da comunidade LGBT. Kate Kendell, diretora executiva do Centro Nacional para os Direitos das Lésbicas disse em nota que “o governador Brown enviou uma mensagem poderosa e afirmativa de apoio à juventude LGBT e às suas famílias”. Para a ativista, “essa lei vai assegurar que terapeutas licensiados pelo estado não abusem mais de seus poderes para prejudicar a juventude da comunidade LGBT e propagar a perigosa e fatal mentira de que a orientação sexual é uma doença ou uma síndrome que pode ser curada”.

    Fonte: Opera Mundi



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h59
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Claudia Ohana e Vanessa Giácomo levam prêmio de melhor atriz em festival LGBT

    Da EFE 

    Claudia Ohana e Vanessa Giácomo em cena de 'A Novela das 8', longa de Odilon Rocha (Foto: Divulgação)Claudia Ohana e Vanessa Giácomo em cena de 'A Novela das 8', longa de Odilon Rocha (Foto: Divulgação)
    O festival de cinema LGBT "Queer Lisboa" premiou neste sábado o filme "A Novela das 8" com o prêmio de melhor atriz feminina, entregue de forma conjunta às atrizes Claudia Ohana e Vanessa Giácomo.

    Segundo o júri do festival, que reunia filmes da Espanha, Chile, Uruguai e Cuba nesta categoria, as atrizes agraciadas representam forças opostas em um filme centrado na telenovela, "a alma de uma expressão da cultura popular do Brasil".

    O filme, dirigido por Odilon Rocha, é ambientado no contexto da ditadura militar anos 70, quando as discotecas ganhavam espaço na novela "Dancin Days".

    Além do prêmio no "Queer Lisboa", o longa "A Novela das 8" também levou o prêmio de melhor roteiro no Festival de Cinema do Rio de Janeiro 2011 e de melhor filme no Festival de Cinema LGBT de Turim 2012.

    O prêmio de melhor filme da 16ª edição do "Queer Lisboa" foi para o filme americano "Keep the Lights On", de Ira Sachs. No prêmio de melhor ator, o festival, também de maneira conjunta, elegeu Thure Lindhart ("Keep the Lights On") e Deon Lotz, protagonista da produção sul-africana "Beauty", de Oliver Hermanus.

    O festival "Queer Lisboa" apresentou sete filmes brasileiros em suas categorias.

    O brasileiro João Federici, comissário e diretor artístico do Festival Mix Brasil da Cultura da Diversidade, foi um dos membros do júri internacional do festival.

    Em entrevista à Agência Efe, Federici declarou que os festivais de temática LGTB serão necessários enquanto existirem agressões e discursos homofóbicos e "confusão" com tratamentos estereotipados.
    Fonte: Gay1



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 22h56
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Jean Wyllys não vê surpresa em governo tucano apoiar casamento igualitário

    A cerimônia coletiva gratuita que oficializou a união estável de 47 casais do mesmo sexo em São Paulo, na noite de sexta-feira (28), foi organizada pelo governo do Estado de São Paulo, ou seja, por um governo do PSDB. No entanto, o único deputado federal que participou do evento foi Jean Wyllys, do PSOL fluminense.

    Casal se beija após casamento coletivo e gratuito no Centro de Tradições Nordestinas localizada, nesta sexta-feira, em São Paulo (Foto: AE)Casal se beija após casamento coletivo e gratuito no Centro de Tradições Nordestinas localizada, nesta sexta-feira, em São Paulo (Foto: AE)
    Estranho? Não para o parlamentar, único defensor da causa LGBT no Congresso. Para Wyllys, não há nenhuma surpresa em ver tucanos apoiando o casamento igualitário.

    "Não acho que seja surpreendente que um governo tucano esteja por trás desta cerimônia. O PSDB nunca fechou as portas para a defesa das liberdades individuais", afirmou.

    Segundo o deputado, apesar de ser uma vitória ver tantos casais oficializando a união estável, a luta ainda é longa para LGBTs.

    "A batalha pelo casamento gay ainda não está ganha", disse o parlamentar, autor de uma proposta de emenda constitucional (PEC) que mudaria o artigo 226º da Constituição para que o casamento homoafetivo seja assegurado pela lei.

    Wyllys conta que a resistência na Câmara é grande, já que os deputados não querem ser vinculados à causa LGBT.

    "Tem muito deputado que acha que os gays querem se casar na igreja. A cerimônia de hoje dissocia o casamento civil do religioso. Nossa luta é pelo casamento civil e para termos assegurados 126 direitos que nos são negados", disse.

    Para Wyllys, é ainda mais emblemático que a cerimônia tenha sido organizada em um centro nordestino. "Os nordestinos em São Paulo são discriminados e estigmatizados como os gays", afirmou.



    Fonte: Gay1



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h54
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    FRANÇA:

    Projeto de lei quer banir termos ‘pai’ e ‘mãe’ de documentos na França

    Governo deve apresentar lei que autoriza as uniões igualitárias no dia 28 de outubro.

    Do Gay1 Mundo

    Ministra da Justiça Christiane Taubira defendeu a medida (Foto: getty Imagens)Ministra da Justiça Christiane Taubira defendeu a medida (Foto: getty Imagens)
    Diante da promessa do presidente François Hollande de legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, um novo projeto de lei quer banir as palavras mãe e pai de todos os documentos oficiais. A proposta, que deixou setores católicos do país indignados, visa a substituição das duas palavras por “pais”, termo que seria usado em cerimônias de casamento para casais heterossexuais e homossexuais. O governo francês deve apresentar o projeto de lei que autoriza as uniões igualitárias no dia 28 de outubro.

    Segundo a nova regra, “o casamento é uma união de duas pessoas, de sexos diferentes ou do mesmo sexo”. A lei também daria direitos de adoção iguais para casais do mesmo sexo. De acordo com uma sondagem realizada pelo instituto Ifop e citada pela agência AFP, 65% dos franceses são favoráveis ao casamento entre pessoas do mesmo sexo.

    A ministra da Justiça Christiane Taubira defendeu a medida e disse ao jornal católico “La Croix” que não é possível afirmar que “um casal heterossexual dará melhores condições de vida a uma criança do que um casal homossexual”.

    "O que é certo é que o interesse da criança é a maior preocupação do governo" afirmou.

    Na semana passada, o arcebispo de Lyon na França, Philippe Barbarin, disse que o casamento entre pessoas do mesmo sexo pode levar a "uma ruptura social" que abre portas para a poligamia e o incesto, durante um debate sobre a legalização das uniões entre pessoas do mesmo sexo.

    Dias antes, no feriado da Assunção da Virgem Maria, os clérigos do país foram convocados a ler um “sermão universal” repassado pelo cardeal André Vingt-Trois, presidente da Conferência dos Bispos da França, que condena a união igualitária e a adoção por casais do mesmo sexo. A mensagem pregava que crianças e jovens “deixem de ser objetos dos desejos e conflitos dos adultos para se beneficiar plenamente do amor de um pai e de uma mãe”.
    Fonte: Gay1



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 15h10
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Casamento coletivo reúne dezenas de casais gays em São Paulo

    Ao todo, 47 relacionamentos estáveis foram oficializados em evento. 'Quando o amor aparece, não tem palavras para explicar', disse noiva.

    Kathrein e PriscilaEm uma cerimônia gratuita coletiva, 47 casais homossexuais oficializaram na noite desta sexta-feira (28) os seus relacionamentos estáveis perante a Justiça. Desta forma, os casais, sendo 32 de mulheres e 15 de homens, passam a ter direitos e benefícios garantidos por lei.

    O evento, patrocinado pelo governo de São Paulo, por meio da Secretaria da Justiça, foi realizado no Centro de Tradições Nordestinas (CTN), na Zona Norte da capital. Além dos casais, centenas de pessoas, entre padrinhos e convidados, participaram da cerimônia.

    Priscila Pires da Silva, representante comercial de 24 anos, e a companheira dela, Kathrein Marrichi Martin, de 31 anos, foram as primeiras a ser chamadas no palco do CTN para assinar os papéis e, assim, oficializar a relação de dois anos que mantinham.

    Ambas se descobriram homossexuais depois que se conheceram. Antes, as duas só tiveram relações heterossexuais. “Já fui casada e tenho um filho de 9 anos deste relacionamento. Ele sabe do meu relacionamento com ela. Desde pequena, sempre soube que eu era homossexual, mas a gente mesmo não aceita. Quando o amor aparece, não tem palavras para explicar. Estou muito feliz agora, que é o que importa”, disse Priscila.

    Américo e Jorge EduardoA parceira dela, por sua vez, afirmou que só teve “curiosidade” em relação a meninas do mesmo sexo. “Mas nunca pensei que aconteceria. Decidi viver esse amor”, declarou, revelando que antes só teve relações heterossexuais.

    O segundo casal, de gays, a assinar os papéis foi o decorador de interiores Américo Nunes Neto, de 51 anos, e o aposentado chileno Jorge Eduardo Reyes Rodriguez, de 62 anos. Eles vivem juntos há 24 anos. “Não é só por assinar os papéis. Muda, sim, pois é uma oportunidade de renovarmos nossos votos de união, de amor e companheirismo. É uma emoção muito grande compartilhar este momento com outros casais”, disse Américo.

    O deputado federal Jean Wyllys destacou a importância “do reconhecimento público das relações estáveis” dos casais que participaram do evento. “É uma cerimônia que dissocia o casamento civil do religioso. Os deputados com quem convivo dizem que os gays estão lutando por casamento religioso. A luta é por casamento civil, para termos nossos direitos garantidos. Por isso é importante que tenha sido realizado neste momento de eleições.”

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 13h16
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Depois de Barcelona, Berlim e Buenos Aires, rede gay Axel anuncia seu quarto hotel; saiba aonde

     

    Depois de Barcelona, Berlim e Buenos Aires, rede gay Axel anuncia seu quarto hotel; saiba aonde

    A rede Axel, que se define como heterofriendly, se prepara para abrir seu quarto hotel. Detentora de estabelecimentos em Barcelona, Berlim e Buenos Aires, a rede inaugura o seu primeiro hotel do segmento "sol e praia" em Maspalomas, na ilha de Gran Canaria, na Espanha.

    O balneario é a maior cidade turística das Ilhas Canárias e um conhecido destino gay espanhol.

    O hotel, batizado de Beach Maspalomas - Apartments & Lounge Club, ocupará o espaço de um empreedimento hoteleiro já existente no local, que será remodelado para se adaptar ao estilo da rede.

    Ao todo serão 92 quartos divididos em quatro andares. Localizado a 1,5 km do mar, o hotel vai contar com piscina ao ar livre, academia, spa e um Sky Bar. A previsão de inauguração é para maio de 2013.

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 18h00
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Casal gay processa grupo homofóbico por usar foto de seu noivado

     

    Casal gay processa grupo homofóbico por usar foto de seu noivado

    Por essa, os homofóbicos não esperavam. O grupo Public Advocate of the United States, que é contra o casamento gay e fornece suporte a políticos com a mesma ideologia, foi processado na quarta-feira (26) por usar indevidamente a imagem de um casal gay em uma campanha (foto).

    Tom Privitere e Brian Edwards, que são casados e moram em Nova Jersey, posaram para sua foto de noivado em 2010, em frente à Ponte do Brooklyn - e depois se uniram em uma cerimônia civil em Connecticut.

    Este ano, porém, suas imagens foram recortadas e inseridas em um novo fundo, com uma mensagem contra o casamento gay pela Public Advocate - e utilizada durante a campanha republicana ao congresso do estado do Colorado.

    Agora, o casal gay e sua fotógrafa, Kristina Hill, estão processando a entidade homofóbica por utilizar uma imagem que tem copyright sem autorização. "Queremos tomar de volta o lindo momento em nossas vidas que estava refletido em nossa foto de noivado antes de ter sido roubado", disse Brian Edwards, de 32 anos, à NBC News.

    Bem feito, né?

    Veja a foto original abaixo.

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 17h10
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Livro adulto de JK Rowling, a autora de Harry Potter, traz personagem lésbica

     

    Livro adulto de JK Rowling, a autora de Harry Potter, traz personagem lésbica

    JK Rowling, autora do fenômeno Harry Potter, que chegou a vender 450 milhões de cópias ao longo de toda a saga, resolveu investir em livros adultos.

    Nessa última quinta (27) ela lançou "The Casual Vacancy", seu primeiro livro voltado para os mais crescidinhos (não que Harry Potter também não fosse).

    A história se passa na cidade fictícia de Pagford e tem início com a morte inesperada de um vereador do pequeno município, chamado Barry Fairweather.

    Entre as tramas da obra está o caso de uma mãe que fica chocada quando sua filha se assume lésbica. A autora aborda outros temas polêmicos, como racismo, política e abuso sexual.

    A editora Nova Fronteira já anunciou a versão em português do livro, que será lançado na primeira semana de dezembro. 

    Fonte: UOL/Dykerama



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 16h12
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    ONU:

    François Hollande anuncia que irá lutar pela descriminalização universal da homossexualidade


    O Presidente da França, François Hollande, confirmou nesta terça-feira, em seu discurso na Assembleia Geral da ONU, a intenção da França de continuar lutando pela descriminalização universal da homossexualidade. 

    Hollande foi um dos promotores da declaração histórica em favor da descriminalização universal da homossexualidade na Assembleia Geral das Nações Unidas, em dezembro de 2008, antes mesmo desta não passar de uma simples recomendação. "Instamos os Estados a tomar todas as medidas necessárias, legislativas ou administrativas, para garantir que a orientação sexual ou identidade de gênero não possa ser, sob qualquer circunstância, a base para uma ação penal, em especial as execuções, prisões ou detenções ". Declarou Hollande.

    Lembrando que, os países de maioria muçulmana, os EUA, a Rússia ou a China não queriam, na época, assinar o documento. Muito menos a representação permanente da Santa Sé nas Nações Unidas, que inclusive, liderou o movimento contra a medida. Os EUA mudou de orientação após a posse do presidente Barack Obama.

    Ativistas LGBTs agora tentam obter que a ONU adote um caráter mais vinculativo, e parece que a França lidera esse esforço. "A França quer ser exemplar, não para ensinar, mas porque é a história dela, é sua mensagem. Exemplar para as liberdades fundamentais: é a sua luta, é também sua honra. E a razão é que a França vai continuar a travar essas batalhas: a abolição da pena de morte, o direito das mulheres à igualdade e dignidade, pela descriminalização universal da homossexualidade, o que não pode ser reconhecido como um crime, mas sim como um reconhecimento de orientação ", disse Hollande em seu discurso.

    É impressionante a mudança de ares na França após a eleição de Hollande. Se antes, no Governo de Nicolas Sarkozy, o país se mostrava conservador e contrário aos direitos dos cidadãos LGBTs, agora se mostra totalmente aberto e inclusivo.

    Um viva para Hollande! E que essa mudança de ares contamine outros países, como a Itália, por exemplo. 
    Fonte: Nossos Tons



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 10h14
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Jornal é condenado por demitir cartunista soropositivoJornal é condenado por demitir cartunista soropositivo

     A Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho anulou a dispensa de um ilustrador da S. A. O Estado de S. Paulo e condenou a empresa a pagar indenização por dano moral no valor de R$ 35 mil. A dispensa foi considerada discriminatória, pelo fato de o cartunista ser portador do vírus HIV. O dano moral diz respeito às brincadeiras ofensivas que ele afirmou ter sofrido devido a sua orientação sexual.

    O cartunista trabalhou para o jornal entre 1995 e 2003. Em 1997, recebeu diagnóstico de portador do HIV e comunicou o fato à empresa. "Após este evento, passou a ser regularmente malvisto por seus superiores, circunstância que lhe causou um grave quadro de estresse e depressão", afirmou seu advogado na inicial da reclamação trabalhista. "O superior hierárquico lhe impunha obrigações acima de sua capacidade, apontava erros que não existiam e o desqualificava tecnicamente perante os demais colegas".

    Afirmou também que era constrangido pela chefia, "por meio de chacotas e zombarias em razão de sua opção sexual, que, na realidade, de forma alguma fora alardeada pelo próprio autor dentro do ambiente empresarial". O desgaste causado por essa situação, segundo sua defesa, foi a causa de um infarto sofrido pelo cartunista em 2001, durante o trabalho.

    Ao retornar, depois de uma angioplastia, "a chefia permaneceu hostil e intolerante" com seu estado de saúde até demiti-lo, dois anos depois. Após a dispensa, ainda conforme a inicial, seu quadro depressivo se agravou, obrigando-o a iniciar tratamento psiquiátrico com medicamentos. Além da reintegração por dispensa discriminatória, a reclamação trabalhista pleiteava indenização por dano moral pelos constrangimentos aos quais foi exposto.

    O Estado de S. Paulo contestou a versão do cartunista alegando a inexistência de legislação que garantisse estabilidade a portadores de HIV. Para o jornal, a dispensa não teve qualquer relação com o fato de o empregado ser soropositivo, e sim com atos de insubordinação e desídia devido a constantes atrasos e a problemas de relacionamento com a chefia.

    O pedido de reintegração foi indeferido pela 14ª Vara do Trabalho de São Paulo. A sentença considerou não haver prova da discriminação, e afirmou que "a alegada insatisfação da chefia com as ausências do empregado para tomar medicamentos e seu estado depressivo se inserem no poder diretivo do empregador, não configurando prática discriminatória". Também por ausência de comprovação, indeferiu o pedido de indenização por dano moral. O entendimento foi mantido pelo TRT-SP.

    Abuso de direito

    O ministro Walmir Oliveira da Costa, relator do recurso de revista, fundamentou seu voto a favor das pretensões do cartunista no artigo 1º, incisos III e IV, da Constituição da República, na Lei 9.029/1995 e na Convenção nº 111 da Organização Internacional do Trabalho, que vedam práticas discriminatórias para efeitos admissionais e de manutenção da relação jurídica de trabalho. "Em consonância com tal regramento, a jurisprudência do TST é firme no sentido de que, ciente de que o empregado é portador do vírus HIV, presume-se discriminatório e arbitrário o exercício do direito de dispensa pelo empregador, salvo na hipótese de resolução motivada do contrato de trabalho [justa causa]", afirmou. Este entendimento foi objeto de nova súmula do TST, que garante ao empregado portador de doença grave que gere estigma ou preconceito, o direito à reintegração.

    A Primeira Turma seguiu o entendimento do relator no sentido de que, estando evidenciado que o empregador abusou do seu direito de despedir o empregado acometido de doença grave, "anula-se o ato e determina-se a reintegração". A medida, além de permitir que o trabalhador mantenha "condições dignas de sobrevivência pessoal e familiar", também "desestimula a despedida motivada apenas pelo preconceito, e não por motivo disciplinar, técnico, econômico ou financeiro".

    Fonte: TST



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h36
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Projeto Com Fusão realiza domingo de manifestações culturais LGBT

    Cultura LGBT é tema do projeto Com Fusão em SP

    Com apoio da Associação Cultural Casa das Caldeiras (ACCC) e da Secretaria do Estado de Cultura, o projeto "Com Fusão" promove no próximo domingo, 30 de setembro, na cidade de São Paulo, um evento em homangem à cultura LGBT.

    A proposta é abordar a contribuição cultural da diversidade sexual por meio de filmes, documentários, peças teatrais, exposições e música num espaço de fusão criativa. 

    Com entrada franca, o evento deve rolar das 16h às 20h, no Espaço de Dinâmicas Artísticas e Culturais da ACCC, localizado na Avenida Francisco Matarazzo - 2000 - Água Branca.  

    Confira a programação completa:

    Música 
    Apresentação musical: Denise Mello.
    Discotecagem: DJ Kblo, DJ Pomba.  
    Shows com Esquadrão das Drags: Dindry Buck, Sissi Girl, Send Buck e Nyna Cash
     
    Exibição de curtas-metragem
    "Na sua Companhia" (Marcelo Caetano)
    "Truque" (Edson Costa)
     
    Artes Plásticas, Dança e Teatro
    Exposição digital de pintura de mulheres (Marco Rossi)
    Exposição de fotografias (Elaine Campos)
    Feira de Artesanatos LGBT
    Instalalação artística: Quarto - uma performace solitária horas a fio (Alessandra Cestac)
    Intervenções Dança e Pintura: Linhas Irreais (Thelma Shunna)
    Intervenção teatral (Chanel Chante)

     


    Literatura
    Lançamento de Livros dos autores Kadu Lago, Fabricio Viana, Marli Porto e Anita Costa.

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 20h05
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Padres ingleses aderem à campanha por casamento gay

     Enviado por Ronald Villardo

     


    DOIS RELIGIOSOS 
    ingleses se juntaram à web-campanha 'Out4Marriage', em defesa do casamento entre homossexuais. A ação também conta com nomes como Hugh Grant, Brad Pitt, entre outros. A adesão do bispo de Buckingham, Alan Wilson, e do decano de St. Alban, Jeffrey John (este um conhecido defensor dos direitos dos homossexuais na Inglaterra) é digna de nota pela decisão dos religiosos anglicanos em falar abertamente sobre a oposição da Igreja à proposta.

    "Não julguem Deus pela Igreja", pede John, argumentando que é "a favor do casamento gay por ter certeza de que Deus também é". Ele também diz ser "triste ver a Igreja rejeitar este tipo de união". 

    ALAN WILSON deixa claro "não entender porque alguns religiosos não concordam com a postura da Igreja sobre o casamento gay mas preferem não discutir o assunto abertamente". E prossegue: "Também não entendo o que a Igreja teria a perder ao aceitar este tipo de união".

    JÁ HUGH GRANT... diz que casamento não é para ele, "mas se alguém quer se casar, gay, transgênero, hétero... deve ter esse direito". Tá certo ele.

     

    Fonte: O GLOBO

     



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 20h01
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Super-Orgasmo: Aprenda a sentir prazer até seu corpo inteiro tremer!

     

    O Ponto-G Masculino proporciona prazer em uma escala sem precedentes (Foto: Divulgação)O Ponto-G Masculino proporciona prazer em uma escala sem precedentes (Foto: Divulgação)
    Já imaginou ter um orgasmo tão forte e prazeroso a ponto de tomar conta do seu corpo inteiro, fazendo-o tremer? Já sonhou gozar muitas vezes seguidas, durante horas a fio, tudo isso sem derrubar uma só gota de esperma? Se você acha isso impossível, é porque ainda não despertou para o potencial sexual inesgotável que habita um pequeno ponto do seu corpo, conhecido como Ponto-G Masculino!

    O Ponto-G Masculino é a região do corpo do homem que corresponde à próstata e região do períneo. Nesta área, localiza-se o centro nervoso que controla todas as funções sexuais no Homem. Por isso, quando devidamente estimulado, o Ponto-G Masculino proporciona prazer em uma escala sem precedentes! Já ouviu falar em sexo Tântrico? Pois bem, toda a base de seu funcionamento concentra-se no aproveitamento de uma fração da energia sexual concentrada no Ponto-G Masculino.

    Unindo essa sabedoria milenar oriental com os mais modernos conhecimentos em anatomia e design funcional, o urologista Dr. Jito Takashima criou, em 1997, um aparelho capaz de estimular a próstata de forma eficiente e segura: o Aneros®. A princípio projetado para promover a saúde da próstata (a massagem prostática é benéfica em muitos aspectos), este pequeno equipamento virou uma febre no mundo todo, por permitir ao homem expandir sua capacidade sexual ilimitadamente.

    Uma verdadeira revolução sexual está começando: homens esclarecidos e sexualmente ativos estão descobrindo o oásis de energia e potência sexual que a próstata esconde, e uma nova forma de encarar a sexualidade e o prazer está emergindo. E você, vai ficar de fora?

    Para Saber Mais: www.aneros.com.br/centro-de-aprendizagem/

    Página Oficial da Aneros Brasil: www.aneros.com.br

    Veja o Aneros em Ação (+18): blog.aneros.com.br/
    Fonte: Gay1



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h30
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Cineasta quer fazer filme sobre casal de gays enforcados no Irã

     

    Cineasta quer fazer filme sobre casal de gays enforcados no Irã

    Em maio deste ano, a história trágica de amor entre dois rapazes americanos, Shane Bitney Crone e Tom Bridegroom, marcada pela homofobia mesmo após a morte de Tom, foi exposta em um vídeo viral de pouco mais de 10 minutos e milhões de acesso no YouTube e, em julho, duas cineastas decidiram apelar para o Kickstarter a fim de transformá-la em documentário. Assim, Bridegroom - An American Love Story conseguiu mais que os US$ 300 mil necessários para ser realizado.

    O documentário está em produção. Em agosto, em Los Angeles, foram gravados depoimentos com Shane, os amigos mais próximos dele e de Tom e, no estado de Montana, com a família de Shane. A previsão inicial é de que seja lançado em meados de outubro.

    Agora, um novo projeto promete mexer com os brios dos iranianos e muçulmanos mais radicais. Também inspirado por uma história real, Sin (Pecado, em português) pretende contar a história de um adolescente gay e de seu namorado que foram enforcados no Irã por serem gays. As imagens do enforcamento estão entre as mais famosas dessa prática bárbara, e a campanha para arrecadar US$ 100 mil para cobrir os custos de produção foi igualmente lançada no Kickstarter.

    No Irã, a homossexualidade é ilegal e a sodomia é punida com a morte. Em 2011 e em maio deste ano, A Capa noticiou sete casos de enforcamento pelo mesmo motivo: os acusados eram homossexuais. Recentemente, o presidente do país, Mahmoud Amahdinejad, declarou que ser gay é "feio" e comparou a homossexualidade ao roubo. Em declarações anteriores, também disse que a homossexualidade era "contra a natureza" e que não havia gays no Irã - talvez porque sejam enforcados, não?

    Sin foi idealizado por Wajahat Ali Abbasi, um cineasta nascido no Paquistão que vive em Nova York. Se conseguir o financiamento, o filme será lançado em inglês com passagens em persa e deverá ser traduzido também para outras línguas. Além do Kickstarter, onde o projeto tem mais 20 dias para arrecadar seu alvo, as doações podem ser feitas no site oficial http://sinmoviesite.com/ via PayPal.

    Fonte: ACAPA



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 12h25
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    QUEM SE HABILITA?

    Bilionário chinês oferece R$ 132 milhões para homem que seduzir filha lésbica

    BBC

    • Reprodução/Daily Telegraph

      Gigi Chao (d) teria se casado com sua namorada há sete anos, Sean Eav (e)

      Gigi Chao (d) teria se casado com sua namorada há sete anos, Sean Eav (e)

    Um dos mais conhecidos bilionários de Hong Kong está oferecendo um prêmio equivalente a R$ 132 milhões para qualquer homem que consiga seduzir sua filha lésbica e convencê-la a se casar.

    O magnata Cecil Chao, de 76 anos, que fez sua fortuna no setor imobiliário e em transportes de carga, prometeu publicamente a recompensa após relatos de que a filha, Gigi Chao, teria formalizado uma união na França com a namorada de longa data.

    O bilionário, que nunca foi casado, afirmou à BBC que a filha ainda é solteira e precisa de "um bom marido".

    A homossexualidade foi descriminalizada em Hong Kong somente em 1991, e as uniões de parceiros do mesmo sexo não são reconhecidas.

    Candidatos

    Gigi, uma empresária formada pela Universidade de Manchester, na Grã-Bretanha, teria formalizado uma parceria civil na França com sua namorada, Sean Eav, com quem se relaciona há sete anos, segundo relatos publicados na mídia de Hong Kong.

    Mas seu pai insiste que a informação é falsa e afirma que sua oferta generosa já gerou várias respostas de possíveis candidatos.

    "É um incentivo para atrair alguém que tenha talento, mas não o capital para iniciar seu próprio negócio", afirmou Chao.

    "Não me importa que ele seja rico ou pobre. O importante é que ele seja generoso e de bom coração", explicou.

    "Gigi é uma mulher boa, com talento e beleza. Ela é dedicada aos pais, é generosa e faz trabalho voluntário", disse.

    Vida social agitada

    Apesar da busca pública por um marido para a filha, Chao diz que não tentará forçará Gigi a se casar contra sua vontade.

    Gigi Chao disse ter achado a polêmica campanha feita pelo pai "divertida" e afirmou que não pensará mais no assunto até um candidato apto se apresentar.

    Cecil Chao é conhecido em Hong Kong por sua vida social agitada e comumente aparece nas colunas sociais ao lado de belas mulheres jovens.

    Segundo o diário South China Morning Post, ele já se vangloriou uma vez de ter se relacionado com mais de 10 mil mulheres.

    Fonte: UOL



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h21
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    George Clooney se leiloa com a intenção de angariar fundos para instituição LGBT


    Isso é o que chamamos de estar disposto a ajudar uma causa. George Clooney está leiloando um encontro com ele mesmo com a intenção de angariar fundos para a Gay, Lesbian and Straight Education Network (GLSEN). O astro de Hollywood vai levar o ganhador e um amigo para um almoço íntimo que também terá o escritor David Karger no Soho House, na Califórnia. O valor do encontro com Clooney está avaliado em US$ 20 mil e o leilão vai até o dia 11 de outubro por meio do site CharityBuzz. Não é de hoje que, como Brad Pitt, George Clooney é abertamente um dos maiores defensores por direitos de pessoas lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais além de apoiar a GLSEN, que trabalha garantir ambientes escolares seguros para a juventude LGBTs.

    George Clooney se leiloa por uma boa causa (Foto: Getty Imagens)George Clooney se leiloa por uma boa causa (Foto: Getty Imagens)

    Fonte: Gay1



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 00h25
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    ELEIÇÕES 2012

    Candidatos gays a vereador de SP se encontram para debater questões da comunidade LGBT

     

    Candidatos gays a vereador de SP se encontram para debater questões da comunidade LGBT
    O auditório do 155 Hotel recebeu na noite dessa última terça (25), com atraso de 35 minutos,  o encontro dos candidatos  gays a vereador da cidade de São Paulo. Promovido pela Web TV Papo Mix, o encontro foi gravado e será liberado no próximo dia 28 no próprio site e no canal do You Tube.

    O convite foi feito para 10 candidatos gays e compareceram somente 8 deles: Bill da Pizza (PSOL), Frederico Sosnowski (PSOL), Marcos Fernandes (PSDB), Marcos Freire (PT), Maria Fuentes (PT), Mário Grego (PSOL), Paula Beatriz (PSOL) e Silvetty Montilla (PSOL). Bruna Babalu  (PSOL) e o ex-BBB Serginho (PSD) não compareceram. 

    Serginho enviou um e-mail aos organizadores, perguntando se o pai dele poderia representá-lo no encontro, alegando que ele tinha outro compromisso.

    Anderson Azevedo conduziu a apresentação e os mediadores foram Sérgio Luiz Pereira, diretor-proprietário do 155 Hotel, Evandro Rizzi, proprietário da sauna Labirintus e a drag  Saleti Campari.

    Cada candidato teve 3 minutos para se apresentar. Em seguida, foram feitas rodadas de perguntas enviadas pelos internautas por ordem de sorteio. Os presentes não puderam se manifestar com perguntas aos candidatos.

    O encontro teve o objetivo de ouvir os candidatos e suas propostas junto a comunidade LGBT, e todos os candidatos presentes foram unânimes na observação de que a Câmara dos vereadores de São Paulo necessita de um representante e até mesmo, de uma bancada LGBT  para ajudar na  inclusão da diversidade. 
    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 20h49
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    O Governo espanhol impede que seus consulados realizem o casamento gay se não existe legislação local


    "Os cônsules espanhóis devem abster-se, por falta de jurisdição, a realizar casamentos entre pessoas do mesmo sexo se isso é contrário às leis do Estado receptor ". Essa é a orientação dada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros espanhol aos seus consulados e que, supõe, priorizar as regulamentações discriminatórias estrangeiras sobre a lei espanhola, quando celebram casamentos consulares, mesmo que as partes sejam cidadãos espanhóis.

    O governo espanhol justifica a sua instrução discriminatória com base no artigo 5-F) da Convenção de Viena sobre Relações Consulares,  um padrão internacional que data de 1963,  e de acordo com a resposta que o Ministério de Exteriores tem dado a uma pergunta feita pelo deputado da Esquerda Unida, Gaspar Llamazares, onde afirma que, "uma das funções consulares de atuar como um funcionário do Registro Civil, nem sempre se opõe às leis e regulamentos do Estado receptor".  Por conta deste acordo internacional,o governo espanhol entende que,"a competência dos cônsules espanhóis no exterior para autorizar o casamento civil de um espanhol, segundo a norma espanhola  (artigos 49, 51 e 57 do Código Civil)  cessa quando se opõem  às atividades Consulares de registro civil e regulamentos do Estado receptor ".

    O presidente da "Boti FELGTB", Rodrigo Garcia, já manifestou o seu protesto pelo que ele considera uma clara injustiça.  "O que é válido para os heterossexuais, não é para nós", declarou.  "Parem de falar em igualdade Então, temos que continuar a lutar todos os dias ", acrescentou.
    Fonte: Nossos Tons



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h40
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Depois de polêmica sobre gays e AIDS, canal cancela documentário sobre Paris Hilton

     

    Depois de polêmica sobre gays e AIDS, canal cancela documentário sobre Paris Hilton

    O canal de TV a cabo americano Logo, que veicula programação direcionada ao público LGBT e simpatizante, cancelou a exibição de um documentário de 2007 sobre Paris Hilton, que estava programado para ir ao ar.

    Paris Hilton Inc., o nome do documentário que trata dos negócios da herdeira da famosa rede de hotéis, foi substituído pelas atrações The Antics Road Show e Pretty Boys, informaram os site The Hollywood Reporter e New York Post nesta terça-feira (25).

    Citando fontes da emissora, o New York Post diz que o motivo não podia ser outro: os polêmicos comentários feitos por Paris Hilton sobre gays e AIDS na semana passada. "Gays são nojentos. A maioria deles tem AIDS", disse a loira em uma conversa privada gravada por um taxista em Nova York.

    Assim que a notícia caiu na mídia, os empresários de Paris Hilton enviaram uma nota procurando justiticar o comportamento da patricinha: "Os comentários de Paris Hilton foram para expressar que é perigoso para qualquer um fazer sexo sem proteção. A conversa começou depois que um amigo gay bem próximo de Paris contou para ela num táxi uma história sobre um gay que tinha AIDS e continuava a fazer sexo sem proteção. Eles também discutiram sobre um site que incentiva os gays a fazerem sexo casual , sem se protegerem, com estranhos. Seus comentários foram com relação a essas pessoas, que se promovem no site. O taxista que gravou a conversa, forneceu apenas uma parte dela. Não foi sua intenção fazer qualquer comentário depreciativo sobre todos os gays. Paris Hilton é uma grande apoiadora da comunidade gay e nunca faria qualquer declaração negativa sobre a orientação sexual de alguém".

    Paris Hilton também enviou um pedido de desculpas para a GLAAD - Gay and Lesbian Alliance Against Defamation, organização LGBT que lida com questões de mídia nos Estados Unidos. Na nota, a loira se lamenta pela dor que causou a seus amigos gays, fãs e suas famílias.

    Hilton novamente se diz uma apoiadora da comunidade gay e afirma que os gays são as pessoas mais fortes e inspiradoras que ela conhece. Ela também volta a afirmar que os comentários não se referiam aos gays como um todo  - e declara esperar que suas desculpas sejam aceitas.

    Será que foram?
     
    O canal Logo pertence à Viacom, conglomerado que compreende a BET Networks, a MTV Networks, a Paramount Pictures e é também dono dos canais MTV, VH1 e Nickelodeon.

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h24
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Abaixo-assinado pede cassação do deputado Marcos Feliciano, que disse que "a AIDS é câncer gay"

     

    Abaixo-assinado pede cassação do deputado Marcos Feliciano, que disse que "a AIDS é câncer gay"

    Na semana passada, a declaração do deputado federal e pastor Marcos Feliciano causou polêmica. O pastor disse que "a AIDS é um câncer gay".

    Após o discurso do deputado do PSC de São Paulo, que foi feito durante o congresso dos Gideões Missionários e divulgado pelo também deputado Jean Wyllys, um abaixo assinado pede a cassação de Marcos Feliciano. A petição se dirige a Comissão dos Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.

    Para quem não se lembra, o deputado foi o mesmo que disse que estaríamos armando uma "ditadura gay" no País, que gostaríamos de expulsar Deus do Brasil e propôs ajudar a promover uma audiência pública sobre a "cura" da homossexualidade.

    Confira o que diz o texto do documento.

     "Segundo o discurso do parlamentar e também pastor, os homossexuais e os usuários de drogas seriam os responsáveis pela disseminação do vírus da AIDS. Em sua conta no Twitter, Feliciano também culpou a 'sexualidade libertina' pelo aumento dos casos da doença.

    Por concluir que manifestações como essas se enquadram como racismo, segregação racial, falta de respeito aos direitos humanos, homofobia e são de caráter separatista frente a população, sendo assim, nós, membros da sociedade civil, exigimos a cassação do mandato do parlamentar em questão, bem como as sanções legais cabíveis por crime de racismo e homofobia e quebra de decoro parlamentar".

    Para fazer valer sua opinião e participar do abaixo-assinado, clique em http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N29300

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 19h57
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Após suicídio de aluno, universidade dos EUA cria moradias especiais para comunidade LGBT

    • Membros da fraternidade Delta Lambda Phi, predominantemente GLS

      Membros da fraternidade Delta Lambda Phi, predominantemente GLS

    Há dois anos, Tyler Clementi, um calouro gay da Universidade Rutgers, cometeu suicídio após saber que seu colega de quarto ridicularizou sua sexualidade e convidou amigos para espiá-lo com outro homem. Esse terrível episódio chamou uma atenção nacional nada bem-vinda para a universidade. Antes conhecida como uma escola estadual grande e diversa, Rutgers passou a ser associada a homofobia e crueldade.

    Mas hoje, estudantes gays, lésbicas, bissexuais, transgênero e aqueles que os apoiam podem escolher quatro opções de moradia especializada, três delas novas, variando de um serviço que as une com colegas de quarto de mentalidade semelhante, até a Perspectivas Arco-Íris, um piso em um dormitório organizado em torno de interesses comuns.

    Eles agora podem contar com apoio dos 130 funcionários e membros do corpo docente que foram treinados como contatos oficiais do campus, ou com os estudantes de um novo programa de treinamento para “aliados”, cuja sessão inaugural já está com lotação máxima. A edição deste ano de um manual que lista os recursos do campus para “questões homossexuais” tem 92 páginas.

    E nesta semana, a Campus Pride (orgulho do campus), uma organização que avalia as escolas com base em suas políticas inclusivas, deu ao campus principal da Rutgers, em New Brunswick, a cotação máxima, cinco estrelas. Dentre as 32 categorias possíveis nas quais uma escola pode se distinguir, a Rutgers teve sucesso em 31.

    A Rutgers tem uma longa história de inclusão; quando a Liga Homofila de Rutgers foi fundada em 1969, por exemplo, ela era apenas o segundo grupo estudantil do gênero no país. Mas desde a morte de Clementi em 22 de setembro de 2010, a universidade tem aumentado seus esforços, estimulada por uma comunidade que se expressa intensamente no campus, uma administradora cheia de energia e uma necessidade urgente de controle de danos.

    Mesmo alguns dos estudantes ficaram surpresos pela força da política de inclusão da Rutgers.

    Em 2011, pouco antes do início de seu primeiro ano na Rutgers, Nicole Margolies estava falando com um supervisor quando disse: “Eu sou transgênero, e não sei o que fazer a respeito. Para onde eu vou?” Nick, como o estudante é conhecido agora, temia que nem mesmo sua entrada seria autorizada no campus. Em vez disso, ele disse, quando ele chegou lá, o nome na porta de seu quarto no dormitório tinha sido atualizado. Seus professores o tratam como “ele”. E todos o fazem se sentir normal. Ele diz que se espantou.

    Aliados

    No centro de toda essa atividade está Jenny Kurtz, a chefe do Centro para Educação de Justiça Social e Comunidades GLS da Rutgers. Falando rápido como uma metralhadora, ela soa como uma estudante especialmente cafeinada. Mas com seus cabelos loiros, óculos escuros enormes e salto alto, ela mais parece uma agente júnior de Hollywood e se destaca facilmente em um campus descontraído de bonés e jeans.

    Kurtz disse que uma das maiores prioridades de seu trabalho era “criar aliados” –pessoas cujas identidades não correspondessem às iniciais em seu portfólio, mas que se consideram amigas da causa ou causas, e querem saber mais sobre como ajudar.

    Esse esforço, que somado aos outros projetos do centro, sai de um orçamento discricionário de US$ 70 mil neste ano (em comparação a US$ 40.500 no ano anterior à morte de Clementi), parece ser extremamente bem-sucedido. Além da procura por programas de treinamento, ela disse que não consegue produzir broches de “aliado” rápido o bastante; tão logo ela recebe mil, as pessoas os pegam e pedem mais.

    Além dos próprios estudantes gays e transgênero e do círculo concêntrico daqueles que se posicionam ativamente como aliados, não se sabe até onde a mensagem do centro se espalhou. Kurtz disse que ainda não encontrou nenhuma pessoa que não desse apoio. Mas Rutgers é, afinal, uma universidade de 59 mil alunos espalhados por vários campi.

    • A residência universitária oferece um andar específico para membros da comunidade LGBT

    Stefan Koekomoer, um aluno de estudos medievais que se formou no ano passado, disse ter ouvido vários comentários e xingamentos homofóbicos ao longo dos anos.

    “Eu quase fui atrás de dois sujeitos porque estavam ridicularizando e apontando” para um amigo gay, ele disse. Koekemoer, que é heterossexual, disse que ele próprio às vezes era xingado, mesmo durante as aulas. Robert S. Goopio, o presidente da Delta Lambda Phi, uma fraternidade predominantemente gay da Rutgers, disse que “a cultura era diferente há alguns anos”. Desde a morte de Clementi, ele especulou, “muita gente que pode ser homofóbica provavelmente não dirá, por causa das consequências que elas veem que podem acontecer”.

    Parte dessa mudança também pode refletir um espaço de tempo notável na história da sexualidade americana. Há dois anos, o presidente Barack Obama ainda não tinha endossado o casamento de mesmo sexo e o Estado de Nova York ainda não o tinha legalizado (Nova Jersey ainda tem uniões civis). A política “não pergunte, não diga” das forças armadas ainda não tinha sido derrubada, e o Exército ainda não tinha promovido uma general assumidamente lésbica.

    E Dharun Ravi, o estudante que espiava Clementi, ainda não tinha sido condenado por invasão de privacidade e intimidação preconceituosa, apesar de sua pena de 30 dias de cadeia ter sido criticada por alguns defensores de direitos dos gays como leniente demais.

    Nesse breve espaço de tempo, ser um estudante universitário gay passou a significar algo leve e crucialmente diferente do que quando Clementi chegou ao campus.

    “Eu sou de South Jersey, que é uma área bem homofóbica”, disse Andrew Massaro, um calouro e membro da Delta Lambda Phi. “Mas quando cheguei aqui, eu percebi que as boas novas estavam se espalhando, e espalhando depressa.”

    O resultado é uma universidade onde, segundo alguns estudantes, a presença altamente visível de estudantes gays, lésbicas, bissexuais e transgênero se tornou uma parte básica e comum da vida no campus.
     

    Seu espaço

    A Perspectivas Arco-Íris inclui não apenas estudantes que, por causa de sua identidade sexual e de gênero, se sentem deslocados em um dormitório tradicional. Ela também inclui estudantes heterossexuais que gostam de companhia.

    Assim, Jeff Thomas, um calouro, mora ali com sua namorada –o que seria contra as regras em um dormitório tradicional, onde os estudantes só podem dividir um quarto com outros do mesmo gênero legal. E Nick Margolies, do segundo ano, mora lá com um colega de quarto do sexo masculino, algo que também seria contra as regas pelo mesmo motivo. A Delta Lambda Phi agora conta tanto com seu primeiro membro transgênero quanto com seu primeiro membro hétero.

    Leonard Haas, um membro da fraternidade, disse que já ouviu um insulto na Rutgers enquanto andava pela rua de mãos dadas com outro homem. Mas como Haas se sente tão à vontade como gay na Rutgers, e como aquele comentário destoava demais da recepção calorosa que ele teve, ele a ignorou.

    “Eu estou feliz”, ele disse. “Eu estou em um lugar legal, então não importa.”

    Fonte: UOL



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 13h01
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Direitos civis de jovens homossexuais serão debatidos na OAB de Santos

    OAB de Santos discute direitos de jovens LGBT

    Estão abertas as inscrições para a palestra “Comentários sobre os Direitos Civis e Fundamentais dos jovens LGBT”, que será realizada na cidade paulista de Santos no dia 30 de outubro, a partir das 19h. A palestra será ministrada por Edith Modesto, fundadora e presidente do GPH - Grupo de Pais de Homossexuais.

    A iniciativa é da Ordem dos Advogados do Brasil em Santos (OAB-Santos) e tem inscrições gratuitas – mas as vagas são limitadas. Elas podem ser feitas na Praça José Bonifácio, 55, pelo sitewww.oabsantos.org.br ou pelo telefone (13) 3226-5900.

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h57
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Mahmoud Ahmadinejad

    Presidente do Irã compara gays a ladrões e os chama de "feios"

     

    Mahmoud Ahmadinejad, presidente do Irã, compara gays a ladrões e os chama de "feios"

    "Feios" e comparados a ladrões... Foi asssim que o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad (foto), 55 anos, classificou os homossexuais ao ser entrevistado por Piers Morgan no programa Piers Morgan Tonight, da CNN. Morgan é também jurado do programa America's Got Talent.

    Ao ser questionado pelo jornalista se ele poderia aceitar publicamente que as pessoas nascem gays, Ahmadinejad tentou virar o jogo contra o apresentador. "Você acredita que as pessoas nascem homossexuais?", perguntou. "Sim, eu acredito absolutamente nisso", respondeu Piers.

    "Sinto muito", continuou o presidente do Irã. "Deixe-me perguntar-lhe isto: você acredita que alguém dá a luz através da homossexualidade? A homossexualidade cessa a procriação. Quem disse que, se você gosta ou acredita em fazer algo feio e outros não aceitam seu comportamento, que eles estão negando sua liberdade? Talvez em algum país eles quisessem legitimar o roubo". Que comparação, hein?

    Piers Morgan, porém, voltou a insistir no tema e perguntou o que Ahmadinejad faria se um filho dele lhe dissesse que é gay. "Deve ser dada educação apropriada... O sistema de ensino deve ser renovado. O sistema político deve ser reformulado, e estes devem ser também reformados, renovados ao longo do caminho. Mas se você, se um grupo, reconhece um comportamento feio, ou uma ação feia, como legítimo, você não deve esperar que outros países ou outros grupos deêm a ele o mesmo reconhecimento", respondeu Ahmadinejad, que tem dois filhos.

    Não é a primeira vez que Ahmadinejad faz declarações polêmicas sobre a homossexualidade. Em 2007, durante o Fórum de Líderes Mundiais, Ahmadinejad disse a estudantes na Universidade de Colúmbia que no Irã não havia homossexuais. Em 2009, antes de visitar o Brasil, disse que a homossexualidade era "contra a natureza".

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h56
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Lady Gaga:

    "A opinião do Papa sobre casamento gay não importa para o mundo"

    É de conhecimento geral que o Papa Bento XVI é contrário ao casamento gay e já chegou a dizer que a união homossexual é uma das várias ameaças atuais à família tradicional, e que põe em xeque "o próprio futuro da humanidade". Lady Gaga, obviamente, não se importa com o que ele pensa e deixou isso bem claro em uma entrevista a uma rádio francesa. 

    Segundo o “The Sun”, a Mother Monster afirmou à rádio que que a opinião do Papa sobre o casamento gay "não importa ao mundo”.

    "O que o Papa pensa sobre ser gay não importa ao mundo. Importa para as pessoas que gostam do Papa e seguem o Papa. Não é um reflexo de todas as pessoas religiosas", disse Lady Gaga.

    Para Gaga, que irritou os líderes da igreja e já foi acusada de blasfêmia na época do lançamento do clipe da música “Judas”, as pessoas só serão realmente iguais se puderem amar quem quiserem. "Eu acho que o casamento gay vai acontecer. Deve. Nós não somos realmente iguais, se não pudermos amar um ao outro livremente", disse a cantora.

    Fonte: vírgula



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h54
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Distrito Federal:

    Estudante transexual da UnB ganha direito de usar nome social

    Marcelo Zoby, de 22 anos, nasceu mulher, mas se reconhece como homem. Decisão tem caráter institucional e facilitará novos pedidos, diz universidade.

    Marcelo ZobyO Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da Universidade de Brasília (UnB) aprovou na última quinta-feira (20) o pedido de um aluno transexual para ser identificado nos documentos internos da universidade, como carteiras de estudante, listas de chamada e crachás, com o nome que escolheu e usa há vários anos.

    Estudante do segundo semestre do curso de ciência política, Marcelo Caetano da Costa Zoby, de 22 anos, nasceu mulher, mas se reconhece como homem. Ele deu entrada no pedido de uso do nome social em janeiro deste ano.

    A decisão do conselho foi unânime. “A utilização do nome social visa promover, de fato, a igualdade prevista no artigo 5º da Constituição Federal de 1988”, argumentou em seu parecer o relator, professor Arthur Trindade Costa, do Departamento de Sociologia.

    De acordo com a assessoria da UnB, apesar de a universidade já ter concedido a outros estudantes o direito de serem chamados por nomes sociais, desta vez a decisão foi institucionalizada, o que simplificará o atendimento de novas solicitações.

    “Meu pedido não era exclusivamente pessoal, tinha caráter geral. Foi uma solicitação para regulamentação do uso do nome social entre os estudantes da universidade. É preciso que seja criada essa regulamentação para que outros alunos não tenham que percorrer todo esse caminho”, disse Marcelo Zoby ao G1.

    A decisão é válida para documentos internos da UnB. Em documentos de interesse público, como histórico escolar, declarações, certificados e diplomas, o nome civil, que o estudante prefere não revelar, será mantido.

    Constrangimentos
    Marcelo Zoby disse que precisou trancar quatro matérias das sete em que estava matriculado no segundo semestre porque os professores se recusavam a chamá-lo pelo nome social.

    “A justificativa deles é quase sempre burocrática. Alegam que o nome que consta na lista de presença das aulas não é mesmo pelo qual quero ser chamado. Mais de um já me disse que, se eu achasse ruim, deveria procurar os meus direitos em outro lugar”, afirmou à assessoria de imprensa da Universidade de Brasília.

    Ao G1, ele afirmou que tentará recuperar o atraso causado pelo trancamento das disciplinas. “Não era negociável para eles, para mim também não era. Vou me esforçar, como tudo em minha vida, para recuperar o que ficou perdido pelo meio do caminho.”

    O aluno disse que tem esperança de poder usar o nome social no próximo semestre, mas acredita que será difícil. “Ainda não sei como vai funcionar a parte prática da decisão. Gostaria muito que isso já estivesse resolvido para o próximo semestre, mas acredito que, por causa da burocracia e do retorno da greve, isso será improvável.”

    A deliberação do Conselho Universitário em relação ao nome do aluno ainda precisa ser regulamentada, mas o relator disse acreditar que o procedimento será rápido.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h52
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    MEC e Conselho de Psicologia fazem parceria para combater violência nas escolas, como a homofobia

     
     
    Para enfrentar a violência nas escolas brasileiras, o Ministério da Educação assinou nesta quinta-feira, 20, uma parceria com o Conselho Federal de Psicologia. A parceria prevê um estudo sobre violência nas escolas, elaboração de materiais didáticos e formação de professores para o combate à violência no ambiente escolar.
     
    De acordo com o ministro Aloizio Mercadante, oito universidades também vão colaborar com o projeto. Entre os temas que serão trabalhados dentro das escolas estão enfrentamento às drogas, gravidez precoce, homofobia, racismo, discriminação, bullying e bullying eletrônico (feito por meio das redes sociais).
     
    “Temos estimado em torno de 8 mil jovens, meninos e meninas, que voltam para casa com todo tipo de constrangimento e que muitas vezes são vítimas de bullying na escola. Precisamos tratar esses temas com responsabilidade e cuidado, mas enfrentá-los no sentido de respeito à diversidade, ao outro, a valores como os direitos humanos. Os professores e alunos também precisam aprender a solução dos conflitos por meio de diálogo”, disse o ministro.
     
    Segundo Mercadante, o trabalho de campo será feito em todo o País. “Vamos trabalhar em todas as regiões do País, nos vários níveis do processo educacional - com pais, alunos e professores - e elaborar materiais pedagógicos, programas de prevenção e subsídios para aprimorar a prática pedagógica e criar uma escola mais atrativa, feliz, respeitosa e pacífica.”
     
    O projeto, de acordo com o ministro, terá início em breve. “Em duas semanas estaremos iniciando o processo de trabalho, mas eu diria que o desenvolvimento pleno desse trabalho é para 2013.”
     
    A expectativa do ministro é que, com esse projeto, os “professores tenham mais subsídios e melhores condições para lidar com esses desafios”. Os novos materiais didáticos, voltados para o combate da violência nas escolas, estará disponível logo após a pesquisa de campo ser finalizada. Também será desenvolvido um trabalho de formação de professores para trabalhar com esses temas nas escolas.
     
    Para Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) e conselheiro do Conselho Nacional LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), a parceria é positiva.
     
    “Vejo com bons olhos a ampliação dessa parceria. É fundamental não só para a questão da homofobia como também para a que envolve drogas, bullying etc. É fundamental que a escola seja um lugar seguro para que as pessoas possam estudar, não sejam discriminadas e não sofram a violência que muitas vezes faz parte do cotidiano escolar”, falou.
     
    Segundo Reis, a escola é um dos ambientes mais importante para que esse trabalho seja desenvolvido. “A escola é um momento em que as pessoas convivem e as pessoas têm que aprender a respeitar o outro e esse outro pode ser evangélico, católico, ateu, de uma religião africana, judeu ou indígena, mas as pessoas têm que aprender a respeitar o ser humano como um todo”, disse.
     
    Durante a 2.ª Mostra Nacional de Práticas de Psicologia, que ocorre até o dia 22 no Anhembi, em São Paulo, o presidente do conselho, Humberto Verona, anunciou também uma parceria entre o órgão e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República para ajudar na criação de comitês de combate à homofobia em todos os estados brasileiros.
    Fonte: Homorrealidade



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h54
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Gay conta ter gasto mais de R$ 60 mil para tentar 'conversão' à heterossexualidade

    • BBC

      Peteson Toscano gastou R$ 60.500 em tratamentos

      Peteson Toscano gastou R$ 60.500 em tratamentos

    O americano Peteson Toscano conta ter gasto USS$ 30 mil (cerca de R$ 60.500), recorrido a três tentativas de exorcismo e passado por um casamento fracassado até conseguir superar seus dilemas pessoais e aceitar que era gay.

    O processo durou 17 anos e Toscano hoje milita contra tratamentos que atendem por com nomes como ''conversão'' ou ''terapia reparadora'', voltados para gays que querem mudar sua orientação sexual.

    Tais práticas contam com o apoio de Igrejas fundamentalistas cristãs. E alguns dos que se submeteram a elas asseguram sua eficácia e se definem como ex-gays.

    Mas Toscano, de 47 anos, afirma que não só estes processos não funcionam como também causam danos psicológicos.

    Ele é de uma tradicional família ítalo-americanda do Estado de Nova York. Cristão devoto e evangélico, Toscano teve dificuldades em aceitar o que via como um conflito entre sua orientação sexual e sua fé.

    'Desespero terrível'

    ''Eu estava fazendo algo errado pelo qual eu seria punido na outra vida. E por isso sentia muito medo e um desespero terrível'', afirma, em entrevista à BBC.

    Como um adolescente que cresceu nos Estados Unidos da década de 80, Toscano viveu em uma época em que o termo ''gay'' era um sinônimo de Aids. Até 1973, psiquiatras americanos classificavam homossexuais como sendo insanos.

    ''Eu somei dois mais dois e cheguei ao que me parecia ser uma equação lógica, a de dizer 'isto é errado, é ruim, eu preciso consertar isso'. E 17 anos depois eu finalmente acordei e retomei a razão'', afirma.

    Os anos de tratamento são uma lembrança dolorosa. Após ter entrado em depressão depois de uma entrevista à rádio pública dos Estados Unidos na qual relatou os processos a que se submeteu, ele agora evita entrar em pormenores.

    Experiência traumática

    Mas ele relata que um dos incidentes mais sombrios ocorreu durante seu internamento por dois anos no centro Love in Action (Amor em Ação), hoje rebatizado como Restoration Path (Caminho da Restauração), na cidade de Memphis, no Estado americano do Tennessee.

    Lá, ele foi instruído a registrar todos os encontros homossexuais que já havia tido. Em seguida, pediram que ele relatasse o mais constrangedor destes encontros para sua família.

    Tais terapias não se limitam, no entanto, aos Estados Unidos. Toscano visitou a Inglaterra na década de 90 a fim de se submeter a um exorcismo. Ele já tinha se submetido a dois exorcismos fracassados nos Estados Unidos.

    De acordo com Peterson, esse tipo de prática ''é danosa psicologicamente especialmente para os jovens. Se você acredita nisso, você fará qualquer coisa para rasgar a sua alma''.

    Nos Estados Unidos, já estão sendo tomadas medidas para proibir parcialmente as terapias de conversões para gays no Estado da Califórnia. E o governador Jerry Brown está avaliando um projeto de lei que torna ilegal a terapia reparadora para crianças. Se aprovada, será a primeira medida nesse sentido tomada no país.

    Toscano tem um blog e um canal de YouTube e usa sua experiência como ator de teatro realizando apresentações nas quais procura consicentizar pessoas sobre os danos causados aos que se submetem a tratamentos para suprimir ou mudar suas orientações sexuais.

    Fonte: UOL



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 11h35
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Cantor faz clipe pedindo respeito a todas as formas de amor entre pessoas

     

    Eu acredito no amor é clipe fofo com mensagem bacana

    O jovem cantor paulista Tito acaba de lançar um clipe pedindo mais respeito às formas de amor, todas elas. Em “Eu acredito no amor”, ele mostra a beleza que existe na diversidade de casais, na diversidade de amores. Tem casal gay, bi, hetero, casal de três e até gente solteira caminhando atrás dele em clima de manifestação.

    Com boa intenção e cumprindo o papel de dar visibilidade à causa e pedir mais respeito à diversidade sexual, “Eu acredito no amor” é fofinho e militante – usando um casal em um restaurante para falar sobre homofobia. Tito é pego por um grupo de gente intolerante e quase se dá mal, mas tudo termina bem.

    Confira: www.youtube.com/watch?v=5z5BN-FN6rg&feature=player_detailpage

    Fonte: mixbrasil

     

     



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 17h47
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Estados Unidos:

    Após protestos LGBT, rede de lanchonetes põem fim ao financiamento de grupos antigays

    A rede de fast-food norte-americana Chick-fil-A parou de financiar grupos antigays após a onda de protestos da comunidade gay dos EUA, por meio de beijaços e boicotes de celebridades e políticos.

    A franquia cujo produto é apelidado de "frango de Jesus" afirma já ter feito doações para campanhas contrárias aos direitos LGBT, mas, por meio de um comunicado feito ao jornalista Alderman Proco "Joe" Moreno, do "Chicago Phoenix", nessa semana, prometeu parar com a política e declarou respeitopor todas as orientações sexuais.

    Em julho, o presidente da empresa, Dan Cathy, declarou que segue os "princípios bíblicos" e por isso patrocinava campanhas contra os homossexuais. Foi o que bastou para uma onda de protestos entre a militância LGBT dos EUA e apoiadores religiosos da cadeia de restaurantes.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 13h30
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Casal de Colatina diz que fingiu briga para superar crise familiar e ser feliz.

    Justiça autoriza primeiro casamento homoafetivo do Espírito Santo

    O matrimônio havia sido aprovado no dia 3 de agosto, mas foi suspenso.

    Ediana e Kamila já podem casar no Espírito Santo (Foto: Arquivo Pessoal / Ediana Calixto)Ediana e Kamila já podem casar no Espírito Santo
    (Foto: Arquivo Pessoal / Ediana Calixto)

    O primeiro casamento civil do Espírito Santo foi autorizado pelo Tribunal de Justiça do estado nesta quinta-feira (20). As capixabas Ediana Calixto, de 23 anos, e Kamila Roccon, de 20 anos, que moram em Colatina, na região Centro-Oeste, já podem marcar a data do casamento. O matrimônio havia sido aprovado no dia 3 de agosto, mas foi suspenso por que o Ministério Público do Espírito Santo (MP-ES) recorreu da decisão ao entender que o registro da união não competia a Vara da Fazenda Pública, mas, sim, a Vara da Família.

    Ediana informou ao G1, em entrevista por telefone, que ainda não tem data definida para o casamento, mas quer se casar com Kamila ainda em 2012. “Estamos muito felizes com a decisão. Enfim, vamos ficar mais juntas do que nunca. A primeira coisa que fiz, ao saber, foi ligar para minha avó, que comemorou muito pela minha felicidade”, disse aos risos.

    Por não ser uma união entre um homem e uma mulher, a jovem disse que ela e a companheira enfrentam muitos preconceitos, principalmente da própria família. Durante o tempo em que o casamento ficou suspenso pela Justiça, as namoradas fingiram estar separadas. “Era muita cobrança, principalmente para Kamila. Os pais dela não querem que fiquemos juntas. Quando o casamento foi barrado pela Justiça, eles disseram para ela esquecer a história, esquecer da gente. Durante umas três semanas, fingimos que estávamos brigadas, que tínhamos terminado tudo. Certa vez, a gente estava no quarto e a tia dela chegou do nada, eu precisei pular a janela e me esconder”, contou Ediana.

     

     

    Onde houver afeto entre duas pessoas, respeito e solidariedade haverá união tutelada pelo direito"
    Salomão Akhnaton,
    juíz que autorizou o casamento

    União
    Ediana e Kamila estão juntas desde maio de 2011. Elas se conheceram na cidade de Baixo Guandu, na região Centro-Oeste do estado. “Conheci Kamila em um restaurante. Ela ficou me olhando muito e achei diferente. Começamos a nos falar pela internet e o namoro foi a consequência. Ela me faz muito feliz e queremos ficar juntas para sempre”, contou Ediana.

    Kamila Roccon trabalha em um frigorífico emColatina, já Ediana está desempregada. Anteriormente, o casamento estava marcado para o dia 16 de agosto e as duas já haviam feito o 'chá de panela', ganhado roupas e dia de salão, mas tudo foi cancelado às vésperas da data marcada. “Mesmo sem condições, vamos realizar nossa união sim. Precisamos pensar com calma como será, já que estou desempregada. O mais importante é que a Justiça nos liberou”, disse Ediana.

     

    Decisão

    O juiz Salomão Akhnaton Zoroastro Spencer Elesbon, da 1ª Vara da Família de Colatina, foi quem autorizou o casamento entre as jovens. A celebração da cerimônia civil e expedição da certidão de casamento homoafetivo serão feitas pelo Cartório de Registro Civil de Colatina, ainda sem data definida. “Os enlaces familiares de qualquer espécie, desde que pautados na afetividade, estabilidade e ostensividade, estão sob as regras do Direito de Família. Sendo assim, onde houver afeto entre duas pessoas, respeito, solidariedade, comunhão de vida, ética familiar, ostensividade e intenção de constituir família, haverá uma união familiar tutelada pelo direito”, defendeu Salomão Akhnaton.

    Diferença entre união estável e casamento civil
    Há pouco mais de um ano, no dia 10 de setembro de 2011, aconteceu a primeira união homoafetiva no Espírito Santo e envolveu um policial militar. De acordo com o TJ-ES, no caso das meninas, se trata de um casamento civil diferente da união estável.

    De acordo com a juíza Janete Pantaleão, a união estável acontece independente dos sexos, mas para garantir benefícios como plano de saúde e registro de filhos é necessário recorrer à Justiça. “Já o casamento civil é um documento oficial que garante todos os direitos perante a sociedade”, explicou Pantaleão.

    Para ler mais notícias do G1 Espírito Santo, clique em g1.globo.com/es. Siga também o G1 ES no Twitter e por RSS.

    •  

    Chá de panela de Ediana e Kamila aconteceu em agosto, no Espírito Santo. (Foto: Arquivo Pessoal / Ediana Calixto)Chá de panela de Ediana e Kamila aconteceu em agosto, no Espírito Santo. (Foto: Arquivo Pessoal / Ediana Calixto)

    Fonte: G1



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 13h26
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Após comentário polêmico, Paris Hilton pede desculpas aos gays

    Taxista gravou conversa em que Paris Hilton afirmou que homossexuais são 'nojentos'.

    Paris Hilton 03Após fazer comentários polêmicos sobre os gays, Paris Hilton publicou um pedido oficial de desculpas no site da organização GLAAD (Gay & Lesbian Alliance Against Defamation).

    Paris Hilton diz que gays são "nojentos" e que "têm aids"

    No comunicado oficial, Paris afirmou que "os gays são as pessoas mais fortes e inspiradoras que conheço".

    Leia a íntegra do comunicado:
    "Estou muito triste por ter magoado meus amigos gays e suas famílias com os comentários desta manhã. Eu estava em uma conversa particular com um amigo, que é gay, e nossa conversa não era sobre toda comunidade homossexual. Isso é a última coisa que eu faria e eu não posso expressar como eu gostaria de nunca ter dito essas palavras. Os gays são as pessoas mais fortes e inspiradoras que conheço. Repito, estou arrependida do fundo do meu coração e me sinto horrível. Espero que todos possam aceitar as minhas desculpas. Eu não sou assim e aquelas declarações no táxi não expressam o que eu penso de forma nenhuma", disse a patricinha no comunicado publicado no site.

    Relembre o caso
    Paris Hilton teve uma conversa com um amigo gravada por um taxista de Nova York. No aúdio, ela faz um comentário homofóbico. "Ewww... Homens gays são as pessoas mais nojentas do mundo. A maioria, provavelmente, tem AIDS. Eu ficaria muito assustada se fosse um rapaz gay", disse Paris Hilton.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h57
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Pansexualidade é mais complexa do que você imagina. Professor de psicologia explica

     

    Professor de psicologia explica a diferença entre bi e pansexuais

    Por : Breno Rosostolato*

    Nem hetero, homo ou bi. Agora com vocês, a pansexualidade

    Desde que Alfred Kinsey fundou o Instituto de Pesquisa sobre Sexo, seus estudos influenciaram os valores sociais, morais e culturais dos Estados Unidos na década de 60, no que diz respeito à sexualidade. Seus trabalhos foram concomitante ao início da chamada Revolução Sexual e até hoje os conceitos abordados são fundamentais para a compreensão da diversidade. A Escala de Kinsey tentava abarcar as inúmeras orientações sexuais, que vão desde heterossexualidade exclusiva, passa pela bissexualidade, bem no meio da escala, a homossexualidade exclusiva e termina com a assexualidade.

    A bissexualidade, especificamente, elege como objeto de desejo homens e mulheres, sem distinção. Não precisa escolher porque não há distinções e a libido direciona-se igualmente para ambos os gêneros. A androginia, interligada à bissexualidade, por exemplo, recusa as imposições sociais, pois não existe um ideal masculino e feminino para se corresponder. Não precisa renegar em si as características do outro gênero. Defende-se a ideia que ninguém deve ser fragmentado quanto à sua identidade sexual. A coesão e harmonia entre os gêneros são totalmente plausíveis. Sustentam-se os interesses afetivos, sexuais e posicionamentos sociais.

    O bissexual apropria-se da mentalidade androgênica e transfere ao campo dos prazeres a possibilidade de se envolver sexualmente com homens e mulheres, sem cogitar nenhum tipo de indecisão pessoal. Tampouco é medo de assumir uma ou outra orientação sexual, ideia muito difundida na sociedade e que não condiz com a realidade bissexual, que, de fato, posiciona-se de maneira dualista. É diante deste cenário que surge a pansexualidade. O prefixo “pan” significa tudo ou todos e, conceitualmente, uma orientação sexual muito mais ampla do que a bissexualidade.

    O pansexual não se limita ao sistema binário, masculino ou feminino, mas seu objeto de prazer abrange homens, mulheres, transexuais, operados ou não, assexuados, drag queens ou drag kings. Os omni-sexuais ou oni-sexuais, termos usados também para designar o pansexual, afastam-se do exclusivismo de gêneros ou do essencialismo do bissexual. As relações estabelecidas acontecem mediante ao prazer vivenciado. O vínculo sexual e amoroso acontece conforme características de personalidade, ou seja, o pansexual se relaciona de acordo com as necessidades e reciprocidades. Rompe as fronteiras dos gêneros e abre um precedente, qualquer um é alvo de seu investimento libidinal.

    Essa categoria de gênero dá início a algo para além do masculino, feminino ou transgêneros, que são as pessoas que transitam entre os dois gêneros oficiais, homem ou mulher. O próprio transgênero transformou-se em um leque de tendências. Os pangêneros, por sua vez, convivem bem com o sexo anatômico, muito embora, por uma convenção social implícita, moldam-se e representam papéis sociais de acordo com o gênero do seu sexo oposto, através de roupas, comportamento típico, maneirismo e estereótipos, mas sem se enquadrar a nenhum gênero binário.

    É importante salientar que pansexualidade não é condição sexual. Condição sexual está ligada a um aspecto natural como na intersexualidade associada ao hermafroditismo; ou é uma identidade sexual como no caso da homossexualidade. O pansexual está ligado a uma orientação sexual que implica desejo, cuja fluência do prazer vai calcar a busca do objeto de amor, ou seja, o pansexual orienta-se através de suas preferências sexuais. A Identidade de gêneros corresponde a como nos reconhecemos dentro dos padrões de gênero estabelecidos socialmente. Os pangêneros se identificam com os padrões de gêneros e consideram todas as orientações, condições e identidades potencialmente aptas a satisfazer seu desejo.

    Diante do fato de a satisfação sexual ainda estar ligada a gênero, o pansexual tende a ter dificuldade quanto a esse preceito social. Estas ramificações sexuais, denominações que mais parecem um grande quebra-cabeça, nos conduzem a possibilidades antes desconhecidas, nas quais nossas identidades de gêneros, moldadas pela sociedade, pela cultura e pela história, não nos permitem vislumbrar a grandiosidade da sexualidade humana. Fato é que os rótulos sexuais segregam e não unem. Transformar nossos preconceitos em compreensão; estender o olhar e enxergar além das denominações e opiniões simplórias e imediatistas deveriam constituir a verdadeira condição de convívio entre os seres humanos.
     

    *Breno Rosostolato é professor de psicologia da Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo

    Fonte: mixbrasil

     

     



    Categoria: REPORTAGEM
    Escrito por ligeirinho45 às 11h59
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Série dos criadores de "Will & Grace" estreia com casal gay nos Estados Unidos

     

    Série dos criadores de "Will & Grace" estreia com casal gay nos Estados Unidos

    Uma nova série promete agitar a TV norte-americana no canal CBS.

    Partners será estrelada por Sophia Bush, de One Tree HillDavid Krumholtz, de Numbers; o ex-Superman Brandon Routh; e Michael Urie, de Ugly Betty. A série, uma comédia no estilo sitcom, vem com pedigree: é a última produção dos criadores da excelente Will & Grace, David Kohan e Max Mutchnick.

    O tema será a vida dos amigos Louis e Joe e seus encontros e desencontros amorosos - e, como não podia deixar de ser, vindo das mãos dos criadores de Will & Grace, haverá personagens gays.

    O primeiro é Louis, interpretado por Michael Urie, que já tinha sido o gay Marc St. James em Ugly Betty. Urie, na vida real, já namorou o também ator Ryan Spahn - e se declarou "queer" à revista The Advocate.

    Ele terá um namorado, Wyatt, um médico bonitão interpretado por Brandon Routh. Também não é o primeiro papel gay de Routh, que deu um beijo em Justin Long no filme Zack and Miri Make a Porno.

    Do outro lado, teremos o melhor amigo hétero, Joe, interpretado por David Krumholtz; e sua namorada, Ali, papel de Sophia Bush.

    teaser da série agrada, com tiradas engraçadas - e não deixa de haver uma certa curiosidade quanto à atuação de Brandon Routh, que, à época de Zack and Miri, causou polêmica ao dizer que sentiu nojo em beijar Justin Long: "Foi um beijo rápido, mas muito chocante", declarou o ator. Será que ele já mudou de ideia?

    A série estreia na CBS na próxima segunda, dia 24.

    Fonte: ACAPA



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 11h55
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Orgulho bi:

    Cidade americana aprova primeiro dia dedicado exclusivamente aos bissexuais

     

    Orgulho bi: cidade americana aprova primeiro dia dedicado exclusivamente aos bissexuais

    Aos poucos, as letrinhas da "salada" LGBT vão ficando mais independentes. Depois das lésbicas e das trans, que já têm o seu Dia da Visibilidade - pelo menos aqui, no Brasil -, chegou a vez de os bissexuais também terem sua data, separada das demais.

    A proposta que institui oficialmente o Dia do Orgulho Bissexual - até onde se sabe, a primeira no mundo - foi aprovada na última terça (18) pelo conselho da cidade de Berkeley, na Califórnia, que, sem discussão, votou unânime a favor da ideia.

    Dia do Orgulho Bissexual e da Visibilidade Bi será comemorado em 23 de setembro. Ativistas bissexuais nos Estados Unidos têm requerido uma data específica desde 1999 e, na prática, o dia 23 já tem sido utilizado para comemorações e eventos em Los Angeles, Boston, Chicago e outras cidades americanas por mais de uma década - mas Berkeley é a primeira a inclui-lo no calendário oficial.

    A proposta foi introduzida pelo conselheiro Kriss Worthington, que, na terça à noite, falou a seus colegas que era importante para a cidade apoiar uma ocasião "concebida como uma resposta ao preconceito e marginalização das pessoas bissexuais por alguns tanto da comunidade hétero quanto do restante da comunidade LGBT".

    Dedicado a estudar orientação sexual e legislação, o The Williams Institute, da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, estima que existam mais de 4 milhões de pessoas que se identificam como bissexuais nos Estados Unidos, mais do que o número de americanos que se identificam como gays, lésbicas ou transgêneros somados.

    Segundo reportagem da The Associated Press, ativistas bissexuais reclamam que, embora façam parte da sigla que compõe o arco-íris LGBT, os gays são alguns de seus críticos mais ferrenhos.

    Na foto, a bandeira do orgulho bi em Seattle, EUA.

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 11h47
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Grã-Bretanha lança guia para garantir bem-estar de seus idosos LGBT

     

     

    Grã-Bretanha acaba de lançar um guia para cuidados com idosos homossexuais. A iniciativa é daStonewall, uma das mais importantes entidades de defesa da cidadania LGBT no mundo todo.



    O guia traz conselhos e recomendações aos órgãos governamentais no atendimento das necessidades dehomens mais velhosgays e bissexuais.Dentre as dicas do guia, está a inclusão de LGBT idosos em materiais de campanhas militantes.
    Confira algumas das recomendações do guia:


    • Incluir os casais homossexuais e pessoas homossexuais e bissexuais nos materiais promocionais, folhetos e boletins informativos para os idosos.


    • Considerar os dados de orientação sexual ao monitorar serviços EUSO pelos adultos mais velhos.


    • Fornecer treinamento aos funcionários sobre as necessidades específicas de lésbicas mais velhas, gays e bissexuais.


    • Trabalhar com grupos locais LGBT para entender suas necessidades e difundir onde podem encontrar apoio específico e informação.

     

    Fonte: Athosgls



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 11h44
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Avenida Paulista será palco de manifestação pelo voto contra a homofobia

    São Paulo terá Caminhada Pelo Voto Contra a Homofobia

    Na cidade de São Paulo, a Avenida Paulista vai receber no dia 29 de setembro, um sábado, mais uma manifestação pelo fim da homofobia, desta vez lembrando a importância de se votar direito nas Eleições 2012 (7 de outubro). A caminhada tem concentração às 14h, em frente ao Masp (mesmo local de concentração da Parada LGBT).

    A saída está marcada para as 15h, em direção à Praça do Ciclista (Consolação) e todos podem participar – levando cartazes, faixas, bandeiras e apitos. O objetivo é conscientizar a sociedade sobre a importância de eleger representantes compromissados com o combate à discriminação e o respeito à diversidade. A realização é do comitê do candidato a vereador Marcos Freire (PT).

     

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 11h36
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    ELEIÇÕES 2012

    Foto polêmica entre empresário gay e Celso Russomanno causa polêmica nos meios LGBTs

    Na manhã desta quinta-feira, 20, uma imagem caiu como uma bomba para a comunidade LGBT. Um dos empresários mais poderosos da noite gay de São Paulo, André Almada, apareceu em uma foto abraçado com o candidato do PRB à prefeitura da cidade, Celso Russomanno.

    As fortes ligações do político com a Universal, igreja que faz forte oposição aos direitos dos homossexuais, bissexuais e transgêneros transforma o apresentador de TV e deputado federal em antagonista dos gays.

    Celso Russomanno e André Almada no centro da foto (Reprodução)

    Esta sensação do gesto entre figuras emblemáticas que a princípio estão em campos opostos se abraçando logo causou celeuma. E multiplicaram-se no mar de palavras e sensações que são as redes sociais manifestações de repúdio e de apoio a esta imagem. Para uns, foi um ato democrático, para outros, foi um sinal do jogo de interesses políticos sem nenhuma ideologia ou preocupação com os direitos dos LGBTs.

    Protesto no Facebook (Reprodução)

    Uma manifestação de repúdio está sendo marcada no sábado, 22, em frente a um dos clubes de Almada. “Gritemos, demonstremos nossa indignação e repulsa a este ato e inspirados em Harvey Milk vamos à frente da boate ‘The Society’ de André Almada demonstrar nossa ojeriza em relação ao seu apoio ao candidato não desejado pela comunidade LGBT”, diz o manifesto no Facebook.

    A assessoria do empresário soltou uma nota esclarecendo o caso: “Sobre a foto que tem circulado pela internet, na qual o empresário André Almada aparece ao lado do candidato a prefeito de São Paulo, Celso Russomanno, explicamos que se trata de um evento realizado na semana passada no clube ‘The Society’. Russomanno, apontado por muitos como opositor da comunidade e dos direitos LGBT, foi justamente esclarecer essa questão e apresentar seus planos e projetos pertinentes a esse público. O que fizemos foi dar direito de resposta e promover um debate saudável. O Grupo The Week, além de promover entretenimento, exerce sua responsabilidade social. Nossas portas estão abertas a todos os demais candidatos.”

    Muito se questionou se o empresário estava apoiando Russomanno, o porquê da foto, qual a qualidade daquele encontro. O Blogay mandou via e-mail perguntas para André Almada que explica seu ponto de vista no caso.

    Blogay – Como aconteceu este encontro entre você e Russomanno?

    André Almada  - O partido do deputado Campos Machado (o PRB) solicitou um encontro com o candidato. Então convidei algumas pessoas do meio LGBT para um bate-papo no clube “The Society”. A iniciativa não foi nossa. Foi solicitação do partido. Nós aceitamos, pois achamos que esse debate seria uma forma de exercermos de fato a democracia, e também uma oportunidade de ouvir do próprio candidato a posição dele quanto às propostas direcionadas aos homossexuais. Qualquer outro candidato que nos procurar, faremos o mesmo.

    Convite do evento ( Reprodução)

    Como surgiu a foto, por que decidiu tirar uma foto ao lado dele?

    Como anfitrião da noite, uma foto com o candidato é de praxe. Afinal, constituímos a mesa de debate.

    Como você está reagindo aos comentários e atos contrários a esta foto?

    Me surpreendi e ao mesmo tempo fiquei feliz, pois não imaginava que promovendo este encontro eu fosse descobrir que tantas pessoas estão politicamente engajadas e preparadas para cobrar do(a) nosso(a) futuro(a) prefeito(a), independentemente de quem seja eleito,  ações que envolvam a classe LGBT.  As pessoas estão preocupadas com as propostas dos candidatos, e isso é muito bom. Embora estejamos sofrendo críticas, o nosso objetivo de promover a reflexão está sendo cumprido.

    Você sabia das ligações de Russomano com a Universal, inimiga histórica dos LGBTs no país? Isto não te deixou ressabiado de realizar este encontro?

    Sim, tenho conhecimento pelo que se tem divulgado na mídia e redes sociais. Justamente por isso achei oportuno esclarecer essa e outras questões na presença dele. Afinal, ele foi a um clube gay conversar com gays sobre os direitos dos gays.

    Afinal, você apoia ou não Celso Russomano? A suas boates “The Week” e “The Society” tem alguma agenda política?

    Até o momento não apoio nenhum dos candidatos à Prefeitura de São Paulo. Não temos agenda política, mas reforço que estamos abertos a todos os candidatos.

    ***

    Como no fatídico recente clique do aperto de mão entre Lula e Maluf, em que a imagem fala mais alto que qualquer palavra, é inevitável perceber uma certa incoerência (e também inocência?) neste abraço. Celso Russomanno é o candidato que parece esconder o que pensa, porque reitera a todo tempo que só quer discutir a cidade – como se o fato do que ele acredita não tivesse menor valor. Ele é o que se diz católico e que seu partido é de base da mesma religião, quando reportagem da Folha mostra sua profunda relação com a Igreja Universal e seus líderes, muitos deles políticos que lutam intensamente contra leis de direitos aos homossexuais. Isto é, existe algo de dissimulado entre o que ele diz e o que realmente é.

    Parece louvável que ele vá ao encontro dos homossexuais, mas dentro desta perspectiva de dissimulação parece ser mais um jogo dele. Sim, como Almada disse, ele foi fazer suas propostas sobre a cena gay – algo que parece estar longe de sua agenda verdadeira . Em troca, um abraço. E a imagem do homem que declarou ser contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo transforma-se com esta foto (que diz mais que mil palavras) em uma prova contrária da homofobia que realmente sustenta sua campanha.

    Quem o acusará de homofóbico agora, ele foi aos gays, abraçou um deles. Ele tem agora mais um álibi em seu arsenal de dissimulações, e a  gente, nem um abraço de verdade.

    Fonte: Folha de S. Paulo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 01h38
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Ator assumido de "Modern Family" fica noivo e lança fundação de apoio ao casamento gay

    Jess Tyler Fergurson e Justin MikitaO ator Jess Tyler Fergurson, que interpreta o gay Mitchell no seriado "Modern Family", ficou noivo de Justin Mikita, de 27 anos.

    O anúncio foi feito durante o vídeo de divulgação da sua fundação,  a "Tie The Knot", que visa angariar dinheiro para ajudar as organizações que apoiem o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

    Ferguson e Mikita desenharam uma coleção de gravatas borboletas, que estarão disponíveis nas lojas a partir de novembro. Toda a renda será revertida para a fundação.
    "Estou muito feliz de anunciar minha fundação Tie The Knot. Gravatas borboletas para o casamento igualtário", escreveu o ator em sua página.

    No vídeo, Jess brinca sobre o modo como deve chamar Justin. "Amante", "namorado", "companheiro", para acabar o chamando de "noivo".

    Acesse o site da fundação www.tietheknot.org e abaixo confira o vídeo.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 19h43
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    'Avenida Brasil':

    Roni é expulso do time por ser gay

    Rio -  O preconceito mais uma vez reinará no Divino, bairro fictício de Avenida Brasil. Roni (Daniel Rocha), que já deixou de ir para um time maior porque um olheiro disse que não aceitava pessoas 'diferentes' em seu clube, desta vez será expulso do seu próprio time.

    Jogador é vítima de preconceito | Foto: Divulgação
    Jogador é vítima de preconceito | Foto: Divulgação

    Ao saber que Leandro (Thiago Martins) vai jogar em um clube da primeira divisão, Roni resolve ter uma conversa definitiva com o amigo e contar sobre sua orientação sexual. A conversa acontece no clube do Divino e um outro jogador ouve toda a revelação e começa a contar para as pessoas. A história logo cai no ouvido de Diógenes (Otávio Augusto), que fica inconformado com toda a situação.

    Para não manchar a imagem do time, Roni é convidado a deixar o clube. O jogador fica revoltado com o preconceito e se vê sem Suelen (Ísis Valverde), Leandro e o futebol, mas vai tentar dar a volta por cima e seguir com a carreira de estilista.

    Fonte: O DIA



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 19h13
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Clone do Crô:

    Thierry Figueira vai interpretar gay na próxima novela da Record

     

    Clone do Crô: Thierry Figueira vai interpretar gay na próxima novela da Record

    A Record vai ter um personagem gay para chamar de seu. Thierry Figueira vai interpretar Patrick Pimenta em "Balacobaco", trama que sucede a insossa "Máscaras".

    Pobretão, Patrick sonha em ser um artista ou apresentador de TV, mas sua realidade está bem distante disso. Para se sustentar, ele se veste de frango e entrega folhetos de lojas de rua. 

    Mas, depois  que seu amigo Zé Maria (Silvio Guindane) colocar na internet alguns vídeos dele fantasiado, Patrick vai virar um web hit e começará a ser reconhecido nas ruas.

    "Ele é um gay moderno, não tem muita verba, mas a linha de interpretação é suave", explica Thierry. 

    O visual do personagem já começa a despertar polêmica.  De óculos de grau, camisa e gravata borboleta, fica difícil não lembrar do Crô de "Fina Estampa".

    Questionado, o diretor da novela, Edson Spinello, disse que só o figurino dos dois é parecido. Ele vai além e diz que o visual de Crô não é novidade. Para Edson, a Globo copiou o personagem Marc St. James (Michael Urie), da série Ugly Betty, que teve quatro temporadas nos EUA, entre 2006 e 2010.

    A gente não sabe como será esse Patrick Pimenta, mas que o Crô era parecido com o Marc tanto no visual quanto na interpretação, não há como negar. 

     

     


    Marcelo Serrado e o seu Crô


    Marc de Ugly Betty: até o biquinho e a mão posada são iguais

    Fonte: ACAPA



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 18h59
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    AUSTRÁLIA:

    Senador australiano renuncia após associar casamento gay à zoofilia

     
    Um senador australiano renunciou nessa quarta-feira a um cargo parlamentar depois de denunciar o casamento homossexual como uma "caixa de Pandora", que poderia abrir portas para a legalização da poligamia e da zoofilia. Cory Bernardi deixou se ser o secretário parlamentar do líder dos liberais e da oposição conservadora, Tony Abbott, mas continua na Casa.
     
    "Se estamos dispostos a redefinir o casamento de tal maneira que permita a união sem consideração de sexo de duas pessoas que se amam, qual será a próxima etapa?", questionou o senador Cory Bernardi, na terça-feira, durante um debate em uma sessão parlamentar sobre o tema.
     
    "A próxima etapa, francamente, é que três ou quatro pessoas que se amem sejam autorizadas a contrair uma união permanente, com o consentimento da sociedade", disse. "Há inclusive pessoas aterrorizantes que consideram aceitável manter relações sexuais com animais. Será uma próxima etapa?", completou.
     
    Abbott já aceitou a renúncia de Bernardi. "Há opiniões que não compartilho e que muitas pessoas consideram repugnantes", declarou.
     
    Em um site, Bernardi defende a família como "o componente mais importante" da sociedade australiana e "os valores judaico-cristãos como marcos fundadores da nação".
     
    A Câmara dos Representantes e o Senado estão analisando quatro projetos de lei para autorizar o casamento homossexual. Nesta quarta-feira a Câmara dos Representantes da Austrália se opôs de forma arrasadora à aprovação (98 votos a 42) de um destes projetos, apresentado pelo trabalhista Stephen Jones.
     
    A Austrália não reconhece o casamento homossexual, embora alguns Estados e territórios do país admitam uniões civis de pessoas do mesmo sexo.
    Fonte: Homorrealidade



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h45
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Primeiro travesti eleito no país é tema de documentário


    Publicado no G1
     
    Kátia Tapety foi a vereadora mais votada de Colônia (PI) por três vezes. Quando criança, os pais a impediram de sair de casa e frequentar escola.
     
    Não deixa de ser curioso o fato de que o primeiro travesti eleito para um cargo político no Brasil nasceu, foi criado e fez carreira em Colônia, cidadezinha com cerca de oito mil habitantes no sertão piauiense. Kátia Tapety, que nasceu José Nogueira Tapety Sobrinho, é a protagonista do documentário “Kátia”, que foi exibido nessa quarta-feira (19) na mostra competitiva do 45º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.
     
    Integrante de uma tradicional família de políticos do Piauí, Kátia foi proibida de sair de casa durante a infância e parte da adolescência. Ela foi a única de nove filhos que não recebeu educação formal e apanhava até quando ia com a mãe para a igreja. Para a diretora Karla Holanda, esse período de reclusão foi fundamental na formação de Kátia.
     
    “Uma das coisas que mais me chamou a atenção foi o respeito, a dignidade que ela conquistou, especialmente vindo de um lugar inesperado, o sertão do Piauí. O mérito todo está na Kátia, no jeito que ela se faz respeitar. Acho que ela conseguiu criar estratégias para sobreviver”, opina Karla.
     
    Com a morte do pai, Kátia se libertou. Ela casou e adotou três filhos, um dos quais morreu há cerca de quatro anos. Em 1992, se candidatou pela primeira vez ao cargo de vereadora. Não só ganhou, como foi a mais bem votada de Colônia do Piauí – feito que repetiu nas eleições de 1996 e de 2000.
     
    Piauiense radicada no Rio de Janeiro, a diretora conheceu Kátia em 2008, por meio de notícias em jornais e na internet, e diz que logo se interessou pela personagem. De acordo com Karla, o objetivo do filme nunca foi fazer uma biografia de Kátia, mas sim mostrar a força da mulher que antes era homem.
     
    “No início, o que me chamou a atenção foi isso dela ser a primeira travesti eleita para um cargo político, mas isso logo ficou em segundo plano. E percebi que me chamava muito a atenção a forma como ela se fez respeitar (...) Ela tem uma riqueza muito grande e lida com o mundo de uma forma muito dela, muito prática, sem rodeios.”
     
    A diretora afirma que, apesar do estigma de ser a primeira travesti com carreira política do país, Kátia nunca ficou reconhecida por defender apenas projetos voltados para o público LGBT.
     
    Atualmente, Kátia está separada do companheiro com quem viveu por quase 20 anos. Ela, que também já foi vice-prefeita de Colônia do Piauí, não concorre a nenhum cargo nas eleições deste ano, mas acompanhou a sessão dessa quarta no Festival de Brasília.
     
    “A política para a Kátia não precisa nem de cargo, ela faz política o tempo inteiro. Uma política mais assistencialista, porque as necessidades [ da população de Colônia do Piauí] são tão elementares que podem ser resolvidas com um tipo de ajuda mais simples, como levar uma pessoa ao médico, agendar uma consulta, ajudar um casal a tirar a certidão de nascimento do filho ou questões de transporte, que é muito ruim, falho e caro para população que vive da agricultura no sertão.”
    Fonte: Homorrealidade



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h42
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    ONU cria relatório de obrigações que os países devem ter com a comunidade LGBT

     

    ONU cria relatório de obrigações que os países devem ter com a comunidade LGBT

    O A Capa já contou que as Organizações das Nações Unidas estão batendo na tecla da questão dos direitos LGBT. Recentemente, Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU, trouxe novamente a homofobia para discussão.

    Agora, a ONU acaba de lançar um relatório com as obrigações legais que os países devem ter para proteger seus habitantes gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais. O documento, lançado pelo Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidos para os Direitos Humanos, foi publicado na última sexta (14).

    O relatório foi batizado de "Nascido Livre e Igual" e indica para gestores púbicos, ativistas e defensores dos direitos humanos quais são as responsabilidades do Estado com a população LGBT e o que eles devem fazer para alcançá-las.

    "O objetivo de estender para pessoas LGBT as condições de todos os outros não é nem radical e nem complicado. Baseia-se em dois princípios fundamentais que sustentam a lei internacional dos direitos humanos: igualdade e não discriminação", disse Navi Pillay, alta comissária para os Direitos Humanos,  no prefácio do relatório.

    O foco principal do documento consiste em cinco ações principais: proteção contra a violência homofóbica, prevenção da tortura, a descriminalização da homossexualidade, a proibição da discriminação e o respeito com a liberdade de expressão e com a reunião de todas as pessoas LGBT.

    O relatório traz também exemplos de violação de direitos, como o caso de um casal lésbico brasileiro que relata ter sido espancado numa delegacia do Brasil e forçado a praticar sexo oral.

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h36
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Bahia:

    Câmara Municipal de Salvador adia honraria a Silas Malafaia após proposto de LGBTs


    A Câmara Municipal de Salvador decidiu adiar a entrega do título de cidadão soteropolitano ao pastor da Igreja Assembléia de Deus Vitória em Cristo, Silas Malafaia, prevista para acontecer no próximo dia 27. A decisão foi tomada após a manifestação da comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) da cidade, que acusa o religioso de homofóbico.
    Na semana passada, o Fórum Baiano LGBT) enviou um ofício à Câmara repudiando a honraria por considerar que Malafaia é um “inimigo da causa gay”. O documento foi direcionado ao presidente Pedro Godinho (PMDB) e é assinado em nome de mais de 70 entidades de direitos humanos e de defesa da liberdade de orientação sexual e identidade de gênero.
    Através da internet, o grupo baiano ainda mobilizava os usuários do Facebook e do Twitter para tumultuar a cerimônia de titulação e, assim, tentar impedir que o certificado fosse entregue. A nova data da vinda do pastor ainda não foi divulgada.
    A honraria concedida ao pastor é uma proposta do vereador Heber Santana (PSC), que é membro da Igreja Batista Missionária da Independência e integra a bancada evangélica da Câmara.
    Fonte: Mundo Colorido



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 00h13
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    DOIS DE PAUS



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 00h10
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Chile:

    Forças Armadas se desculpam por tratar gays como doentes

    O comando das Forças Armadas do Chile se desculpou por tratar gays como doentes e prometeu acabar com as normas que tratam a homossexualidade como "perversão sexual".

    O chefe do Exército chileno emitiu comunicado em que diz rejeitar os regulamentos que discriminam os cidadãos homossexuais e se comprometeu a revogá-las.

    A ONG MOVILH (Movimento de Integração e Libertação Homossexual) considerou o anúncio insuficiente.

    As normas das Forças Armadas chilenas estabelecem condições pelas quais o candidato não pode ingressar no serviço militar.

    Entre elas está o que foi chamado de "perversões sexuais" que, segundo a norma significa "homossexualidade, lesbianismo, voyerismo e exibicionismo".

    O documento que define essas condições foi produzido antes de 1982, mas atualizado em 2010.

    "A Organização Mundial de Saúde retirou a homossexualidade da lista de doenças em 1991, depois iniciativas iguais foram feitas pela Associação Americana de Psiquiatria e Associação Americana de Psicologia em 1975" informou, em nota, o MOVILH.

    O grupo acrescentou: "Nós estamos diante de uma política de discriminação institucionalizada que nós descobrimos ser uma desgraça nacional e internacional."

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 23h08
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Jovem relata agressão homofóbica por funcionária do Tribunal de Justiça de SP


    Só em 2011, foram reportadas ao poder público federal 6.809 denúncias de violação dos Direitos Humanos de caráter homofóbico

    Por Danillo Oliveira

    No último domingo (16), um jovem sofreu agressão homofóbica de uma funcionária do Tribunal de Justiça de São Paulo. A ofensa verbal aconteceu na Avenida Francisco Matarazzo, em frente à unidade Pompeia do shopping Bourbon.

    Charles Reis dos Santos (33), coordenador de uma escola de inglês, estava com seu companheiro no ponto de ônibus. Ao não perceber uma senhora em pé, foi provocado por outra que aguardava o transporte. “Acho melhor eu dar o lugar para a senhora”, disse a funcionária do tribunal. “Se depender desse tipo de gente vai ficar em pé o tempo inteiro.” Após a senhora ter subido no ônibus, nova provocação: “É isso mesmo, tem que pegar qualquer ônibus que passar porque se ficar aqui ninguém dá lugar, depois esse tipo de gente fica exigindo respeito.”

    Ao dar sinal para o ônibus, Charles se defendeu: “A senhora está sendo mal educada, eu não tinha visto a senhora. Era só pedir que não teria problema.” Segundo Charles, a agressão aconteceu em seguida. “Por isso que essa raça tem que morrer mesmo. Quando essa raça de viado morre eu acho bom! Eu não quero cair na rua e dar de cara com pessoas como você.” Irritada, a mulher acrescenta: “Sou do Tribunal de Justiça. E são pessoas como você que vão perder nosso tempo com ‘viadice’, ficam dificultando nosso trabalho com frescura querendo ser igual aos outros.”

    O Tribunal de Justiça de São Paulo localiza-se na Praça da Sé, região de alta concentração de violência homofóbica na cidade, segundo dados da Coordenadora de Assuntos da Diversidade Sexual da Prefeitura (CADS), do Centro de Combate à Homofobia. A suposta funcionária não foi identificada. Charles Reis prestou queixa ao órgão no dia seguinte à agressão, mas não obteve resposta ainda.

    Em 2011, o poder público federal recebeu mais de 6 mil denúncias de violência homofóbica. (Foto: Marcello Casal Jr./ABr)

    Dupla homofobia

    As vítimas de agressão homofóbica também sofrem ao denunciar a violência na delegacia. “Essas pessoas acabam sofrendo uma dupla homofobia, porque quando chegam na delegacia sofrem outra agressão”, afirma Leandro Rodrigues, coordenador de comunicação da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. “Na hora da denúncia, até mesmo os agressores usam o discurso de que foram seduzidos pela vítima, o que não é plausível”, acrescenta. “É uma tentativa de desmerecer a questão da vítima, como alguém que deu margem para sofrer.” Ele destaca que as estatísticas, sobretudo na periferia de São Paulo, são muito maiores.

    Charles Reis também foi vítima de homofobia por parte da polícia. Em 11 de fevereiro de 2009, voltava para casa acompanhado de um amigo quando foi abordado na rua por um policial. De dentro da viatura, o oficial baixou o vidro e disse ao jovem: “Vai dar a bunda, bichinha?”. “Que Deus te ouça!”, respondeu Charles. Após fazer o retorno na via, o policial saiu do carro e deu um soco em Charles, que foi novamente agredido ao pegar seu celular para fazer a denúncia. O policial apontou a arma e disse: “Sou da Polícia Federal. Isso não vai ficar assim. Da próxima vez vai ser bem diferente!”

    No Brasil, durante o ano de 2011, foram reportadas ao poder público federal 6.809 denúncias de violação dos Direitos Humanos de caráter homofóbico. De acordo com o Relatório sobre Violência Homofóbica no Brasil, de 2011, documento produzido pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos, o número representa uma taxa de 3,46 denúncias registradas a cada 100 mil habitantes.

    Segundo o relatório, foram noticiados 278 homicídios contra a população LGBT no ano, sendo 25 deles em São Paulo. No estado, foram denunciadas ao poder público 1.110 violações em 2011. Do total, 508 aconteceram no município de São Paulo. Os dados de 2012 devem ser finalizados e enviados à Prefeitura em setembro deste ano.

    Fonte: SPRESSO



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 23h07
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Rupert Everet encara a revolta de oito mil casais gays no Reino Unido

     

     

     

     

    Rupert Everet, ator inglês assumidamente gay, disse que “não pode pensar em nada pior do que ser criado por dois homossexuais”. O comentário, claro, gerou revolta no Reino Unido e no resto do mundo e aguçou a raiva de oito mil casais do mesmo sexo que criam seus filhos, incluindo SirElton John e David Furnish. Elton teme que seu filho de 18 meses de idade, Zachary, possa sofrer bullying: “Na escola, as outras crianças vão dizer: ‘Você não tem uma mamãe?’”. Por essa e por outras, o jornal The Sun reuniu três casais para relatarem suas histórias pessoais.

    Barrie Drewitt e Tony Barlow fizeram história em 2000 ao serem os primeiros pais gays a colocarem seus sobrenomes nos filhos adotivos — os gêmeos Aspen e Saffron, de 11 anos, Orlando, de 9, e os também gêmeos Dallas e Jasper, de 2 anos. Barrie, inclusive, dirige o Centro de Barriga de Aluguel britânico. “Nós adoramos nossos filhos e estamos esperando para ter uma menina por meio de uma mãe de aluguel num futuro próximo. Para ser honesto, não gostaria que meus filhos fossem gays porque é uma luta constante, mesmo na sociedade de hoje e não quero que eles tenham que passar por isso. Mas as pessoas pensam que só porque uma criança tem um pai gay eles vão se tornar gay, mas isso é uma bobagem. Nossa vida é normal — a diferença é que nossos filhos têm dois pais”, disse Barrie. No ano passado, o Centro de Barriga de Aluguel teve 173 inscrições, sendo 63 de homens gays.

    O ator Charlie Rua Condou vive com o escritor Cameron Laux, e os filhos Georgia, 3 anos, e Hal, um ano. “Quando a Georgia nasceu, sua mãe, minha amiga Catherine, veio morar conosco por cinco meses e agora as crianças dividem seu tempo entre a nossa casa e a dela. As pessoas podem pensar que é um arranjo estranho, mas ele funciona para nós. Acho que se você tiver a atitude certa, crianças que crescem com pais gays não devem ter problemas como qualquer outro garoto. Biologicamente as crianças são minhas e de Catherine. Tivemos Georgia através de fertilização in vitro, e, em seguida, congelamos um embrião que agora é Hal. Eu sou ‘Papai’, Catherine é ‘Mamãe’ e Cameron é ‘Wa-wa’”, disse Charlie. “Sei que é uma situação inusitada, mas no final do dia sou apenas um pai com um carrinho de passeio no metrô. Enfrentamos os problemas que todos os pais enfrentam. Os padrinhos de Georgia são (os atores) Paul Bettany e Jennifer Connelly, e madrinha de Hal é Kathy Burke. Estamos cercados por pessoas que nos apoiam”.

    O relações-públicas Lis Reay-Smith divide o mesmo teto com Michael, e o filho Scott, de seis anos. “Antes nos preocupávamos com a parte gay na criação, mas agora vejo que isso é besteira. Ele tem infraestrutura, um lugar para comer, uma escola para estudar… Michael e eu estamos juntos há 15 anos e nós conversamos por muito tempo sobre o desejo de ter um filho. Eu sou o ‘Pai’ e Michael é ‘Papai’, e nossa vida é perfeitamente normal. Temos certeza de que ele tem influências femininas como a da babá e da minha mãe. As pessoas são muito mais abertas do que pensamos e é importante ser honesto, e responder às perguntas que possam surgir”, diz Lis.

    Barrie e Tony com os filhos Orlando, Aspen e Saffon /Foto: Reprodução The Sun

    David, Elton John e o pequeno Zachary /Foto: Reprodução The Sun

    Charlie Condou e Cameron Laux /Foto: Reprodução The Sun

    Phil e Michael com o filho Scott /Foto: reprodução The Sun

    Fonte: Época



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 15h53
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Será?

    Historiadora afirma que conceitos de hétero e homossexualidade aumentaram preconceito

    Por João Marinho / Fotos: © Hanne Blank

    Será? Historiadora afirma que conceitos de hétero e homossexualidade aumentaram preconceito

    Será que a definição do que é ser gay - e ser hétero - aumentou o preconceito? Para a historiadora norte-americanaHanne Blank (foto), a resposta é "sim", e por um motivo simples: os conceitos "enquadraram" os comportamentos sexuais.

    Blank é a entrevistada na seção "Ideias" da revista Época desta semana, em texto assinado por Tania Machado. Segundo ela, as definição dos termos hétero e homossexualidade foi uma ideia ocidental transmitida a outros lugares do mundo por imperalismo cultural.

    Para Hank, ambas as palavras foram criadas pelo jornalista Karl-Maria Kertbeny em uma carta de 1851. A americana sustenta que hétero e homossexualidade sempre existiram, mas antes não eram identificadas. "Não existia a noção de orientação sexual. Alguém poderia ter desejos sexuais diferentes ou envolver-se em diferentes tipos de atos sexuais. Esses atos poderiam ser considerados lícitos ou ilícitos, castos ou pecaminosos. Mas esses juízos de valor eram feitos sobre desejos e atos específicos, nunca sobre a pessoa. Isso só aconteceu com a criação da palavra", defende. "O conceito de hétero e homossexualidade não foi criado com base em princípios científicos, mas sim sociais".

    Para a historiadora, a partir do momento em que a heterossexualidade se tornou consenso e trouxe no bojo toda uma gama de valores e tradições, "passamos a não questioná-la. Nós a enxergamos como algo normal sobre o qual não precisamos falar". Hank ainda comenta que, antes de 1868, o comportamento das pessoas era diferente em relação à heterossexualidade e que o sexo entre homens era aceito em determinadas épocas e lugares, ainda que houvesse oposições, como da igreja católica (o maior problema era assumir o papel passivo).

    Em 1886, ainda segundo a historiadora, o livro Psycopathia sexualis, que catalogava os desvios e degenerações sexuais, ajudou a ampliar o preconceito e aumentou a pressão sobre os homens para provar "sua normalidade": "Nesse livro, o termo heterossexual, ou normal sexual, era todo aquele que não estivesse no livro e envolvesse a relação sexual entre um homem e uma mulher feita pela penetração do pênis na vagina".

    Hanne Blank, que já viveu 15 anos com uma pessoa que, geneticamente, não era nem homem e nem mulher, não se considera nem hétero, nem homo, nem bissexual: "Gosto de masculinidade, mas não necessariamente em alguém que seja biologicamente um homem", finaliza.

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 15h46
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    'Galãs gays deveriam se assumir', diz Daniel Rocha, o Roni de 'Avenida Brasil'

     

    Daniel Rocha (21) é o novo queridinho das donas de casa. Apontado como um dos grandes galãs da novela Avenida Brasil, da TV Globo, o ator que dá vida ao indeciso Roni afirmou que torce para que seu personagem continue no triângulo amoroso, formado por Leandro (Thiago Martins, 24) e Suelen (Isis Valverde, 25).
    Na tarde de sábado (15), o artista desfilou para a grife 1+1 no Fashion Weekend Kids, no shopping JK, em São Paulo e comentou com exclusividade sobre o sucesso do folhetim escrito por João Emanuel Carneiro (42), a construção de Roni e respondeu o que acha de um galã gay de novelas esconder a sexualidade. 
    - Você é apontado como um dos grandes galãs de Avenida Brasil e ganha, inclusive, várias enquetes com este tema. A que se deve esse frisson com o público feminino?
    - Acho que tem relação com a trama e o direcionamento da equipe. O autor da novela está proporcionando cenas incríveis para mim. Cenas que são um desafio como ator, como artista, com a minha maturidade. Também tem a ver com a direção, a preparadora, a equipe toda e, claro, o público. O Roni caiu no gosto popular. O pessoal gosta do trabalho, gosta do personagem, torce por esse núcleo e, para mim, está tudo certo. O pessoal vota em todas as enquetes e é galã, galã, galã toda hora (risos) Pô, o Cauã está há vários anos seguidos como galã, então ganhar dele é uma honra.
    - Nos últimos anos, o número de novos galãs diminuiu e novos nomes, como o do Rodrigo Simas, rejeitam essa definição. O título de galã te agrada ou te incomoda?
    - Não me incomoda. Marlon Brando era um galã e era um grande artista. James Dean Brad Pitt, também eram homens bonitos que se destacam também pelo talento. Acho que vou por esse do caminho do Marlon Brando também. Ter beleza, ok. Mas agora é hora de mostrar o que tenho além disso. Ou seja, o talento.
    - Embora o Roni não seja assumidamente gay, esta questão é bem forte nele. Fez alguma preparação especial, buscou alguma pessoa para se espelhar?
    - Vim do teatro e lá encontrei vários artistas homossexuais, que são assumidos. E eles sempre foram meus amigos. Então, não fiz nenhuma preparação. Quando surgiu essa oportunidade de interpretar o Roni, fui buscando todas essas referências dos meus amigos e fiz o personagem em cima dessas pessoas que eu conhecia. Mas não busquei em ninguém em específico. Mais que a sexualidade, a grande característica do Roni é a sensibilidade.

    'A sexualidade de um ator não tem relação com o trabalho dele'

    - O que você acha das pessoas que escondem a sua orientação sexual?
    - Isso é muito comum ainda nos dias de hoje. Tenho vários amigos com namorados, assumidos para os amigos, mas que não se assumem para o pai e para a mãe. Sentem medo, pensam na criação dos pais... Para você ter uma idéia, de 20 gays, 19 não se assumem. É uma proporção muito grande e acho que eles pensam mais na reação da geração passada, que era muito mais machista, mais fechada no modo de pensar. Esse preconceito não está no controle nosso, vem de antes, então acaba gerando receio. Apesar disso, vejo uma mudança positiva de lá para cá.
    - Os autores Gilberto Braga e Aguinaldo Silva disseram recentemente que os galãs gays das novelas não deveriam se assumir. Você concorda que um galã deva ficar no armário?
    - Não, acho que não. Temos vários galãs que se assumiram em Hollywood e continuam com uma boa carreira. Às vezes eles vão para os filmes B, mas depois voltam com tudo em grandes produções. Eu acho que essa permanência no armário não tem nada a ver na vida de um artista. É a orientação sexual dele, só diz respeito a ele, não interfere no trabalho e nem no desempenho de atuar um personagem hétero. Quem é bom no que faz vai convencer o público independente do papel e da sexualidade.
    Fonte: NLucon



    Categoria: ENTREVISTA
    Escrito por ligeirinho45 às 22h44
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Rio Grande do Sul:

    Estado já emitiu 119 carteiras de identidade para travestis e transexuais

    Travestis SSPRSO uso do nome social é determinante para travestis e transexuais. Sem isso, são discriminados em todos os ambientes e circunstâncias, desde a hora da chamada na sala de aula até ocasiões públicas, como em consultórios médicos, lojas, entre outros momentos em que são tratadas pelo nome de registro, com o qual não se identificam. Raras iniciativas têm reduzido esse constrangimento. 

    O estado de São Paulo, por exemplo, por meio do Decreto 55.588, de 2010, prevê o tratamento de travestis e transexuais pelo nome por eles escolhido para usar socialmente de acordo com sua identidade de gênero. Mas a medida restringe-se à administração pública estadual direta e indireta. No entanto, vem do governo do Rio Grande do Sul algo que pode indicar a redução da marginalização desse grupo: a Carteira de Nome Social (CNS), que começou a ser emitida em 16 de agosto passado, por meio da qual travestis e transexuais poderão ser identificados nos serviços públicos do estado gaúcho. Com sorte, a sociedade em geral vai entender e aceitar também.

    A carteira, elaborada pela Secretaria de Segurança Pública em parceria com a Secretaria de Justiça e dos Direitos Humanos, dentro do programa RS sem Homofobia, é emitida pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) com o mesmo método da Carteira de Identidade. Até hoje (18), foram emitidas 119 carteiras. No Departamento de Identificação, em Porto Alegre, houve 100 solicitações. No Posto de Identificação de Caxias do Sul, houve cinco. No de Pelotas, duas. Em Santo Ângelo, uma, e no Presídio Central, 11.

    A criação da carteira social estava prevista no Decreto 48.118/2011, assinado pelo governador Tarso Genro (PT). Em 17 de maio passado, Dia Estadual de Enfrentamento à Homofobia, o governador entregou simbolicamente a primeira CNS à travesti Simone Rodrigues. Na data também foi criado o Comitê Gestor dos Direitos Humanos, para cuidar, entre outros, dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT). 

    O secretário da Segurança Pública do estado, Airton Michels, explicou que a carteira social remete ao RG, portanto, a pessoa pode usá-la porque vai ser imediatamente identificada, já que possui a mesma numeração. Ele explica que o uso da CNS não exclui a necessidade de portar o RG, mas é uma garantia de respeito ao nome social.

    "É claro que a carteira tem seus limites. Em um cartório, por exemplo, a pessoa pode até se identificar com a carteira social e ser tratada pelo nome social, mas o contrato, por exemplo, tem de ser feito com o nome de registro. A mudança pode valer para o tratamento desse grupo na escola, na delegacia, até numa loja ou em qualquer estabelecimento privado, embora não tenhamos como forçá-los a aceitar", esclareceu Michels. Mas, para ele, com um mínimo de sensibilidade o atendente vai confrontar a carteira social com o RG e vai tratar a pessoa por seu nome social. 

    "O decreto prevê aceitação na Administração Pública e no Poder Executivo, mas estamos negociando com o Poder Judiciário, e a discussão está evoluindo. Porém, o Judiciário está muito sensível a essa questão", disse o secretário. Ele afirmou que os policiais já começam a ser preparados para aprender a lidar com a questão e a respeitar a validade do documento. "Este ano vamos capacitar alguns policiais em algumas delegacias. Os novos policiais militares já recebem informações nesse sentido, mas isso carece de mais capacitação", admitiu. O estado tem 6 mil policiais civis e 24 mil policiais militares. 

    "Não é de um dia pro outro, mas à medida que a mídia divulgue e que fique claro que a Secretaria de Segurança Pública adota esse sistema, as coisas vão mudar", disse Michels, acrescentando que este é apenas o início para que o preconceito e a intolerância sejam extirpados do estado gaúcho.

    A advogada Maria Berenice Dias, especialista em direito homoafetivo, destacou a importância da iniciativa. "A ideia é levar a aceitação a todas as autoridades públicas", disse. A ex-desembargadora lembrou que travestis e transexuais de outros estados também podem usufruir desse benefício. É preciso solicitar Carteira de Identidade no mesmo pedido da CNS.

    "Esse é um grupo marginalizado, sofre desde cedo com a expulsão de casa, a perda de convívio familiar, sofre humilhações na escola e dificuldades no mercado de trabalho", disse Berenice. Ela defende a existência de uma lei federal que combata a homofobia e garanta direitos, como o uso do nome social.

    Como pedir
    Segundo a Secretaria de Segurança Pública, desde segunda-feira (17), os Postos de Identificação Regionais de Santana do Livramento, Caxias do Sul, Pelotas, Passo Fundo, Santa Maria, Santo Ângelo, Novo Hamburgo, Osório e Rio Grande passaram a receber encaminhamentos para a Carteira de Nome Social. A emissão do documento destinado a travestis e transexuais começou em Porto Alegre no dia 16 agosto. 

    Para solicitar a CNS são necessários certidão original, conforme o estado civil, ou a Carteira de Identidade, em bom estado de conservação e expedida no Rio Grande do Sul. A primeira via será gratuita e a segunda via custará R$ 45,50, mesmo preço da Carteira de Identidade. A CNS terá prenome, foto, assinatura e número do RG. 

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h42
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    GADvS promove neste mês debate sobre aspectos legais e políticos da criminalização da homofobia


    Mais uma vez o GADvS – Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual promoverá uma atividade de difusão cultural e do interesse de LGBTs. O debate, que terá como tema

     

     

    “OS ASPECTOS LEGAIS E POLITICOS DA CRIMINALIZAÇÃO DA HOMOFOBIA”

     

    acontecerá no próximo dia 26 de setembro, quarta feira, a partir das 19:00hs, com a participação de Paulo Roberto Iotti Vecchiatti eMarcelo Gerald sobre OS ASPECTOS LEGAIS E POLITICOS DA CRIMINALIZAÇÃO DA HOMOFOBIA, analisando desde os termos do projeto de lei atualmente em discussão aos argumentos contrários, e falando da tramitação, oposição e perspectivas do mesmo no Congresso Nacional, bem como sobre as perspectivas do mandado de injunção n.º 4733, impetrado perante o Supremo Tribunal Federal pleiteando o reconhecimento do dever constitucional do Congresso Nacional em efetivar referida criminalização.

    O debate será realizado na sede do Sindicato dos Advogados de São Paulo SASP, na Rua da Abolição, no. 167, Bairro do Bixiga, Centro, São Paulo, Capital, e a participação é gratuita.

    Será fornecido certificado aos participantes que o solicitarem.

     

    Paulo Roberto Iotti Vecchiatti, Mestre em Direito Constitucional pela Instituição Toledo de Ensino/Bauru, Advogado do Centro de Combate à Homofobia e da Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual da Prefeitura de São Paulo, Membro do GADvS – Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual

    Marcelo Gerald, ativista LGBT, titular dos sites www.plc122.com.br e www.eleicoeshoje.com.br

    Fonte: GADVs



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 19h58
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    PLC122:

    Marta deixa o Senado e a relatoria do Projeto

    Por Marcelo Gerald

    Semana passada Marta Suplicy (PT-SP) aceitou o convite para assumir o Mininstério da Cultura, o fato repercutiu nas redes sociais e muitos demonstraram preocupação, pois deixará também a relatoria do PLC122 e no seu lugar ficaria Antonio Carlos Rodrigues (PR-SP), atualmente vereador em SP e que além de não apoiar Direitos LGBTs votou a favor da aprovação do dia do Orgulho Hétero na cidade de São Paulo no ano passado, o Dia do orgulho vergonhoso não veio graças ao veto do prefeito Kassab.

    A saída de Marta Suplicy que sempre teve um discurso pró-LGBT e a possível entrada de um homofóbico declarado deflagra como são feitas as alianças políticas no Brasil, essa aliança é um exemplo claro de políticos sem nada em comum ideologicamente, que se uniram apenas parar ganhar uma eleição.

    O temor de que alguém anti-LGBT assumisse foi sanado graças a declaração do vereador em que afirmou estar em exercício de mandato na cidade de São Paulo e que não quer que seus leitores pensem que ele abandonou seus compromissos.  Atitude nobre, bem diferente da assumida pela então Senadora.

    Marta conversa com Lídice da Mata sobre a relatoria do PLC122

    Marta saiu, mas e agora? Se formos avaliar a trajetória da atual ministra, Marta foi extremamente importante para o movimento LGBT, pois foi uma das primeiras a levantar bandeira para essa minoria, mas se formos avaliar do ponto de vista prático, a sua fama lhe rendeu muitos votos, mas na pratica nenhuma de suas ações ou projetos foram adiante, hoje penso que foi até bom que tenha sido assim, pois se seu projeto de união civil tivesse sido aprovado no Congresso, hoje LGBTs teriam menos direitos , uma vez que a decisão do STF que reconheceu a União Estável foi um avanço bem maior do que previa no PL da ex-Senadora.

    Marta nunca colocou o PLC122 em votação, no ano passado tentou costurar um acordo entre Demóstenes Torres, a bancada teocrática e a cúpula da ABGLT, o acordo excluía o movimento de forma abrangente, tanto que várias entidades ligadas a ABGLT se mostraram surpresas com o projeto e ficaram contrárias ao texto por alegarem que não protegia contra vários tipos de homofobia ou de incitação à violência homofóbica.

    Mesmo tendo pouco apoio do movimento, Marta tentou levar a discussão adiante, numa audiência que parecia um circo catastrófico do fim do mundo. Esse teria sido apenas mais um de seus erros na condução do projeto, Suplicy parecia querer aprovar a qualquer custo, tentou mudar o nome do projeto, tentou mais de um texto ineficaz, e o pior que fez foi ignorar a negociação feita pela ex-Senadora Fátima Cleide (PT-RO) entre a militância e religiosos e que resultou no texto, atualmente aceito pela militância, essa atitude atrasou o andamento do projeto e obrigou a repetição de discussões já feitas anteriormente para, no final, ficar decidido que o projeto de Fátima Cleide seria o oficial.

    A saída de Marta Suplicy inspirou o Senador Magno Malta (PR-ES), que chegou a pedir a relatoria do projeto, eu particularmente duvido que Paulo Paim (PT-BA) entregue a um Senador, que diz não ser homofóbico, mas chama direito idênticos aos já garantidos a heterossexuais de privilégios a gays, caso o faça Paim finalizaria de vez a agenda anti-LGBT dessa Legislatura e do Governo Dilma, o qual está ligado.

    Eu soube através de assessores que Randolfe (PSOL-AP) foi cotado para assumir a relatoria, mas que as Senadoras Ana Rita (PT-ES) e Lídice da Mata (PSB-BA) demonstraram interesse e por serem titulares têm prioridade, tudo indica que ficará com Lídice da Mata, eu vejo com bons olhos, pois a Senadora demonstra envolvimento direto com questões relativas a Direitos Humanos e diferente de Marta Suplicy frequenta as reuniões da frente Parlamentar LGBT, portanto sabe das dificuldades da Frente e está a par dos anseios do movimento.

    E que a militância aprenda com os próprios erros, nós precisamos de mais ação, agenda e pressão e menos discurso, promessa e estrelismos ou madrinhas que acabam apenas favorecendo a agenda de um partido político.

    Fonte: PLC122



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 18h42
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    HOMOFOBIA

     

     

    Rapper Lil Wayne é acusado de fazer letra homofóbica contra o assumido Frank Ocean

     

    Rapper Lil Wayne é acusado de fazer letra homofóbica contra o assumido Frank Ocean

    Faz cerca de dois meses que o rapper Frank Ocean, que já trabalhou com Beyoncé, se assumiu gay em um verdadeiro ato de coragem - já que o hip-hop é tido como um dos ambientes mais homofóbicos da música.

    Mesmo assim, a comoção parece ainda não ter acabado. Ainda em julho, ao ser indagado na França sobre a saída do armário de Ocean, Chris Brown teria soltado um "Man, no homo!", gíria que, no mundo do hip-hop, é usada para rejeitar tudo que possa ser considerado gay.

    Em seguida, Brown publicou em seu Twitter uma declaração para afastar a acusação de homofobia: "Minha opinião sobre todo o assunto envolvendo Frank Ocean é... Ame quem você quer amar".

    No início deste mês, foi a vez de Stevie Wonder, que chegou a sugerir que Ocean estaria "confuso" sobre sua sexualidade, em uma polêmica declaração ao jornal inglês The Guardian. Stevie se retratou em seguida para a revista The Advocate: "Claramente, amor é amor, entre um homem e uma mulher, uma mulher e um homem, uma mulher e outra mulher e um homem e outro homem. Não estou confuso sobre o fato de que o mundo precisa de muito mais amor".

    Agora, Ocean volta a ser referido, dessa vez na música Turn On The Lights, do rapper Future, em que o também rapper Lil Wayne (foto) tem participação especial.

    Na versão remixada, apresentada no último fim de semana, Wayne canta os versos que compôs: "Tell her I skate/ I ain't got no worries/ No Frank Ocean, I'm straight" ("Diga a ela que faço skate / Não tenho preocupação / Não sou Frank Ocean, sou hétero", em tradução livre), uma clara referência à saída do armário de Ocean, cujo álbum, Channel Orange, tem alcançado sucesso de público e crítica.

    Não é a primeira vez que Lil Wayne é acusado de compor letras homofóbicas. EmGeorgia Bush, ele diz: "Got money out the ass/no homo but I'm rich".

    Outras figuras do hip-hop, porém, têm sido mais simpáticas a Ocean. Jay-Z divulgou um texto de apoio na internet e, nas redes sociais, Tyler The Creator mostrou-se feliz com a coragem do amigo.


    Fonte: ACAPA

     

     



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 18h36
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    "Demonização eleitoral dos gays", por Gilberto Dimenstein

     
     
    Por Gilberto Dimenstein
     
    A nota da Igreja Católica contra Celso Russomanno é baseada num artigo leviano do bispo licenciado da Igreja Universal e coordenador de sua campanha, acusando os padres de estimular a distribuição do chamado "kit-gay". Essa é uma obsessão religiosa de evangélicos, católicos, islâmicos e judeus --e fonte de perversidades.
     
    Está aí um bom momento para debater essa questão, já que, por conta das eleições municipais, entrou na agenda --e da pior forma possível. Os homossexuais são vítimas cotidianas de diferentes tipos de violência, a começar nas escolas, onde se formam ou se reforçam os preconceitos. O que devem fazer os governantes? Ficar de braços cruzados em nome dos princípios religiosos?
     
    O sensato --mais do que sensato, a obrigação-- dos governantes é tentar ajudar os estudantes a saber conviver e respeitar a diversidade. Ou devemos levar para dentro das escolas cartilhas religiosas que estimulem a segregação?
     
    O chamado "kit gay" foi preparado por educadores e especialistas para evitar a violência que acompanha a demonização das minorias. Mas como evangélicos fazem parte da base do governo, Dilma Rousseff ajudou a enterrar essa material. Como se sabe, o PRB apoia seu governo.
     
    Mas como religião vira cada vez mais assunto eleitoral, com a conivência dos candidatos e dos partidos, somos obrigados a ver olhares medievais orientando políticas públicas.
     
    O pior é que os gays, já massacrados normalmente, não sabem nem reagir e apanham calados. Mas eles ajudam a projetar o melhor de São Paulo: ser uma cidade da diversidade.
    Fonte: Homorrealidade



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 17h59
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Contradição: "Nada é pior que crescer com dois pais", diz ator gay Rupert Everett

     

    O surto psicológico ou a homofobia são bem democráticos. Afetam até os homossexuais! O ator gay assumido Rupert Everett se saiu com essa frase: “Nada é pior do que ser criado por dois pais”. Isso mesmo, um gay famoso falando uma asneira dessa.
     
    A declaração, dada à revista do jornal Sunday Times, foi logo rebatida por gente com dois neurônios: não há uma pesquisas sérias que demonstrem o que Everett afirma com tanta convicção e que causa tamanho desserviço à causa!
     
    Fonte: Homorrealidade



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 17h58
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Revoltado com discurso de Garotinho contra gays, coordenador abandona campanha no Rio

     
     
    Vídeo com discurso anti-gay de Garotinho provoca demissão de coordenador da campanha do DEM no Rio
     
    No programa de TV do DEM carioca, que tem Rodrigo Maia como candidato à Prefeitura, exibido na sexta-feira da semana passada, o ex-governador Garotinho atacava o atual prefeito Eduardo Paes (PMDB) por ele ter desenvolvido políticas públicas LGBT em seu governo e pedia para que eleitores não votassem nele, que é atual líder das pesquisas.
     
    O vídeo fez com que o coordenador da campanha de Rodrigo Maia, Marcelo Garcia, deixasse o cargo. “O prefeito (Eduardo Paes) vai na passeata gay, apoia a formação da família gay, vende o Rio como a capital mundial do turismo gay. E depois vai para a igreja evangélicas e diz: ‘Glória a Deus! Aleluia!’? Isso é hipocrisia. A quem o Eduardo Paes quer enganar?” atacou Garotinho no vídeo.
     
    Em sua carta de demissão, Marcelo fala diretamente a Garotinho. "O senhor tenta usar a insegurança diária da comunidade gay num oportunismo político com o prefeito Eduardo Paes. Na prefeitura Cesar Maia apoiávamos a Parada Gay. Inclusive eu ia dar o beijo de abertura. Na prefeitura Cesar Maia iniciamos o projeto mais importante no país de proteção a travestis. Na prefeitura Cesar Maia garantimos muitos direitos de gays e lésbicas. Tenho um enorme orgulho de tudo que fiz no governo. Eu fico triste em ver um homem como o senhor usar a comunidade gay para confrontar uma campanha eleitoral de adversários".
     
    "Na última sexta feira, ficou claro que nós dois sempre seremos de lados opostos nesta vida. Eu acredito na igualdade e no direito universal das pessoas serem respeitadas. O senhor não acredita numa vida de igualdade. O senhor deixa claro que tem outra posição sobre gays, lésbicas, travestis e transexuais", disse ele, na carta.
    Fonte: Homorrealidade



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 17h56
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Canadá:

    Jogador pinta rosto com frase ‘você é viado’ e pode ser punido

    Yunel Escobar 02Colocar fita adesiva abaixo dos olhos dos jogadores de baseball reduz o brilho do sol e luzes dos estádios. Só que, no sábado, 8, o atleta Yunel Escobar, do Toronto Blue Jays, usou no rosto a frase “Tu ere Maricon” ou “Você é viado”.

    A direção do clube está investigando o que levou o atleta a usar no rosto a frase considerada homofóbica.

    Uma nota foi divulgada sobre o gesto do jogador de 29 anos que é cubano.

    “O Toronto Blue Jays não apoia nenhum tipo de discriminação nem tolera a mensagem exibida pelo Yunel Escobar durante o jogo de sábado” diz a nota.

    Nas redes sociais, o jogador foi alvo de várias críticas. Também teve quem dissesse que a frase, em espanhol, tem mais o tom de brincadeira do que de agressão.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 17h54
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Minas Gerais:

    Parada do Orgulho LGBT reúne milhares de pessoas em Uberlândia

    Concentração do evento lotou a Praça Clarimundo Carneiro. Além de festa, houve momentos de conscientização.

    Parada Gay Uberlândia 2012A 11ª edição da Passeata do Orgulho Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Transgêneros (LGBT) foi realizada neste domingo (16), em Uberlândia. O tema deste ano foi "Homofobia tem cura: educação e criminalização". A concentração do evento lotou a Praça Clarimundo Carneiro e milhares de pessoas participaram do encontro que, além de festejar, promoveu a conscientização.

    A mobilizadora social Alexia Dias contou que o trabalho e o movimento buscam meios de acabar com o preconceito. "O nosso trabalho é levar informações para a população e mostrar que somos todos iguais. É importante ressaltar que a imprensa tem um papel muito importante para divulgar o nosso movimento", disse.

    A Miss Beleza Gay, Amanda Vidal, contou que já foi vítima de preconceito por causa da opção sexual, mas que deu a volta por cima com a ajuda da família. "Esse movimento é para que as pessoas vejam que o gay não é aquele 'bicho papão', afinal o gay está em toda sociedade e desenvolvendo diversos trabalhos. É sempre difícil você se assumir para família, mas hoje em dia eu venci vários obstáculos e minha família me apoia", contou.

    Santora Ferraço, que é travesti e amiga de Amanda, contou que também passou por cima das dificuldades. "Tem 12 anos que eu trabalho na área de evento como de drag queen e graças à Deus eu superei isso", comentou.

    O estudante Gabriel Adolfo esteve no evento com a namorada e, segundo ele, é importante casais heterossexuais participarem para mostrar que não há preconceito. "Não temos preconceito e Uberlândia é uma cidade que está crescendo então acho errado que as pessoas ainda tenham esse tipo de pensamento. Acho normal e cada um tem que ser feliz do jeito que é", disse.

    A estudante Patrícia Porto levou os dois filhos pequenos e ressaltou a necessidade de ensinar desde cedo o respeito ao próximo. "É importante que a criança desde cedo se acostume porque todos nós somos iguais independente da nossa opção sexual", ponderou.

    O aposentado Rubens Alluvey também foi conferir o evento e disse admirar a alegria e animação que viu na comemoração. "Nós resolvemos vir a para gay porque é uma coisa muito alegre e espontânea. Não tem maldade e você vê que no meio desse pessoal não tem violência", concluiu.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h05
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    ELEIÇÕES 2012

    Candidatos a prefeitura de São Paulo falam sobre violência contra gaysViolência homofóbica é tema para candidatos a prefeito de São Paulo. Leia as respostas

    O Portal da Band, ligado ao grupo Bandeirante, envia toda semana perguntas feitas por leitores para que os candidatos à Prefeitura de São Paulo a respondam. Nesta semana a questão foi sobre a violência homofóbica que os homossexuais paulistanos estão expostos.
    A pergunta do leitor Marcio Fachini foi: "Após os vários casos de agressão registrados aos homossexuais, principalmente na Avenida Paulista, gostaria de saber qual é o seu plano de governo a favor dos gays em geral?"

    Entre os candidatos melhor colocadas nas pesquisas, Haddad e Soninha apresentaram propostas concretas para a questão. Já Russomano foi absolutamente evasivo. Serra falou em "apoiar a Parada Gay" em sua resposta. Veja abaixo a íntegra.

    Ana Luiza (PSTU)
    Consideramos a violência homofóbica inaceitável. Participamos de todos os protestos que ocorreram contra as agressões registradas na região da Paulista. Nosso programa para a prefeitura busca a criminalização da homofobia. A votação do PLC 122 está paralisada no Congresso Nacional devido às negociações entre o governo federal e a bancada evangélica. O mesmo ocorreu com o kit anti-homofobia nas escolas cuja implementação foi paralisada por conta dessas mesmas negociações. Isto demonstra a falta de compromisso da presidenta Dilma e de seu candidato em São Paulo, Fernando Haddad. No âmbito da Prefeitura, defendemos utilizar todos os recursos da secretaria de negócios jurídicos para punir todos os agressores. Além disso, queremos um programa de saúde específico para a comunidade LGBT, que não se limite aos programas de combate às DSTs. Vamos buscar também a implantação do kit anti-homofobia em toda a rede municipal de ensino.

    Celso Russomanno (PRB)
    Segurança pública é dever do governo do Estado, mas como prefeito vou tomar iniciativas para ajudar no combate à violência e ao crime. Uma delas é equipar e preparar a Guarda Civil Metropolitana para atuar nas ruas da cidade. Também vamos investir em mais equipamentos de monitoramento por câmeras para identificar eventuais agressores. Ampliar mecanismos de comunicação entre a GCM e as polícias civil e militar para que haja integração e iluminar melhor a cidade. São medidas simples que certamente vão inibir novas agressões como têm acontecido.

    Fernando Haddad (PT)
    Todos sabem que o PT é um partido historicamente pioneiro na luta pelos direitos civis da comunidade LGBT. Infelizmente, parte da nossa sociedade ainda é intolerante e preconceituosa, e por isso precisamos garantir a cidadania e combater a todas as formas de discriminação. Vamos criar Centros de Referência e Combate à Homofobia em todas as regiões de São Paulo e colocaremos em prática o Plano Municipal de Combate à Homofobia, elaborado nas Conferências Municipais de 2008 e 2011, mas que a gestão Serra- Kassab não tirou do papel. Trata-se de uma política transversal que vai permear todas as áreas da administração pública, desde a formação de professores e guardas civis para tratamento igualitário até a realização de campanhas de tolerância e convivência pacífica junto a estudantes da rede municipal e suas famílias. Nosso objetivo é fortalecer a cultura da solução dialógica, pacífica e preventiva de conflitos, além do respeito, da tolerância, do pluralismo e dos direitos humanos nas práticas educacionais.

    Gabriel Chalita (PMDB)
    Trabalhar a tolerância às diferenças nas salas de aula é uma das propostas para combater o bullying e os crimes de ódio. Fui o primeiro educador a trabalhar com isso. Aprovei a primeira lei antibullying, que já previa a questão da homofobia e a tolerância às diferenças. No entanto, esse trabalho deve ser feito da maneira correta, com a formação de professores e incentivo ao respeito. Vou coibir ações violentas trabalhando em parceria com o governo estadual, responsável pelo policiamento. Quero propor o aumento do efetivo da Guarda Civil Metropolitana de 6 mil para 15 mil, como determina a lei municipal, e investir em tecnologia e inteligência. Planejo também criar uma central de inteligência em que câmeras ajudem no monitoramento da cidade. Uma das ideais em estudo é instalar câmaras externas nos cerca de 15 mil ônibus que circulam na capital.

    José Serra (PSDB)
    Em relação aos casos de agressão, pretendo investir na ampliação do sistema de câmeras inteligentes de vigilância da Guarda Civil Metropolitana, capazes de monitorar ocorrências eletronicamente, o que permite o acionamento imediato, pela equipe da Guarda Civil, das forças policiais. Isso vale para quaisquer casos de violência, depredação e atividade criminosa na cidade. Em relação ao tema da diversidade sexual, como Prefeito fui pioneiro nesse tema, ao criar a Coordenadoria Municipal da Diversidade Sexual, a primeira do País. Esse é um segmento que precisa de atenção e de políticas públicas específicas, seja no combate ao preconceito, seja em ações que lidem com a especificidade das suas demandas. Também sempre apoiei a Parada do Orgulho Gay, que continuará tendo toda a colaboração do poder público na minha gestão como Prefeito.

    Levy Fidelix (PRTB)
    A igualdade entre brasileiros é o primeiro postulado do nosso regime democrático, e aparece na Constituição Federal. Seu enunciado diz que “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.”

    Soninha Francine (PPS)
    Pretendo combater a discriminação com educação nas escolas, com a formação de professores, diretores e coordenadores. Quero garantir o direito constitucional de matrícula a todos os alunos independente da orientação sexual. Vamos promover campanhas educativas para os servidores e a população em geral. Quero também promover os valores de respeito à diversidade com a organização de mostras. Incluir os Jogos da Diversidade como parte do calendário oficial de São Paulo. Garantir o atendimento respeitoso nas unidades de saúde. Punir administrativamente estabelecimentos em que haja ocorrência de discriminação por orientação sexual. Criar selo “eu respeito” para hotéis e restaurantes. E dar apoio aos eventos turísticos como a Parada Gay.

     

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h08
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    MPF abre inquérito civil sobre livro que incita ódio aos LGBTs

    Livro de reverendo norte-americano é a “bíblia” da estratégia política de igrejas evangélicas 

    Sérgio Suiama, Procurador da República (Foto: Milton Bellintani)

    Sérgio Suiama, Procurador da República
    (Foto: Milton Bellintani)



    O Ministério Público Federal solicitou inquérito civil público sobre o livro “A Estratégia – O plano dos homossexuais para transformar a sociedade”, de autoria do Reverendo Louis P. Sheldon. O parecer do procurador da República Sergio Gardenghi Suiama acata pedido da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) que alega que a obra “perpetra uma inegável incitação ao ódio, ao preconceito e à discriminação com os homossexuais”.

    “The Agenda” é, há anos, a cartilha da estratégia política de igrejas evangélicas fundamentalistas nos EUA. No Brasil, lideranças políticas religiosas têm adotado, recentemente, a estratégia de considerar o segmento LGBT como alvo preferencial de ataque. Para eles, lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais são a principal ameaça ao estilo de vida em suas igrejas, desde que se tornaram mais organizados, realizam Marchas e Paradas do Orgulho e fazem advocacy em governos e parlamentos.

    Lógica neonazista
    No ofício, a entidade cita especificamente trechos do livro nos quais constam as afirmações: “Os promotores da estratégia, do plano homossexual, são pessoas cheias de ressentimento e ódio, misturados com autorrejeição e vergonha, e não desistirão até que tenham erradicado cada traço de moralidade e autocontenção” e “O problema não é simplesmente o tipo de sexo preferido pelos homossexuais, mas o estilo de vida que abraçam. Doenças, infecções, vícios em drogas e álcool, e ferimentos são comuns. Além disso, a evidência de disfunções sociais e emocionais é igualmente aterrorizante”.

    O procurador afirma em sua representação, que os trechos destacados evidenciam que a obra em questão não está voltada somente à defesa de uma posição política. O autor qualifica o que chama de “estilo de vida gay” como “repugnante”, “perigoso”, “vulgar” e “assassino”, e afirma textualmente que LGBTs são “sexualmente imaturos”, moralmente irresponsáveis e emocionalmente instáveis”. São também, segundo sugere o autor, responsáveis pela transmissão de doenças e molestadores sexuais de crianças.

    “Vê-se, desse modo, que a manifestação atingiu o âmbito de proteção dos direitos fundamentais à honra e à dignidade de um número indeterminado de pessoas homossexuais, já que as ofensas contidas no livro não estão voltadas a esta ou aquela pessoa, mas sim a toda a coletividade de homossexuais masculinos e femininos”, diz Suiama.

    Toni Reis, presidente da ABGLT, considera o presuposto do título, – de uma conspiração homossexual -, uma postura tão nefasta quanto aquela que inventou os também inexistentes, mas difamatórios, “Protocolos dos Sábios de Sião”, inventados para difamar os judeus até meados do século XX para aterrorizar os não-judeus sobre um suposto (e inexistente) “plano” dos mesmos para dominar o mundo – a analogia nos parece evidente pelo próprio título do livro falar de um absurdo “plano” de LGBTs para transformar a sociedade.

    A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão considerou cabível análise do material com vistas à tutela coletiva dos direitos fundamentais à honra e à dignidade das pessoas LGBTs. O MPF pediu ainda que a publicação de resposta coletiva de LGBTs proporcional ao agravo encartada no próprio livro ou em jornal de grande circulação e indenização decorrente do dano moral causado à coletividade.

    O livro foi lançado em março deste ano e trata-se, segundo a editora, de uma publicação de 288 páginas de análise de 33 anos do escritor sobre o tema.
    Fonte: Gay1



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h52
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Prefeitura de São Paulo capacita bares e restaurantes para receber LGBT

    concurso capacitação SPA Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual da Prefeitura de São Paulo participou na última quinta-feira, 13 de setembro, do III Encontro de Ações Afirmativas para uma Cidade Sustentável e Humanizada, no Sindicato das Nutricionista no centro da capital paulista, com o intuito de orientar estabelecimentos de alimentos e bebidas sobre as especificidades e direitos da população LGBT.

    Segundo os organizadores, pela primeira vez a CADS reuniu proprietários de bares e restaurantes para capacitá-los a receber o público LGBT diariamente e em eventos de grande porte, como a Copa do Mundo em 2014. No evento, os comerciantes foram informados sobre boas práticas de respeito à diversidade sexual, como o uso do nome social para travestis e transgêneros, disposto no Decreto Municipal 51.180/2010, e as punições aos atos discriminatórios em razão da orientação sexual, aplicados segundo a Lei Estadual 10.948/2001.

    "Apesar do projeto de lei de criminalização da homofobia ainda não ter sido aprovado em esfera federal, há legislações e mecanismos para garantir o respeito a esse segmento", destacou Ana Cristina Mendes, do Núcleo de Serviço Social do Centro de Referência em Direitos Humanos de Prevenção e Combate à Homofobia.
    A coordenadoria distribuiu ainda uma cartilha com dicas de relacionamento e respeito à comunidade gay.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 20h56
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Gays iraquianos são alvos de milícias e soldados no Iraque pós-Saddam

    • BBC

    Autoridades do Iraque têm feito uma "caça às bruxas" contra os homossexuais, com perseguição sistemática e mortal a homens e mulheres, revela uma reportagem investigativa da BBC.

    Ativistas dizem que centenas de homossexuais foram mortos nos últimos anos, enquanto o governo, que conta com apoio ocidental, tem ignorado o assunto. Para as Nações Unidas, a negligência quanto à violência torna o Estado iraquiano um dos responsáveis pelos crimes.

    A investigação da BBC mostra que no Iraque pós-Saddam Hussein ser homossexual - ou mesmo parecer homossexual - pode significar uma sentença de morte no país.

    Em alguns casos, homossexuais foram mortos pelos próprios familiares, nas chamadas "mortes pela honra", ou pela ação de milícias. Mas a perseguição também parece ocorrer sob os mandos de forças de segurança oficiais - ainda que o governo se recuse a admiti-lo.

    Dezessete homossexuais entrevistados pela reportagem se disseram perseguidos individualmente, e todos dizem ter amigos ou parceiros mortos.

    Ainda que o governo diga que desarticulou milícias que fazem esse tipo de perseguição, um ex-policial, que conversou com a BBC em condição de anonimato, disse ter abandonado a corporação depois de ter recebido ordens diretas para prender dois homossexuais. Um deles foi morto na cidade onde era "procurado".

    "Durante a ocupação americana, estávamos muito ocupados. Agora, com tempo livre, a polícia passou a perseguir gays", disse o ex-policial.

    Abrigo

    Com isso, a comunidade gay do Iraque fica cada vez mais escondida e assustada. Uma vez que um homossexual entra na "lista de procurados", ele ou ela não tem para onde escapar.

    Muitos relatam buscas oficiais em suas casas, além de casos de estupro. Outros temem ser identificados nas dezenas de postos de checagem que têm como objetivo garantir a segurança de Bagdá. "Não tenho liberdade. Não posso viver a minha vida", disse um deles à BBC.

    Há apenas um abrigo para homossexuais em Bagdá, com capacidade para três pessoas. Outros abrigos foram alvos de ofensivas e fechados pelo governo.

    Segundo um relatório de 2009 da ONG Human Rights Watch, é possível que centenas de homossexuais homens tenham sido mortos desde a invasão americana, em 2003.

    Mas o Ministério de Direitos Humanos do Iraque afirma não poder ajudar os homossexuais, porque o grupo não é considerado uma minoria sob os olhos do governo. Alega, porém, que denúncias de morte foram encaminhadas ao Ministério do Interior.

    O premiê iraquiano, Nuri al-Maliki, que tem comando direto sobre o Ministério do Interior, não respondeu aos pedidos de entrevista. Seu porta-voz, no entanto, disse à BBC que não existe nenhuma perseguição sistemática a homossexuais e que estes devem "viver suas vidas normalmente".

    Conservadorismo

    Ao mesmo tempo, no distrito de Cidade Sadr, em Bagdá, um clérigo islâmico disse à BBC que o "terceiro sexo" - como o homossexualismo é chamado - é "totalmente rejeitado pelo islã".

    Ainda assim, a cultura religiosa e conservadora do Iraque não explica por si só a perseguição aos gays, dizem analistas.

    No Líbano, por exemplo, o grupo radical Hezbollah é razoavelmente tolerante ao homossexualismo. No Irã, onde a prática homossexual é ilegal e comumente punida, a cena "underground" gay também é tolerada. Até na ultraconservadora Arábia Saudita a perseguição não parece chegar nos níveis do Iraque.

    Durante o governo de Saddam (1979-2003), homossexuais desfrutaram de algum grau de liberdade e segurança e, após a invasão americana, grupos liberais esperavam que essa liberdade aumentasse.

    Mas forças conservadoras islâmicas que ganharam o poder se mostraram resistentes a aceitar valores supostamente ocidentais, incluindo o homossexualismo.

    Fonte: UOL



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 15h13
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    ELEIÇÕES 2012

    Candidaturas LGBT se espalham por 24 partidos em 24 estados

     

    Candidaturas LGBT se espalham por 24 partidos em 24 estados

    Números divulgados nesta quinta-feira pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) dão conta de que 155 candidaturas LGBT se apresentam para o eleitorado nesta eleição. Espalhados por 24 partidos e por 24 estados, os candidatos trazem a pauta da diversidade sexual para o centro das discussões.

    "Embora tenhamos feito essa lista de candidaturas LGBT e aliadas à causa LGBT com o objetivo de orientar o eleitorado LGBT, é importante que as pessoas procurem conhecer a história de luta e as propostas dos/das candidatos/as antes de votar neles. Não basta ser uma candidatura LGBT. A recomendação também é que não sejam candidaturas corporativistas voltadas apenas para a população LGBT, mas que ampliem para outras populações, assim como abranjam os temas sociais, como a saúde, educação e segurança pública", argumenta o presidente da ABGLT, Tony Reis.

    Apenas um dos concorrentes disputa o cargo de prefeito, em João Pessoa, enquanto os outros 154 candidatos tentam se eleger para as Câmaras de Vereadores. São 85 candidaturas de gays, 25 lésbicas, 24 transexuais, 16 travestis, 4 bissexuais e 1 uma Drag Queen.

    O estado com maior número de candidatos é a Bahia, com 34 postulantes, seguido por São Paulo (27), Minas Gerais (18) e Rio Grande do Sul (12). Entre os partidos, os que apresentam candidaturas assumidamente LGBT são PT (27), PSOL (19), PSB (15), PCdoB (134), PV (9), PSDB (6) e o Democratas (3).

    Além desses candidatos, 43 concorrentes assinaram o Termo de Compromisso da campanha "Voto contra a homofobia, defendo a cidadania", comprovando um avanço iniciado em 1996, quando oito ativistas LGBTs participaram daquela disputa eleitoral.
    Fonte: Gay1



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 15h11
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Masturbação Equipada: confira os produtos espertos que vão turbinar o seu prazer

     

    Masturbação Equipada: confira os produtos espertos que vão turbinar o seu prazer

    Cada vez mais as técnicas de masturbação se aprimoram e com elas surgem acessórios pra lá de divertidos para incrementar o ato. 

    Entre esses "brinquedinhos", o campeão de vendas e aceitação é o famosoTENGA EGG. No caso deste produto, a primeira impressão não é a que fica. Ao olhar, você pode pensar: o que esse ovo pequeno pode me proporcionar? Tudo! O Tenga Egg promete prazer extremo tanto sozinho como acompanhado. Funciona assim: dentro do Tenga Egg existe um gel, que deve ser colocado na parte inferior do ovinho. Após isso, é só encaixar no pênis e começar a masturbação. O Tenga Egg também pode ser usado no parceiro, na hora da penetração. R$ 38

    YOUCUPS é o nosso segundo da lista. Feito de UltraSkin (material que imita a pele humana), o masturbador masculino é altamente seguro e confiável. Em formato de um copo, ele é flexível, resistente e aumenta a capacidade de resistência sexual de todos os homens, evitando a fatídica ejaculação precoce. R$ 98

    NEW ORO-STIMULATOR é bafo! O masturbador simula o sexo oral através de uma bomba de sucção em formato de pêra. Funciona assim: basta encaixar a mangueira com a bomba no estimulador de acrílico, colocar o pênis e apertar a bomba para começar a brincadeira de sucção. A sensação é tão boa quanto um sexo oral feito por seu parceiro. R$ 68

    CAPA PENIANA EXTENDER traz pontos estimuladores e por ser bastante elástica se adapta em vários tamanhos de pênis, podendo ser usada também em vibradores. R$ 21

    Já o G-MAN MASSAGEADOR MASCULINO é um estimulador que melhora sua vida sexual aumentando a sensibilidade e, assim, facilitando o orgasmo. Ele é feito de plástico rígido levemente ondulado. Ele é perfeito para massagear a próstata e o períneo. A próstata é o centro sexual masculino e é responsável por controlar a ejaculação e o orgasmo. Cuide bem dela para desfrutar de prazeres mais intensos. R$ 48

    Dentre os milhares de lubrificantes espalhados pelo mercado, escolhemos o LOVE PASSION. Trata-se de um gel dessensibilizante. Com uma atividade anestésica, ele diminui a sensação de desconforto e elimina dores, melhorando o prazer e o conforto sexual. R$ 28

    Todos esses produtos e muitos outros, que vão ajudá-lo na hora da masturbação, você encontra no site www.atirados.com.br. Corra comprar o seu!


    Em sentido horário: TengaEgg, YouCups, G-MAN, Love Passion, Capa Peniana e New Oro

    Fonte: ACAPA




    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h45
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Confira entrevista com Felipe Zabloski, eleito Mister Brasil Diversidade 2012

     

    Confira entrevista com Felipe Zabloski, eleito Mister Brasil Diversidade 2012

    Na última segunda (10) o catarinense Felipe Zabloski foi eleito o Mister Brasil Diversidade. O moço desbancou outros 19 candidatos na grande final realizada no Teatro Gazeta, em São Paulo.

    Felipe tem 25 anos e há 4 meses se mudou de Floripa para São Miguel do Oeste, no interior do estado de Santa Catarina. 

    O novo Mister estuda jornalismo e tem planos de apresentar um programa de TV sobre saúde e bem-estar. Para quem se empolgou com o rapaz, ele mantém um relacionamento há mais de um ano.

    A seguir confira a entrevista que o Felipe concedeu para o A Capa

    Como foi sua relação com os outros candidatos? Você fez amizades?
    Fiz várias amizades. Na verdade, antes do concurso começar, já havia adicionado alguns candidatos no Facebook e fomos conversando desde então. Acredito que tenha feito uns 8 amigos!

    Mas não rolou nenhum estresse durante os dois dias que vocês passaram juntos em São Paulo?
    Ah, sempre rola algum estresse, ainda mais sendo uma competição. Formam-se grupinhos, de acordo com as afinidades das pessoas, mas tudo muito saudável.

    Você achava que ia ganhar?
    Olha, sinceramente não. Eu fui muito tranquilo, procurei não criar grandes expectativas. Já tinha visto as fotos dos meninos pela internet, tinham vários muito bonitos, que ao vivo me surpreenderam mais ainda.  Mas, realmente, o primeiro lugar foi uma surpresa para mim.

    Você torcia para alguém?
    Eu achava que o Lucas Linutti, do Sergipe, que ficou em segundo, ficaria em primeiro lugar. Ele tem um corpo incrível e um rosto lindo.

    Enquanto Mister Brasil Diversidade, como você acha que pode contribuir para a sociedade ao longo desse ano?
    Além de participar de festas e eventos, acredito que levantar a bandeira do tema desse ano do concurso, o "Casamento Civil Igualitário", é muito importante. Falo por experiência própria. Eu tive um relacionamento de seis anos que terminou de uma forma não muito bacana, que resultou em prejuízos financeiros. Então ter os seus direitos civis assegurados, assim como os héteros, é muito importante.

    Você pretende apresentar um programa de TV?
    Sim. Estou procurando patrocinadores para apresentar um programa sobre saúde e bem-estar numa televisão local, aqui de Santa Catarina.

    Você namora?
    Tenho um relacionamento há mais de um ano, e há 4 meses estamos morando juntos. Morávamos em cidades muito distantes e resolvemos ficar juntos.

    Vocês pretendem se casar?
    Se o casamento civil igualitário for aprovado, nós queremos sim. Nossa cidade fica muito próxima da divisa com a Argentina, e nós acompanhamos de perto toda movimentação em torno do casamento gay que tem rolado por lá. Mas se o casamento não vier, vamos assinar a união estável.

    Dentro do meio gay, você se enquadraria em qual clã? Ou isso não existe para você?
    É complicado rotular, acho que um dos pontos do Mister Brasil Diversidade é justamente acabar com os estereótipos. Quando você se inclui num segmento, acaba se isolando dos demais. Sinto que os gays tem muito preconceito entre eles. O boy magia sarado é respeitado, já a drag queen, a travesti, os meninos que não são tão bonitos, os emos, não são. Acredito que temos que desmistificar isso.

    Que mensagem você deixa para os gays do Brasil?
    É hora da gente se mobilizar. Estamos num ano de eleição. Temos que escolher representantes que lutem pelos nossos direitos, para assim fortalecer a classe. Tem políticos que lutam para vários segmentos da sociedade, mas são poucos os que fazem algo pelos homossexuais. É hora de botar a mão na consciência e saber escolher. 

    Fonte: ACAPA



    Categoria: ENTREVISTA
    Escrito por ligeirinho45 às 22h44
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    PARADA GAY BRASÍLIA

    Confira programação dos fervos da semana da Parada de Brasília

    A capital federal, Brasília, recebe no domingo, 23 de setembro, a sua 15ª Parada do Orgulho LGBTS. Considerado o maior ato de direitos humanos do Distrito Federal, o evento trará o grito: "Sou LGBT e construo o DF. Exijo cidadania".

    A programação ligada ao evento contará com peças de teatro, seminários e festas. Confira abaixo tudo o que agita a semana do orgulho gay em Brasília:


    Sábado, 15 de setembro - 23 h
    7a. Fun Pride
    Com o DJ Hugo Sanchez (Supermartxé, de Madri)
    Disel Brasília (Sof Sul Quadra 9)
    www.festafun.com.br

    Quinta-feira, 20 de setembro - 19h
    Seminário LGBT: Políticas públicas e cidadania LGBT
    Participação de André Fischer, Érika Kokay e deputados distritais
    Teatro dos Bancários (EQS 314/315)

    Sexta-feira, 21 de setembro, sábado, 22, e domingo,23 - 21h
    Peça de teatro “Dois de Paus”
    Júlio e Alex terão suas vidas transformadas depois de um primeiro contato quase casual via internet.
    Teatro do Brasil 21 (SHS 01, Quadra 06, Lote 01)
    www.ingressorapido.com.br

    Sexta-feira, 21 de setembro - 23h
    2a. Let's Club Preparada
    Show com Bonde do Rolê e time de DJs
    Victoria Haus, (SAAN Quadra 01, Lote 930)
    www.victoriahaus.com

    Sábado, 22 de setembro - 23h
    Dsire Pride
    Com DJ Pachecão (The Week-SP)
    Victoria Haus, (SAAN Quadra 01, Lote 930)

    Domingo, 23 de setembro, a partir das 14h
    15a. Parada do Orgulho LGBTS de Brasília
    Tema: “Somos LGBT e construímos o DF. Exijimos cidadania!”
    Eixão, altura da 112 Sul

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 16h28
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    ALEMANHA:

    Técnico do Bayern vê homossexualismo como assunto delicado no futebol


    DA FRANCE PRESSE

    Futebol InternacionalO técnico do Bayern de Munique, Jupp Heynckes, disse nesta sexta-feira que o fato de jogadores "saírem do armário" para revelar que são homossexuais é um "assunto muito delicado" no futebol, mostrando mais cautela do que a chanceler alemã Angela Merkel.

    • "Se eles querem sair do armário, será respeitado, mas estou com receio de que a sociedade e uma pequena parte dos torcedores não tolerem isso", disse o treinador.

    "Se um jogador quiser se abrir comigo sobre esse assunto, tratarei isso de forma muito discreta, sou muito tolerante", completou Heynckes, na véspera da partida entre Bayern e Mainz, em Munique, pelo Campeonato Alemão.

    Na quinta-feira, a chanceler Angela Merkel chegou a incentivar os jogadores a revelar sem medo que são homossexuais, durante um evento sobre integração realizado em Berlim.

    "Acredito que aqueles que têm força e coragem de assumir seu homossexualismo precisam saber que vivem num país em que não tem nada a temer", disse Merkel

    De acordo com o presidente do Bayern, Uli Hoeness, presente no mesmo evento, trata-se apenas de uma questão de tempo para que o primeiro jogador fale sobre o assunto.

    O dirigente alertou sobre a necessidade de "proteger ao máximo" os jogadores.

    Esse debate ganhou mais força na Alemanha depois de um jogador gay da primeira divisão dar uma entrevista a uma revista sob a condição de manter o anonimato.

    Fonte: Folha de S. Paulo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 15h53
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Malásia:

    Ministério da Educação publica lista de ‘sintomas’ da homossexualidade

    Material foi distribuído a participantes de evento sobre pais e filhos gays. 'Ter corpo musculoso e gostar de exibí-lo' é listada como característica gay.

    O Ministério da Educação da Malásia está recomendando uma lista de características que acredita poder ajudar os pais a identificar a homossexualidade em seus filhos.

    De acordo com o “Global Post”, a lista foi distribuída aos participantes de um seminário sob o tema “Como os pais devem abordar a questão dos LGBTs”, e publicada nesta quinta-feira (13) pelo diário chinês “Sin Chew Daily”.

    “Jovens são facilmente influenciados por sites e blogs ligados aos grupos LGBT. Isto pode facilmente se espalhar entre os amigos. Estamos preocupados que isto aconteça durante o período escolar”, discursou o ministro da Educação, Mohd Puad Zarkashi, para cerca de 1,5 mil professores e pais no evento.

    Entre os “sintomas” listados, estão “ter um corpo musculoso e gostar de exibí-lo usando camisetas com gola V e sem mangas”, para os meninos, e “gostar de sair, fazer refeições e dormir na companhia de outras mulheres” para as meninas (veja a lista completa abaixo).

    O “guia” afirma ainda que “uma vez que a criança apresente tais sintomas, [os pais] devem dar atenção imediata”.

    A Malásia, um país predominantemente muçulmano conservador, mantém leis que criminalizam a homossexualidade e permitem ao Estado punir gays com até 20 anos de prisão.

    Este ano, o governo disse que personagens gays podem ser representados em filmes e na televisão, desde que, ao final da história, o personagem se torne heterossexual ou demonstre arrependimento por seus modos homossexuais.

    Caraterísticas
    Veja a seguir a lista de “sintomas” atribuídos pelo ministério malasiano à homossexualidade em meninos e meninas.

    “Sintomas de gays:
    Ter um corpo musculoso e gostar de exibi-lo usando camisas com gola V e sem mangas;
    Preferir roupas justas e de clores claras;
    Sentir atração por homens; e
    Gostar de usar bolsas grandes, parecidas com as usadas por mulheres, ao sair.

    Sintomas de lésbicas:
    Atração por mulheres;
    Se distanciar de outras mulheres que não sejam suas companhias femininas;
    Gostar de sair, fazer refeições e dormir na companhia de mulheres; e
    Não ter afeto por homens."

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 19h34
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Bahia:

    Militantes prometem ficar nus se vereadores de Salvador concederem título ao pastor Silas Malafaia

    ggb nusGreve de fome é coisa do passado, a onda agora é protestar pelado! Pelo menos assim pensa o decano do movimento gay brasileiro, Luiz Mott, 66 anos, fundador e presidente de honra do Grupo Gay da Bahia. A revolta toda é contra a Câmara dos Vereadores de Salvador que decidiu presentear o pastor Silas Malafaia, arquiinimigo de todos os gays com vergonha na cara deste país, com o título de cidadão honorário de capital baiana.

    “Se a Câmara Municipal de Salvador não suspender o absurdo título de Cidadão Soteropolitano a Silas Malafaia, o maior homofóbico do Brasil atual, que não fez nada para Salvador para merecer qualquer honraria, dezenas de gays, lésbicas, travestis e simpatizantes pretendem ficar nus na Câmara para impedir e chamar a atenção do mundo deste absurdo discriminatório”, afirmou o militante em sua rede social e já começou a convidar outras pessoas a fazerem o mesmo.

    A manifestação está previsto para dia 27/9, quando será entregue ao pastor homofóbico, que deverá estar presente, o título proposto pelo vereador Héber Santana (PSC). A comunidade evangélica local já se manifestou dizendo que defende a titulação do pastor e que as pessoas contrárias a homenagem estão sendo preconceituosos com os evangélicos.  Silas Malafaia é fundador da Igreja Assembléia de Deus Vitória em Cristo, e apresenta programas de TV onde prega que Deus é contra os homossexuais, prega que sejam curados e ainda atribui adjetivos pejorativos aos gays a quem chama de abominação, safados, pecadores e pedófilos. Em 2011, o pastor chegou a dizer que a Igreja deveria “baixar o porrete” nos gays por terem usado santos em uma campanha de prevenção ao HIV na Parada LGBT de São Paulo.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 19h12
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Chanceler alemã garante apoio a jogadores homossexuais

    Angela Merkel disse que o futebol deve ser um espelho da sociedade aberta e tolerante alemãA chanceler alemã, Angela Merkel, chega para o segundo dia da reunião de cúpula de chefes de Estado e de Governo em Bruxelas

     

    A chanceler alemã, Angela Merkel: a líder política acredita que o mundo esportivo deve seguir exemplo da política, onde a orientação sexual já não é motivo de polêmica

     

    Berlim - A chanceler alemã, Angela Merkel, a Federação Alemã de Futebol e o Bayern de Munique, garantiram nesta quinta-feira total apoio aos jogadores que decidam assumir sua homossexualidade.

    "Queremos dar uma mensagem clara: ninguém deve temer", disse a chefe do Governo alemão, que completou dizendo que o futebol deve ser um espelho da sociedade aberta e tolerante alemã.

    Merkel participou hoje da apresentação da iniciativa impulsionada pelo Governo, com dirigentes futebolísticos, em favor da integração e a tolerância. A líder política acredita que o mundo esportivo deve seguir exemplo da política, onde a orientação sexual já não é motivo de polêmica.

    "Se um jogador decide reconhecer publicamente que é homossexual, precisará do apoio da Federação e terá todo nosso respaldo", disse o presidente do órgão Wolfgang Niersbach. 

    Fonte: Revista Exame



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 17h45
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Cineasta é preso sob acusação de exibir filme homossexual sem autorização

    Maputo - Está preso em Kampala, capital de Uganda, o diretor de cinema inglês David Cecil. Ele foi formalmente acusado por um tribunal ugandense de infringir a lei ao exibir um filme numa sala da capital sem autorização do Conselho de Mídia de Uganda. Se condenado, pode pegar até três anos de cadeia.

    O filme, de autoria do próprio Cecil, chama-se O Rio e a Montanha, e trata da repressão aos homossexuais no país, onde são punidos com prisão.

    Ativistas de direitos humanos da África e da Europa avaliam que a prisão de David Cecil tenha sido uma tentativa de intimidar os movimentos pelos direitos civis dos homossexuais de Uganda, cuja luta tem ganhado apoio da população nos últimos tempos. 

    No país, de maioria conservadora, recentemente foi apresentado no Parlamento uma proposta de lei que pretendeu punir homossexuais com pena de morte por enforcamento. A ideia teve o apoio do presidente ugandense Yoweri Museveni e de igrejas evangélicas.

    Países que contribuem com dinheiro para o Orçamento Público de Uganda, na maioria europeus, no entanto, ameaçaram suspender o envio de recursos caso a lei fosse aprovada, o que acabou freando a iniciativa.

    Além de Uganda, em outros 36 países africanos o homossexualismo é ilegal. As penas variam de prisão, constrangimentos e humilhações públicas até execução por fuzilamento ou enforcamento.

    Fonte: Correio Braziliense



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 17h43
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Astro de "Star Trek" assume namoro com ator de "Glee"

     

    O ator Zachary Quinto, 35, assumiu o namoro com o colega Jonathan Groff, 27.

    Segundo contou à revista "Out", ele está extremamente feliz. "Sou incrivelmente sortudo", afirmou.

    "Eu tinha o hábito de me sentir atraído por pessoas que, de alguma forma, não estavam disponíveis", disse. "Tive que fazer muita análise para conseguir ter uma relação com alguém que também era capaz de estar em um relacionamento."

    Ele também contou que quer ter filhos no futuro.

    Zachary ficou conhecido pelo papel de Spock na nova versão de "Star Trek" (2009).

    Ele saiu do armário para o grande público durante uma entrevista para o "New York Times" em outubro de 2011.

    Já Jonathan interpretou o ardiloso Jesse St. James, ex-namorado de Rachel (Lea Michele) no seriado "Glee".

     The Grosby Group/Divulgação 
    Zachary Quinto e Jonathan Groff
    Os atores Zachary Quinto e Jonathan Groff, que estão namorando

    Fonte: Folha de S. Paulo/F5



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 13h51
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Sérgio Nascimento assume Coordenação de Promoção dos Direitos Humanos e Cidadania LGBT do DF

    Coordenação quer tirar do papel as propostas debatidas nas Conferências Distritais. 
    Ex-presidente da Elos fala como SEJUS vai lidar questão LGBT dentro da Secretaria. 


    Do Gay1 DF 

    Sérgio Nascimento diz que existe três prioridades de ações definida ainda para estes último meses do ano (Foto: Reprodução/Facebook)Em entrevista, Sérgio Nascimento, diz que existe três prioridades de ações definida ainda para estes último meses do ano (Foto: Reprodução/Facebook)
    Sérgio Nascimento, ex-presidente da Ong Elos LGBT-DF, assumiu nesta semana o cargo de Coordenador de Promoção dos Direitos Humanos e Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais do Distrito Federal (Coordenação de Diversidade Sexual), órgão vinculado à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania - SEJUS/GDF, atualmente, coordenada pelo Secretário Alírio Neto. Para Nascimento, "Esta Coordenação terá como principal missão tirar do papel as propostas amplamente debatidas nas I e II Conferência Distrital LGBT."

    Gay1: O que é e o que faz a Coordenação LGBT?
    Sérgio Nascimento:
     A Coordenação de Promoção dos Direitos Humanos e Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais do Distrito Federal (Coordenação de Diversidade Sexual) foi criada 2011 dentro da estrutura da SEJUS, com o objetivo de promover, elaborar, coordenar, desenvolver e acompanhar programas, projetos e atividades, visando a efetiva promoção dos direitos da e da cidadania da população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais - LGBT do DF.

    Gay1: Como a SEJUS pretende trabalhar a questão LGBT dentro da Secretaria?
    Sérgio Nascimento:
     Dentro da estrutura do SEJUS existem vários programas que irão passar a atender de forma qualificada a população LGBT, entre eles está o Pró-Vitima que oferece assistência multidisciplinar nas áreas psicossocial e jurídica a vítimas de crimes violentos e a Gerência de Tráfico de pessoas com um olhar mais voltado para jovens travestis e transexuais que muito cedo são aliciadas e exploradas sexualmente. Outra iniciativa que será abraçada pela secretaria diz respeito à Regulamentação da Lei. 2.615-2000, Lei que determina sanções às práticas discriminatórias em razão da orientação sexual das pessoas.

    Gay1: Existe uma prioridade de ação definida ainda para estes último meses do ano?
    Sérgio Nascimento:
     O nosso planejamento estratégico para esses três últimos meses de 2012, tem 3 prioridades. A primeira é "arrumar a casa", capacitar servidores da SEJUS para o atendimento a LGBT, a inclusão do nome social em formulários de registro em toda a secretaria e outras. A secretaria é muito grande e sabemos que não conseguiremos fazer isso tudo de uma única vez e percebemos que esse processo será contínuo. A segunda é a publicação no Diário Oficial e convocação dos conselheiros do Conselho de Promoção dos Direitos Humanos e da Cidadania LGBT do Distrito Federal. Essa é uma demanda antiga do movimento e essa coordenação pretende fazer uma gestão com amplo debate e participação do movimento LGBT do DF. A terceira e não menos importante é a retomada do diálogo com as demais secretarias de Estado para que juntas possamos dar continuidade a execução das demandas da II Conferência Distrital LGBT.


    Gay1: O que mais pode atrasar o desenvolvimento das ações a serem desenvolvidas por essa coordenação?
    Sérgio Nascimento:
     Acredito que principalmente a morosidade do Estado, em conversas com coordenadores de outros Estados pude sentir que o excesso de burocracia, mais atrapalha do que ajuda.

    Para mais contatos com a Coordenação de Diversidade Sexual:
    Coordenação de Promoção dos Direitos Humanos e Cidadania LGBT
    Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania - SEJUS/GDF
    Endereço: Estação Rodoferroviária - Térreo - Ala Norte - Sala 03
    Telefone: (61) 2104-1931
    E-mail: coordenacaolgbt.df@gmail.com
    www.sejus.df.gov.br



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 13h45
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Cynthia Nixon vai interpretar a poetiza Emily Dickinson nos cinemas

    Cynthia NixonA atriz Cynthia Nixon foi escalada para viver Emily Dickinson nos cinemas. Ela vai estrelar um longa sobre a vida da poetiza norte-americana dirigido por Terence Davies.

    O diretor, que também assina o roteiro, disse que escreveu o papel especialmente para ela. "É o tipo de casting com o qual você sonha. Eu nunca, em nenhum momento, imaginei que meus desejos fossem se materializar. Cynthia tem um sentimento forte pelo trabalho e agora ela é nossa Emily Dickisnson", disse Davies.

    A atriz também está super excitada com sua participação no longa, que será chamado "A Quiet Passion". "Quando eu li o que Terence tinha escrito, eu fui consumida pela personagem que ele tão lindamente colocou nas páginas. Quando eu acabei de ler o roteiro, eu sabia que era uma história que eu deveria fazer parte", contou Nixon.

    Embora a atriz sendo lésbica assumida e o diretor gay, não se sabe se o longa vai se aprofundar na suposta bissexualidade de Emily.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 13h00
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    GRUPO ELES

    Redes Sociais em nossas vidas... O que mudou?




    Através das redes sociais fortalecemos vínculos já existentes e podemos nos relacionar com pessoas que não teríamos acesso, seja por não fazerem parte de nosso ciclo de amizades, seja pela própria distancia geográfica e/ou política. Além de nos proporcionar a amplificação de nossos discursos e a intensidade de nosso grito. Mas por outro lado as mesmas redes sociais podem fazer de nossas vidas vitrines de açougue, deixando a mostra nossas vísceras, nossas ações.

    Redes Sociais em nossas vidas... O que mudou?

    Venha discutir, refletir, socializar, em mais um encontro do Grupo ELES.

    Grupo ELES
    17/09 às 19hs
    Rua Promotor Gabriel Nettuzzi Perez, 159, Santo Amaro.


    Sobre o grupo:
    O Grupo ELES (Encontro, Liberdade, Expressão e Sexo Seguro) se desenvolve desde 2002 com encontros semanais em um espaço de acolhimento e convivência da diversidade sexual. Discutindo e refletindo sexualidade, cidadania, direitos humanos, prevenção de DST/Aids, cultura e lazer, entre tantos outros assuntos, com o propósito de fortalecer a identidade afetiva/sexual de cidadãos LGBT residentes na periferia de São Paulo, além de combater os preconceitos e discriminações com base na orientação sexual e identidade gênero.

    Encontros todas as segundas-feiras às 19hs - CTA Santo Amaro.
    Rua Promotor Gabriel Nettuzzi Perez, 159, Santo Amaro.



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h59
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Suplente de Marta Suplicy diz que é contra casamento gay; senadora envia nota à comunidade LGBT

     

    Suplente de Marta Suplicy diz que é contra casamento gay; senadora envia nota à comunidade LGBT

    A nomeação de Marta Suplicy como Ministra da Cultura vem gerando polêmica. Principalmente entre a comunidade gay. Isso porque, Marta era a relatora do projeto que criminaliza a homofobia no país.

    Com sua saída, quem assume seu posto no Senado é o vereador Antônio Carlos Rodrigues (PR-SP), seu suplente. Antônio, de 62 anos, é ligado a 22 paróquias da Zona Sul de São Paulo. Durante uma homenagem que foi feita por seus colegas na Câmara de Vereadores da capital paulista nessa última quarta (12), o novo senador deixou claro que é contra o casamento gay.

    "Sem dúvida nenhuma vou sempre acompanhar o que a Igreja falar. Sou um católico praticante. Sempre fui contra o casamento de pessoas de sexo igual, não tenho preocupação em perder voto por causa disso", afirmou. Rodrigues disse que pretende votar no Senado de acordo com suas convicções religiosas.

    "Vou seguir sempre as posições da Igreja Católica nas votações. Para mim homem é homem e mulher é mulher. Também sou contrário ao aborto e à eutanásia", contou.

    Com isso, não se sabe quem ficará a frente do PLC 122, que visa criminalizar a homofobia no Brasil. Marta, percebendo a tensão em torno do tema, divulgou uma nota para a comunidade LGBT. Confira.

    "Amigas e amigos LGBTs,

    A vida é feita de desafios. Atender ao honroso convite que me foi feito pela presidenta Dilma é mais um deles. Assumo o Ministério da Cultura certa que poderei inovar e contribuir para um Brasil mais respeitoso e harmonioso em sua diversidade cultural, dentre a qual se inclui a população LGBT com sua identidade própria.
    Não abandonarei nenhum de meus compromissos históricos, apenas farei a defesa deles num outro espaço institucional. Estou certa que a cultura pode ser, também, o instrumento adequado para a garantia dos direitos de cidadania."

    Marta Suplicy


    Antônio Carlos Rodrigues não vai facilitar para o nosso lado

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h54
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Luma Costa será stripper lésbica em seriado: 'Ela não é boazinha'


    Depois de interpretar a surfista Nanda em "Fina estampa", Luma Costa voltará à TV num papel completamente diferente. A atriz será Odete Roitman, uma jovem que faz striptease pela internet para sustentar a família, no seriado "Pé na cova", de Miguel Falabella. Ela vai namorar a personagem de Mart'nália e terá visual carregado, como adianta a atriz, em entrevista ao blog de Patrícia Kogut do O Globo:

    - Odete será filha dos personagens de Miguel e Marília Pêra. O pai, dono de uma funerária em Irajá, não aprova o que ela faz na internet e, por isso, os dois terão muitos conflitos. Eles serão como a "Família Adams", bem estranhos. Vou usar cabelo de roqueira e maquiagem pesada. E, como o próprio nome mostra, Odete Roitman não é boazinha.

    A atriz, de 24 anos, colocará um megahair para compor a personagem. Ela conta que trabalhou com humor aos 14 anos, num quadro do "Zorra total".

    - Tenho facilidade com o humor. Minhas amigas dizem que sou muito engraçada. Mas, claro, será um desafio.


    Luma Costa interpretou surfista em novela de Aguinaldo Silva (Foto: Divulgação)Luma Costa interpretou surfista em novela de Aguinaldo Silva (Foto: Divulgação)

    Fonte: Gay1



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 12h53
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Pílula anti-HIV é eficaz mesmo se uso não for diário, afirma estudo

    A estratégia de prevenção contra o HIV aprovada em julho nos Estados Unidos - que envolve o uso do antirretroviral Truvada para homens saudáveis que fazem sexo com homens com Aids - é capaz de impedir a infecção mesmo se o uso do remédio não for diário. A conclusão é de um estudo publicado nesta quinta-feira (13) na revista Science Translational Medicine, que teve a participação de três centros de pesquisa brasileiros.

    A eficácia da pílula anti-HIV havia sido comprovada em estudos anteriores, que mostraram que seu uso poderia diminuir em até 78% o risco de transmissão do vírus. Ainda não se sabia, porém, qual seria a concentração exata da droga suficiente para garantir um grau satisfatório de proteção nem a frequência de uso do medicamento que resultaria nesse efeito.

    A conclusão foi de que, com o uso da concentração ideal do Truvada, duas doses por semana seriam capazes de reduzir os riscos de infecção em 76%. Quatro doses semanais garantiriam 96% de proteção. E sete doses semanais diminuiriam o risco em 99%. "Surpreendentemente, descobrimos que os participantes do estudo não tiveram de aderir perfeitamente ao regime terapêutico para colher os benefícios do Truvada", disse o pesquisador americano Robert Grant, do Instituto Gladstone, organização dedicada a pesquisas biomédicas ligada à Universidade da Califórnia.

    Apesar dos bons resultados, os pesquisadores alertam que, por enquanto, somente o uso diário é oficialmente recomendado para garantir a proteção. Para a médica Valdiléa Veloso dos Santos, do Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas da Fundação Oswaldo Cruz, os resultados confirmam que a estratégia é uma intervenção eficaz, com grande potencial de se estabelecer como instrumento de prevenção para esse público.

    Valdiléa, uma das autoras do artigo, acrescenta que é possível começar a testar esquemas de uso do medicamento diferentes do diário. "A possibilidade de usar menos doses torna a estratégia mais barata. Também tem implicações em relação aos efeitos colaterais, que seriam menores. Nesse caso, quanto menos, melhor." Para chegar aos resultados, os pesquisadores partiram dos dados de dois estudos anteriores - chamados iPrEx e Strand. Primeiro, eles descobriram qual era a quantidade de medicamento que permanecia no sangue dos participantes de acordo com o número de doses semanais da medicação. Depois, determinaram o grau de proteção garantido em cada frequência de uso.

    A dosagem da medicação no sangue foi importante porque a adesão pode não ser corretamente relatada pelos participantes. "Nosso próximo passo é pegar os métodos que desenvolvemos e criar ferramentas simples, mas poderosas, que podem medir a adesão à droga para ajudar os médicos a monitorar o quanto o Truvada está funcionando", diz o pesquisador Peter Anderson, da Universidade do Colorado.

    Outras ações

    Especialistas alertam que esse tipo de estratégia deve ser aliada a outras medidas preventivas. "Essas estratégias alternativas não devem ser aplicadas isoladamente, mas virem dentro de um pacote, junto com um aconselhamento", diz o infectologista Alexandre Naime Barbosa, da Faculdade de Medicina da Unesp.

    Quem optar por adotá-la deve continuar usando camisinha, fazer testes de HIV periodicamente e tratar outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), que costumam deixar o paciente mais vulnerável à infecção por HIV. "Se não houver esse aconselhamento, existe um risco muito sério de relaxamento nos métodos preventivos ou até o aumento da exposição", diz Barbosa.

    Fonte: UOL Notícias



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h51
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Autora da próxima novela das 21h da Globo, Gloria Perez acha que beijo gay é assunto ultrapassado

    Gloria PerezResponsável pela novela "América", que entrou na história da teledramaturgia brasileira por conta de um veto ao beijo gay que foi gravado para o último capítulo da trama, Gloria Perez disse para a revista Caras que esse é um assunto ultrapassado e que não pretende escrever beijo gay nenhum em sua próxima novela, "Salve Jorge". "Ah não, esse assunto já foi: até a propaganda política já mostrou o beijo gay", disse ela para justificar que esse é um assunto ultrapassado.

    Vale lembrar que mesmo sem beijo gay, sua novela vai mostrar uma lésbhica bem masculinizada (interpretada por Tammy Gretchen) e uma vilã também lésbica, papel de Vera Fischer.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 00h30
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Igreja da Nova Zelândia divulga cartaz apoiando casamento igualitário

     

    Igreja divulga cartaz apoiando casamento igualitário  (Foto: Reprodução)Igreja divulga cartaz apoiando casamento igualitário (Foto: Reprodução)



















    Um outdoor que trás como ilustração um bolo de casamento decorado com duas noivas se beijando anda chamando a atenção. Mas dessa vez não é pelo fato de a campanha apoiar os direitos LGBT, mas sim por ter sido feita por uma igreja. 

    O anúncio, que traz além da imagem uma frase em que diz: “Nós não nos importamos com quem está no topo”, é da St Matthew-in-the-City, igreja anglicana de Auckland, na Nova Zelândia.

    A igreja declarou que não deve ser nenhuma surpresa que a St Matthew, com seu longo histórico de apoio à comunidade LGBT, seja a favor da legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo no país.

    “Nossa pergunta é: por que qualquer igreja não aprovaria duas pessoas fazendo um compromisso de amor uma com a outra?”, afirmam.
    Fonte: Gay1



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 00h29
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Festival do Rio divulga programação cheia de filmes gays. Confira aqui

    Divulgada programação gay do Festival do Rio

         Magic Mike completa a programação         

    O Festival de Cinema do Rio acaba de divulgar sua programação e é claro que tem espaço para a produção com a diversidade sexual como tema. Na programação “Mundo Gay”, o evento que será realizado na Cidade Maravilhosa entre os dias 27 de setembro e 11 de outubro traz produções premiadas em Cannes, no Chile e em Berlim.

    O Festival vai apresentar 400 filmes de cerca de 60 países e começará com a exibição de “Gonzaga – de pai pra filho”, de Breno Silveira, no Cine Odeon Petrobras. As produções ganham exibição em 30 locais diferentes, como arenas, praças e cinemas. A lista de convidados também foi divulgada e tem nomes como o do ator Jeremy Irons, os diretores Fernando Trueba, Leos Carax, Jonathan Dayton e Valerie Faris (de “A pequena Miss Sunshine”), e a artista plástica Marina Abramovic.

    Além da programação gay, que está completa aqui embaixo, o evento exibe ainda o fetichista “Magic Mike”, de Steven Soderbergh.

    MUNDO GAY
    - Beyond The Walls, de David Lambert; Cannes 2012
    - Keep The Lights On, de Ira Sachs – vencedor do Prêmio Teddy Berlim 2012
    - Call Me Kuchu, de Malika Zouhali-Worrall, Katherine Fairfax Wright: doc sobre David Kato, primeiro gay assumido de Uganda: prêmio Teddy melhor doc – Berlim 2012
    - Fucking Different XXX, de Bruce La Bruce, Maria Beatty, Jürgen Brüning, Émilie Jouvet, Manuela Kay, Kristian Petersen, Courtney Trouble, Todd Verow
    - Bye Bye Blondie, de Virginie Despentes, com Emmanuelle Béart e Béatrice Dalle
    - United in Anger: a History of ACT-UP, de Jim Hubbard
    - How to Survive a Plague, de David France: sundance 2012
    - Joshua Tree, 1951 - A Portrait of James Dean, de Matthew Mishory
    - Cloudburst, de Thom Fitzgerald
    - Les Invisibles, de Sébastien Lifshitz, Cannes 2012
    - Facing Mirrors, de Negar Azarbayjani (Irã/Alemanha)
    - Mapa para conversar, de Constanza Fernández. Prêmio de melhor diretor chileno no Festival de Santiago, 2011.

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 13h05
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    "Casamento gay é inevitável", diz Brad Pitt

     

    "Casamento gay é inevitável", diz Brad Pitt

    Lindo, bem-informado e eternamente simpatizante, Brad Pitt voltou a comentar sobre o casamento entre pessoas de mesmo sexo e a mostrar seu apoio aos direitos civis de gays e lésbicas.

    No último fim de semana, durante uma exibição de seu próximo filme, Killing Them Softly, no Mayfair Hotel, em Londres, o ator falou publicamente sobre o assunto pela primeira vez desde a polêmica carta que sua mãe, Jane Pitt, enviou a um jornal americano criticando o presidente Barack Obama por seu apoio ao casamento gay. Na época, Jane Pitt se declarou eleitora do republicano Mitt Romney.

    A posição de "mama Pitt" não podia ser mais contrastante com a de seu filho mais famoso. "Sou um partidário de Obama, e estou apoiando sua campanha eleitoral nos Estados Unidos", disse o todo-bom ao jornal britânico The Telegraph. "O casamento gay é inevitável. A próxima geração, eles entendem. É só uma questão de tempo antes que se torne realidade", previu o astro.

    Anos atrás, Brad Pitt e Angelina Jolie, que também é simpatizante, disseram que não se casariam até que o casamento gay fosse liberado nos Estados Unidos. O casal posteriormente noivou, em maio deste ano, mas Brad declarou que não havia uma data e que eles ainda esperavam resolver a questão do casamento gay no país. A carta de sua mãe, aliás, teria iniciado uma crise familiar com Angelina.

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h56
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    EUA:

    Pastor batista afirma que casaria gays

     

    EUA: pastor batista afirma que casaria gays

    No Brasil, o nome do Reverendo Jesse Jackson (foto) talvez não seja muito conhecido, mas, nos Estados Unidos, tem peso.

    Ao lado do mais famoso Martin Luther King Jr., Jackson participou da luta pelos direitos civis dos negros americanos e, em 1984 e 1988, foi pré-candidato à presidência pelo Partido Democrata. Não bastassem essas credenciais, foi eleito em uma pesquisa de 2006 o "mais importante líder negro" do país.

    Religioso, Jackson é também pastor da Igreja Batista - mas, ao contrário de tantos outros cristãos, deixou a homofobia de lado e, desde 2010, tem se tornado progressivamente conhecido por apoiar os direitos civis de gays.

    Naquele ano, o reverendo, que já havia se posicionado contra a Proposição 8, que bania o casamento gay na Califórnia, se manifestou, pela primeira vez, a favor das uniões entre pessoas de mesmo sexo - e pediu que a Proposição fosse derrubada. Infelizmente, em plebiscito, ela foi aprovada, embora ainda esteja em disputa judicial.

    Jackson, no entanto, não recuou - e recentemente provou que sua mudança de posição foi pra valer. "Começando com o Voting Rights Act de 1965, com a inclusão de negros, hispânicos, jovens de 18 anos e mulheres, as oportunidades são agora ilimitadas", disse ele, segundo o site HumanEvents.com. Em seguida, o reverendo acrescentou que não "tinha problemas" com relações entre pessoas de mesmo sexo - e, perguntado se faria a cerimônia de um casal gay, foi positivamente taxativo: "Se me pedirem para fazer". Que diferença em relação aos pastores brasileiros, não?

    A Convenção Democrata terminou na última quinta-feira, dia 6, e, como esperado, nomeou o presidente Barack Obama, que também é a favor do casamento gay, candidato à reeleição. A candidatura Obama tem recebido apoio da comunidade LGBT americana.

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h53
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    HOMOFOBIA

    Estudante sofre ataque homofóbico após parada gay da Bahia

     
     
    A Praça do Campo Grande, em Salvador, recebeu no último domingo(09/11), uma grande festa em homenagem à diversidade e à liberdade: a 11ª Parada do Orgulho Gay da Bahia. Organizada pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), o evento reuniu mais de 400 mil pessoas e contou com 10 trios de música.
     
    A comemoração teria sido perfeita, não fosse por um triste acontecimento, mais uma demonstração da violência e discriminação que a comunidade LGBT ainda sofre no Brasil: ao final da passagem dos trios, o presidente da Associação Brasileira de Estudantes Secundaristas (ABES), Wesley Masil, foi covardemente atacado em uma ação de homofobia.
     
    Wesley caminhava na praça Campo Grande junto ao Vice Presidente da UBES na Bahia, Mardel Melo, e a diretora de Políticas Educacionais da ABES, Rennata Almeida, quando o ataque aconteceu. Um homem não identificado apareceu e o golpeou violentamente na boca.
     
    “Ouvimos falar e vemos de casos de homofobia, mas nunca esperamos que aconteça com pessoas próximas e, principalmente, conosco. Estava rindo, feliz, o dia estava divertido até o acontecido. O lugar mais surreal onde poderia esperar isso acontecer seria na própria parada do orgulho gay. É lamentável, ainda não acredito que fui agredido”, lamentou Wesley.
     
    Marcelo Cerqueira, presidente da GGB lamentou oacontecimento e ressaltou a importância de se aprovar no Brasil uma legislação que puna com rigor casos de homofobia: “Uma situação como essa faz com que agente trabalhe ainda mais”, disse.
     
    Após a agressão, o estudante procurou a Delegacia da 1° Circunscrição Policial, onde mais uma vez foi vítima de preconceito tendo que enfrentar a resistência dos policiais para realizar o Boletim de ocorrência ao informar o policial de que não sabia a identidade do agressor e o local de sua moradia. “Eu disse que era necessário porque muitos crimes de homofobia acontecem diariamente. Depois de muita insistência, fomos atendidos por outro policial que se propôs a fazer o Boletim de Ocorrência. Por fim, constou “Agressão”, isolando o fato do que motivou a agressão que foi nitidamente HOMOFOBIA”.
     
     
    O número de assassinatos de homossexuais cresce cada vez mais no Brasil, no ano passado 266 crimes dessa natureza foram registrados, entre os estados, a Bahia liderou o Ranking com 28 assassinatos.
     
    A UNE, a ABES e UEB repudiam ações de homofobia e continuarão travando o debate e fortalecendo a luta pelos direitos LGBT. “Temos uma sociedade homofóbica e esse fato se materializa no dia a dia. Vamos cobrar que esse caso seja apurado e levantar cada vez mais a bandeira por uma legislação protegendo o público LGBT”, afirmou o diretor LGBT da UNE, Caio Bayma.
    Fonte: Homorrealidade



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h45
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    APAIXONADA!

    Mulher que invadiu palácio afirma ser 'marido' da presidente Dilma


     

    Edmeire Celestino da Silva tentou invadir o Palácio do Planalto nessa terça-feira, 11, dizendo ser "marido" da presidente Dilma Rousseff. A confirmação de que o "invasor" era uma mulher  foi repassada pela Polícia Militar e pelo Hospital Regional da Asa Norte.
     
    Edmeire tem uma página no site de relacionamentos Facebook e ali surgiu a dúvida. Apesar da aparência, da voz e de se dizer "marido" da presidente, na foto do site Edmeire aparece de cabelos complicados e nas suas mensagens, todas falando da sua paixão pela presidente, às vezes se refere a si como homem, outras como mulher.
     
    De acordo com os seguranças, Edmeire andava rondando o Planalto há dois dias, mas não havia feito nenhuma outra tentativa de entrar até esta terça. Sem meias, de camiseta e calça jeans, a mulher repetia que era apaixonada pela presidente, que tinha vindo "chamar a Dilma para casar comigo" e que ela era "seu coração"."Eu ia sequestrar ela (sic) e não ia soltar nunca mais, ela é o meu amor", dizia.
     
     
    Os bombeiros do batalhão presidencial foram chamados e levaram Edmeire para o Hospital Regional da Asa Norte, próximo ao Planalto. De acordo com a segurança do Palácio, a mulher estava desarmada, não tinha machucado ninguém e parecia apenas perturbado. Por isso não haveria necessidade de prisão.
     
    Tentativas de invasão do Planalto não são incomuns. Apenas na gestão da presidente Dilma Rousseff esta é a sexta tentativa de invasão. Em março deste ano, uma mulher que queria uma casa do programa Minha Casa Minha Vida tentou entrar no Planalto. Ela já havia conseguido chegar até o Salão Nobre em abril do ano passado, levando um filho junto. Em setembro de 2011, um homem armado tentou entrar ameaçando se matar. Em julho do mesmo ano, um homem subiu a rampa de moto e caiu no espelho d'água. Em janeiro do ano passado um homem subiu parte da rampa de carro.

    Fonte: Homorrealidade



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h43
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Secretário-Geral da ONU quer debater urgentemente os direitos LGBT e homofobia

    Ban Ki-moonO secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, voltou a pedir mais esforços no combate à homofobia. A solicitação foi feita na reunião do Conselho de Direitos Humanos da entidade realizada na última segunda-feira, 10 de setembro, em Genebra, na Suíça.

    Em março, o secretário-geral pediu um maior esforço no combate o assédio homofóbico. Dessa vez, Ban Ki-moon afirmou o desejo de manter um debate constante sobre os direitos LGBT em eventos diplomáticos com a ONU, União Europeia e EUA.

    "Em março dei início a primeira discursão intergovernamental sobre discriminação e violência baseados na orientação sexual e identidade de gênero. Isso não foi um evento único. Peço o engajamento e um intenso debate sobre a dignidade e real proteção de todos os membros da humanidade".

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h33
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Jornalista da CNN revela razões que o impediam de contar que é gay

    Anderson CooperO apresentador da CNN, Anderson Cooper, aproveitou a estreia da segunda temporada de seu talk-show na emissora norte-americana para falar dos motivos que o levaram a revelar sua homossexualidade ao público.

    O papo rolou com a presença da atriz Kristen Chenowith. Recentemente, Cooper deu fim aos rumores sobre a sua homossexualidade em ao blogueiro Andrew Sullivan. No entanto, o jornalista chegou a ser chamado de  “desesperado por atenção” e que a revelação não passava de um golpe de marketing.

    "Eu revelei aos meus amigos, para a minha família, sempre fui assumido para os meus colegas de trabalho", explicou. "Era uma coisa que eu somente não falei publicamente porque como repórter não achava apropriado. Não parecia parte do meu trabalho", explicou.

    O jornalista contou ainda que não poderia estar mais feliz e confortável consigo mesmo. "Agradeço por todo o suporte e encorajamento "Eu ainda sou a mesma pessoa e meu trabalho ainda será o mesmo".

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h32
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Candidato de Santa Catarina vence outros 19 concorrentes e leva faixa de Mister Brasil Diversidade

    Novo Mister Brasil Diversidade é catarinense

    A final do concurso  Mister Brasil Diversidade ocupou na noite desta segunda-feira, dia 10 de setembro, o teatro Gazeta, na avenida Paulista. e consagrou o candidato de Santa Catarina como grande vencedor da noite - ele levou para casa um cheque de cinco mil reais. 

    Vinte candidatos concorreram pela faixa de Mister Diversiade. O concurso foi apresentado por Evandro Santo e teve no júri gente como Léo Aquilla e Geise Arruda. O vencedor é estudante de jornalismo e nasceu em Joaçaba, Santa Catarina. Felipe Zabloski, de 25 anos, estava com seu namorado na plateia. Lucas Linutti, do Piauí, ficou em segundo lugar e ganhou uma viagem para Buenos Aires com acompanhante. Em terceiro lugar ficou Luiz Queiroz, representante do Paraná, que levou um cruzeiro nacional com acompanhante.

                                                                              O candidato vencedor do Mister Brasil Diversidade                                                                                                                             Fonte: mixbrasil   



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 17h20
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Artistas LGBT discutem no Rio de Janeiro como a arte pode libertar as pessoas

    Rio recebe segunda edição de encontro de artistas LGBT

    A cidade do Rio de Janeiro vai receber no próximo dia 22, um sábado, a segunda edição do encontro de artistas da diversidade sexual Subversos, que em sua segunda investida vem com o tema “Liberte-se – A arte como instrumento de libertação”. Com entrada gratuita, o Subversos rola a partir das 16h no Centro Cultural da Justiça Federal.

    Será um encontro de artistas e especialistas que vão realizar uma mesa redonda para discutir como se libertar, e libertar os outros, por meio da arte. Participam nomes como o psicólogo e educador Eliseu Neto, o artista plástico Filipe Espíndola, a atriz escritora e ex-Frenética Lidoka Martuscelli, o videomaker conhecido como Rafucko e o escritor e tradutor Tiago Elídio.

    A artista trans Lorna Washington e o escritor Kiko Riaze fazem a mediação do debate, que terá ainda participação do escritor e colaborador da H Magazine Felipe Dias e bate papo, exibição de filmes, performances e sessão de autógrafos nos livros que estarão sendo vendidos, com parte de sua arrecadação a ser doada ao Grupo Pela Vidda.

    O Centro Cultural da Justiça Federal do Rio de Janeiro fica na Avenida Rio Branco, 241 – centro carioca.

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 13h26
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Mercado é cego para potencial de consumo do público LGBT

    O potencial de consumo do público LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) ainda não é explorado pelas marcas como poderia. Com uma população estimada em 18 milhões de pessoas no Brasil, 78% dos gays têm cartão de crédito e gastam até 30% mais em bens de consumo do que os heterossexuais. A renda elevada se explica pelas classes sociais em que estão inseridos: 36% pertencem a A e 47% a B, segundo pesquisa da inSearch Tendências e Estudos de Mercado. 

    Com uma média salarial de R$ 3.247,00 e uma estrutura familiar não-tradicional, boa parte sem filhos, os homossexuais têm mais oportunidades em consumir imóveis, carros e viagens. De acordo com a Associação Brasileira de Turismo para Gays, Lésbicas e Simpatizantes (Abrat-GLS), o perfil movimenta R$ 150 bilhões por ano no Brasil. 

    Cidades como o Rio de Janeiro, considerada uma das mais gay friendlys do mundo, investem em iniciativas para atender o visitante e fomentar o turismo. Uma estratégia realizada pela capital carioca foi a promoção de cursos de capacitação sobre a Lei de Direitos Civis e Humanos para donos e funcionários de estabelecimentos comerciais. 

    Apesar de bastante rentável, o setor turístico é apenas um entre diversos outros onde o público LGBT espera encontrar hospitalidade. “O primeiro passo das empresas é a exposição. Uma marca que se coloca como friendly ou que tem um produto específico tem que se mostrar dessa forma. Há um preconceito muito grande, mas muitas estão deixando isso de lado e partindo para o que interessa: negócio, desenvolvimento e faturamento”, avalia Luiz Redeschi, empresário e organizador da Expo Business LGBT Mercosul. 

    Quando mais é menos 

    O desenvolvimento de produtos, serviços ou ações de marketing específicos para o público LGBT não precisam ser complexas e passar por grandes revoluções na forma de atuação. Iniciativas do Banco Itaú são exemplos de que geraram respostas positivas. A instituição vem dialogando nas redes sociais de forma natural com os gays. 

    No Dia dos Namorados deste ano, um desenho no Facebook composto por um casal heterossexual teve agregado um casal de gays e um de lésbicas com a frase “Feliz Dia dos Namorados do Seu Jeito”. Para a Parada Gay de São Paulo, uma das maiores do mundo com mais de três milhões de participantes, o Itaú também parabenizou a diversidade por meio da bandeira do movimento LGBT e da frase “A gente é laranja, mas é feito pra todas as cores”.
    Fonte: Superpride



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 13h23
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Entrevista: Procuradora de Justiça explica inclusão da homofobia no Código Penal

    Homofobia no Código Penal é tema de entrevista com procuradora

    Tramita no Congresso Nacional a proposta de alteração do Código Penal brasileiro, que entre outras coisas traz como novidade  a criação dos “crimes de preconceito e discriminação”, incluindo a homofobia. Para saber mais sobre o assunto, o MixBrasil conversou com Luiza Nagib Eluf, procuradora do Ministério Público de São Paulo especializada na área criminal que integrou a equipe de 15 juristas responsáveis pela revisão do código. Confira:

    Na Comissão de Juristas para propor o Anteprojeto de Código Penal havia três mulheres. Isso é uma conquista?
    Começamos com três mulheres, mas logo uma delas pediu para sair. Ficamos com duas mulheres, mas no meio de 16 pessoas, acho que é pouco. Avanço mesmo seria termos metade para cada gênero.

    Quais foram as principais alterações propostas que envolvem o segmento LGBT?
    Criamos os crimes de preconceito e discriminação de qualquer natureza, incluídos os preconceitos com relação à orientação sexual. Também incluímos como agravante do homicídio o assassinato de pessoas por intolerância quanto à orientação sexual ou identidade de gênero. Na mesma agravante incluem-se os crimes praticados por preconceito de outras naturezas como raça, gênero, etnia, condição de vulnerabilidade social, religião, origem etc. São os chamados crimes de intolerância , crimes de ódio contra parcelas imensas da população.

    Houve resistência de algum membro da Comissão em relação à garantia dos direitos LGBT?
    Não, os membros da Comissão votaram pela incriminação do preconceito por unanimidade.

    O que a levou a defender esse segmento?
    O que me levou a defender esse segmento é o fato de todas as pessoas merecerem respeito! É injustificável que certas pessoas se arvorem no direito de agredir, machucar e até matar por ódio ao comportamento sexual alheio. O que duas (ou mais) pessoas fazem entre quatro paredes não prejudica terceiros. A interferência na intimidade alheia é vedada pela Constituição Federal, que protege a privacidade, a honra e o sigilo das comunicações. No entanto, apesar de todas as garantias cidadãs, os preconceitos proliferam e se manifestam das mais variadas formas. A intolerância à homossexualidade tem levado ao homicídio de gays assumidos, além de numerosas outras formas de agressão física, psicológica ou moral que não chegam ao assassinato, mas são igualmente inadmissíveis. Para agravar a situação, há pregações desastrosas no sentido de que a homossexualidade seria uma doença passível de tratamento ou uma aberração a ser exterminada. E não se vê a ação do Estado para coibir, de forma eficiente, esse tipo de manifestação incompatível com nossa democracia. Mas quero lembrar que eu não defendo apenas a comunidade LGBT. Defendo os direitos humanos e da cidadania de toda a população. Ou seja, eu luto pela Justiça.

    De que forma a defesa dos direitos LGBT articula-se com a defesa dos direitos das mulheres?
    Os direitos das mulheres têm tudo a ver com os direitos da comunidade LGBT, pois todos estão lutando contra a discriminação e a intolerância. A única forma de prevenir os crimes de ódio é modificando a cultura patriarcal intolerante, reprovando-se socialmente as formas preconceituosas de tratar os outros e ensinando-se o respeito aos direitos humanos e da cidadania.

    No Brasil, os maiores avanços em relação aos direitos LGBT são feitos pelo Judiciário. Como você avalia esse cenário?
    O Judiciário tem mesmo esse papel, de fazer justiça. Acredito que o ideal seria o Congresso assegurar os direitos LGBT elaborando leis específicas do interesse da comunidade, mas enquanto isso não acontece o Judiciário está fazendo sua parte.

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: ENTREVISTA
    Escrito por ligeirinho45 às 10h48
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    "Não sei o que tem de ruim em ser gay", diz Zac Efron sobre boatos da sua sexualidade

     
    O ator Zac Efron foi entrevistado pela revista gay norte-americana "The Advocate". Para tristeza de muitos, Zac negou ser gay, informação que tinha sido dada como certa pela revista "Details".
     
    "Não gosto de viver com medo por causa de rumores. Mas não sei o que tem de ruim em ser gay", disse o ator. Zac também falou sobre os fãs gays que conquistou ao longo da carreira. "Depois de High School Musical e Hairspray, sempre me senti abraçado pela comunidade gay e me sinto grato e honrado", declarou.
     
    O gato também disse que não teria problema nenhum em interpretar um homossexual. "Eu nunca assumiria um papel apenas por uma questão do personagem ser gay, mas estou sempre à procura de um papel desafiador, diferente, e isso implica algum risco, por isso não há nenhuma dúvida que no futuro um desses personagens será gay", revelou o ator.
     
    Além de tudo, o fofo ainda fez o politizado e falou sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo. "É um problema que afeta muitas pessoas na minha vida - muitos dos meus amigos próximos e algumas das pessoas mais influentes em torno de mim. Eu só quero que todos sejam felizes. Isso poderia me fazer tão feliz de vê-los capazes de viver suas vidas e fazer o que eles querem fazer", contou.
     
    Atualmente, Zac pode ser visto no longa "Paperboy". No filme, ele aparece só de cuequinha e ainda protagoniza uma cena quente com a atriz Nicole Kidman.

    Fonte: Homorrealidade



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 10h23
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Conferência propõe discussão a partir da Antropologia e do Direito.

    EVENTO EM BELÉM DISCUTE DIREITOS SEXUAIS E HOMOFOBIA

     

    Em 2012, dez pessoas já teriam sido assassinadas por preconceito.

    Casal de mulheres vai se casar este mês em Santa Rita do Sapucaí (Foto: Reprodução EPTV)Apesar de conquistas, população GLBT ainda
    enfrenta muitos desafios (Foto: Reprodução EPTV)

    Nome social, casamento homoafetivo, boletins de ocorrência que registram a orientação sexual das vítimas. Esses são alguns dos direitos e políticas públicas recentemente conquistadas pela população de gays, lésbicas, bissexuais e transexuais (GLBT) no Pará. Para discutir esses avanços e ainda as questões que precisam de melhorias, a Universidade Federal do Pará (UFPA) promove uma conferência sobre “Direitos Sexuais e Homofobia” no dia 14 de setembro, a partir das 9h30, no Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ) da Instituição, em Belém. A programação é gratuita e não há inscrições prévias para o evento.

    O evento conta com a presença de Roger Raupp Rios, que, além de juiz federal, é pesquisador da Pós-Graduação em Direito da UniRitter Laureate International Universities, e pretende debater as questões sobre os direitos sexuais e pontuar os desafios vivenciados pela população GLBT, a partir do ponto de vista das áreas de Direito e Antropologia.

    Para a professora da Faculdade de Direito da UFPA, Cristina Terezo, que organiza o evento, a discussão desses assuntos é fundamental em vista das recentes decisões tomadas sobre a união homoafetiva e dos impasses na garantia efetiva dos direitos sexuais.

    Segundo Simmy Larrat, representante do Grupo de Resistência de Travestis e Transexuais da Amazônia (Gretta), é fundamental a realização de debates em torno da orientação sexual e gênero, principalmente em ambientes acadêmicos. “Ainda sentimos uma carência de estudos acerca do assunto e é necessário a Academia olhar mais para essa realidade e fomentar discussões científicas sobre a sexualidade”, acredita Simmy. O Movimento Gretta é uma rede que reúne todos os grupos do estado, que atualmente é formado por 36 grupos.

    Jairo e Elvis Santos vivem juntoa há dez anos e dizem que casamento reforça o amor (Foto: Igor Mota/ Amazônia Jornal)Em junho, dezoito casais homossexuais disseram o "sim" no primeiro casamento gay do estado. (Foto: Igor Mota/ Amazônia Jornal)

    Números da violência 
    “A situação atual dos homossexuais no Estado é a mesma de séculos. São pessoas excluídas e oprimidas. A imensa maioria está fora da escola e vive um processo de exclusão iniciado dentro de suas próprias casas, ou seja, uma realidade que não difere da do restante do País”, afirma Simmy Larrat.

    Entretanto, recentemente no Pará, os homossexuais obtiveram algumas conquistas, como a criação de políticas públicas e a criação de uma delegacia para crimes homofóbicos, que entrará em funcionamento ainda neste mês de setembro, de acordo com o governo do Estado.

    Segundo o Grupo de Resistência de Travestis e Transexuais da Amazônia (Gretta), em 2010, foram registrados dez casos de homofobia. Já em 2011, foram registradas 22 vítimas fatais. Este ano, já chegam a dez os casos de violência extrema contra vítimas GLBT. “Tudo isto comprova que a sociedade está respondendo de maneira violenta às conquistas homossexuais”, defende Simmy Larrat.

    Serviço:
    Conferência Direitos Sexuais e Homofobia
    Período: 14 de setembro
    Local: Auditório Aílton Correa, no Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ)
    A programação é gratuita e não há inscrições prévias para o evento. 

    Fonte: G1



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h00
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Drew Barrymore acaba de comprar um clube gay em Hollywood

    Drew BarrymoreConhecida pela defesa dos direitos gays, a atriz Drew Barrymore acaba de fazer uma aquisição inusitada. A artista comprou um clube gay em West Hollywood, chamado Revolver.

    A informação é do tabloide norte-americano "National Enquirer". De acordo com uma fonte próxima da atriz, ela simplesmente ama a cena gay e adquiriu o lugar pelos go-go boys.

    Aparentemente Drew ainda não está satisfeita. A atriz pode vir a se tornar uma grande empresária da noite gay em Hollywood. Ela e um sócio estão de olho em um bar que fica em frente ao clube.

    Em 2003, a atriz de "As Panteras" declarou que é bissexual  e que já foi para a cama com uma longa lista de mulheres. "Se eu gosto de mulheres? Sim, muito. Sempre me considerei bissexual. Eu amo o corpo feminino. Acho bonito uma mulher com outra, tanto quanto um homem e uma mulher juntos também é bonito. Quando eu era mais jovem, me relacionava com muitas mulheres", contou na época.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 21h56
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    ÁGUAS PASSADAS

    "Minha mãe me deu surra ao saber
    que eu era lésbica", revela Thammy

    A história de Thammy Miranda, lésbica assumida e filha de Gretchen, é exemplo do quanto há homofobia dentre parentes. Em entrevista no programa “Altas Horas” do domingo 9, Thammy revelou que, ao se assumir, a mãe a espancou e a levou a uma igreja com o objetivo de “curá-la”.

    O outing de Thammy, hoje com 30 anos, ocorreu em 2006. De acordo com ela, o período foi uma tortura. Entretanto, ela diz que, atualmente, a mãe a adora.

    Thammy viverá uma policial na novela “Salve Jorge”, nova trama das 21h da Rede Globo.

    Fonte: Parou Tudo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 16h39
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Goiás:

    A dois dias da Parada Gay, 4 travestis são mortos na Grande Goiânia

    Suspeitos armados assassinaram três jovens em Aparecida de Goiânia. Quarta vítima, esfaqueada em Hidrolândia, morreu em hospital da capital.

    Quatro travestis foram assassinados na Região Metropolitana de Goiânia na madrugada desta sexta-feira (7), a dois dias da XVI Parada do Orgulho LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais] de Goiânia. Três desses homicídios aconteceram no Bairro Nossa Senhora de Lourdes, conhecido pelo grande número de motéis, em Aparecida de Goiânia. Segundo a polícia, testemunhas disseram que as vítimas se prostituíam na região quando homens armados chegaram, mandaram-nas deitar no chão, atiraram e fugiram.

    O quarto crime aconteceu na cidade de Hidrolândia. A vítima, de 20 anos, foi esfaqueada em um posto de combustível, às margens da rodovia aonde supostamente se prostituía. O jovem chegou a ser levado para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), em Goiânia, mas não resistiu aos ferimentos. Dois andarilhos, suspeitos do crime, foram presos e levados para o 4º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia.

    Neste domingo (9), acontece a XVI Parada do Orgulho LGBT [Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais] de Goiânia. O evento está marcado para começar às 12h, no Mercado Aberto da Avenida Paranaíba, no centro. O término está previsto para as 23h.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 18h16
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Brian de Palma acha possível ganhar prêmio LGBT em Veneza pelo filme 'Passion'

     

    Rachel McAdams e Noomi Rapace contracenam em 'Passion', de Brian De Palma (Foto: Divulgação)Rachel McAdams e Noomi Rapace contracenam em 'Passion', de Brian De Palma (Foto: Divulgação)
    O veterano cineasta norte-americano Brian de Palma, que mostrou nesta sexta-feira (7) um dos últimos concorrentes ao Leão de Ouro "Passion", demonstrou ótimo humor na coletiva de imprensa. Quando lhe perguntaram se pode levar o Queer Lion, um prêmio alternativo para filmes de temática lésbica - como o seu, que aborda a mórbida relação sexy e profissional entre Rachel McAdams e Noomi Rapace -, De Palma imediatamente concordou: “Claro que sim!”.

    De Palma está de volta a Veneza exatamente cinco anos depois de um filme de perfil inteiramente diferente, "Crimes de Guerra" (2007), que abordava um episódio chocante na guerra do Iraque.

    Em "Passion", uma coprodução franco-alemã, De Palma refilmou "Crime d’Amour" (2010), do francês Alain Corneau, que trazia nos papéis principais a inglesa Kristin Scott Thomas e a francesa Ludivine Sagnier.

    Agora, pertence à canadense Rachel McAdams ("Meia-Noite em Paris") o papel de uma executiva impiedosa, Christine, que abusa da passividade de sua assistente, Isabelle (a sueca Noomi Rapace, de "Prometheus"), roubando suas ideias para subir na carreira. Um relacionamento que evolui para envolvimento sexual entre as duas e um mesmo amante (Paul Anderson), entre elas mesmas e depois inclui inclusive uma assistente de Isabelle, Dani (a alemã Karoline Herfurth).

    A acolhida do filme, no entanto, não foi tão boa. Houve algumas vaias inclusive no início da coletiva de imprensa, o que é raridade absoluta nestas situações, especialmente em Veneza, onde todo e qualquer diretor e elenco são recebidos com palmas e elogios do tipo: “Obrigado pelo seu filme”.

    Sexo como arma
    Única atriz presente à coletiva, Noomi Rapace comentou que as cenas íntimas entre ela e Rachel McAdams foram desenvolvidas aos poucos. “Falamos sobre isso e fomos experimentando, além de falar com De Palma. Fizemos diversos takes, uns mais sensuais, outros menos”. Para Noomi, as duas personagens “usam o sexo como arma. Elas não estão apaixonadas”.

    Para o diretor, o novo filme trata-se de “uma história sexy de assassinato”, que foi ambientada em Berlim, ao invés de Londres, como pensado inicialmente, porque veio da Alemanha a maior parte do orçamento e também porque, na capital alemã, ele disse dispor de “uma ótima equipe técnica”.

    Pela sétima vez, De Palma contou com a parceria do compositor italiano Pino Donaggio, que colabora com ele desde "Carrie, A Estranha" (1976), e contribui para um dos excessos deste novo filme - a trilha sonora insistente.

    No mais, embora siga um gênero caro a De Palma, o thriller fica muito aquém de trabalhos anteriores de sua carreira, caso do citado "Carrie", e também "Vestida para Matar" (1980) ou "Dublê de Corpo" (1984).
    Fonte: Gay1



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 18h15
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Irã diz que Israel espalha a homossexualidade pelo mundo e pede cura para os gays

    Gays entram na briga entre os povos judeu e muçulmano

    TelAviv prideHá muito tempo os povos judeu e árabe brigam pela Terra Prometida no Oriente Médio e a rusga violenta e que já deixou incontáveis mortos de ambos os lados agora chegou aos gays. Sim, a briga entre os descendentes de Abraão ganhou combustível com a acusação pelo muçulmano Irã de que Israel, terra dos judeus, espalha a homossexualidade pelo planeta – como se isso fosse algo negativo.

    A entrada dos gays na milenar luta monoteísta teve início na semana passada, quando o jornal religioso iraniano Mashregh News disse que o “regime sionista” (Israel) está “espalhando a homossexualidade” pelo mundo. Segundo a publicação, os EUA e o Reino Unido usam dinheiro de judeus para “espalhar a homossexualidade” com o objetivo de dominar o mundo.

    O artigo também critica Israel por promover manifestações pelos direitos dos homossexuais e diz que Tel Aviv é o “paraíso dos gays” na Terra (e é, a gente adora). O artigo tenta ridicularizar o judaísmo conservador por aceitar rabinos gays e critica Hollywood por mostrar os homossexuais de maneira positiva.

    Por fim, o Mashregh News apela aos governos ocidentais para que impeçam as pessoas de se envolverem com ações de homossexuais e providenciem “tratamento médico” para que os gays mudem de conduta.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 11h51
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Estados Unidos:

    Gays têm presença recorde na Convenção Nacional Democrata

    por Janaina Lage

    Democrats logoCom uma plataforma a favor do casamento entre pessoas de mesmo sexo, o Partido Democrata registrou um recorde na participação de delegados gays, lésbicas, bissexuais e transgênero durante a convenção do partido, nesta semana, em Charlotte, na Carolina do Norte. No total dos 50 estados americanos, são 486 delegados, o equivalente a mais de 8% do total.

    - Nós estávamos subrepresentados demograficamente na política há muito tempo - disse Jerame Davis, do grupo National Stonewall Democrats.

    O perfil mais diversificado da convenção democrata contrasta fortemente com o público da convenção republicana, em Tampa, na Flórida, na semana passada, onde a diversidade era mais presente na escalação dos oradores do que na plateia. Barack Obama assumiu a Presidência em 2009, visto como um forte defensor dos direitos dos gays. Mas durante a maior parte de seu governo, deixou os grupos de defesas de direitos dos gays impacientes com a falta de avanços.

    Somente no ano passado, a política de "don't ask, don't tell" nas Forças Armadas foi abolida e, em maio, o presidente anunciou seu apoio ao casamento entre pessoas de mesmo sexo, item que faz parte agora, inclusive, da plataforma do partido.

    Três deputados gays discursaram na convenção democrata: Jared Polis, do Colorado, Barney Frank, de Massachusetts e Tammy Baldwin, do Wisconsin. Este último faz campanha para se tornar o primeiro senador assumidamente gay dos EUA.

    Jared PolisJá o deputado Jared Polis se tornou em dezembro o primeiro pai assumidamente gay no Congresso. Ele iniciou seu discurso da seguinte forma:

    - Meu nome é Jared Polis, meus bisavós eram imigrantes. Sou judeu, gay, pai, filho, sou um empreendedor e um congressista do grande estado do Colorado. Mas, primeiro e mais importante, sou americano.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 11h50
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Bissexual e homofóbico dividem palco em peça sobre sexo em cartaz em São Paulo

    Peça faz laboratório sexual no palco para o público ver

    "Laboratório Sexual: Falando de sexo com cara de pau" é uma peça que está em cartaz em São Paulo com um nome que já diz tudo. Com direito a personagem bissexual e outro homofóbico, o espetáculo com texto e direção de Jean D'Andrah mostra o cotidiano de uma companhia teatral profissional.

    Entram em cena os bastidores dos ensaios diários e a realização de um processo de montagem. Seis atores dividem a cena, e o foco se concentra no tema a ser explorado: sexo. Quem discute é uma atriz ninfomaníaca, um bissexual resolvido com sua orientação e um homofóbico enrustido.

    O clima é de comédia contemporânea cheia de conflitos, desatinos, irreverência e bom humor que convida o público para uma verdadeira terapia assistida. A peça tem o apoio da Secretaria de Saúde paulistana, por meio do Programa Municipal DST/AIDS de São Paulo. No elenco estão Alessandra Venansi, Cacá Toledo, Marcos Reis, Rafael Rezende, Solar, Thati Lira, Viviane Salles, Felipe Ventura, Laura Fajngold e Marcelo Prudente.

    “Laboratório Sexual”: até 26 de outubro
    Quintas (21h) e sextas (23h59)
    Amadododito Espaço Cênico: Rua Aimberé, 236 – Perdizes
    Fone: (11) 5083-2218
    www.amadododito.com
    16 Anos
    R$ 30 (inteira) / R$ 15 (meia-entrada)

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: CULTURA
    Escrito por ligeirinho45 às 11h48
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Richarlyson faz afirmações fortes sobre homossexualidade e futebol

    Jogador do Atlético diz que brincadeiras das torcidas adversárias quando está em campo não preocupam

    RicharlysonRicharlyson, que atualmente joga pelo Atlético Mineiro, foi entrevistado pela revista Veja BH. O foco principal da entrevista girou em torno da sexualidade do jogador.

    Richarlyson diz que não liga mais para os comentários maldosos, principalmente vindos das torcidas adversárias, como do Cruzeiro, principal rival do seu time atual.

    "Dou risada, e não é pouca. Sou do jeito que sou, faço o que quero e não estou nem aí", disse o jogador. O atleta falou que a principal preocupação quando os boatos de que era gay surgiram era proteger sua família. "Não queria que eles sofressem com isso, até os chamei para conversar, mas vi que estavam tranquilos", contou.

    Richarlyson relembrou que os comentários começaram em 2005, quando ele assinou com o São Paulo e não aceitou uma proposta do Palmeiras. Na época, José Cyrillo Júnior, ex-diretor palmeirense, teria insinuado que ele era gay. "Eu entrei com processo, ganhei, ele se retratou, mas a fama ficou", disse para a publicação.

    Agora, aos 29 anos, o jogador tem certeza que o mundo do futebol é homofóbico. "Nenhum jogador vai assumir que é gay". Ele afirma ainda que é impossível sair do armário sem colocar sua carreira em risco.

    Deixando de lado a sexualidade, Richarlyson entrega que é bem vaidoso. Usa hidrantes, tem vários frascos de cremes da Victoria's Secret e perfumes importados. Quanto as roupas, ele diz que não é fissurado em marcas famosas. "Se vejo na revista Vogue um casacão Dolce & Gabanna, não digo: 'Nossa! Esse eu tenho de comprar'. Não gosto de nada muito certinho, gosto de ser diferente. Sei onde usar uma calça colada, uma camisa mais justa e um tênis de cor".

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 23h28
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Anúncio homofóbico de ONG será investigado

    Um dia após publicação de uma polêmica peça publicitária na qual o Instituto Pró-Vida - uma Organização Não Governamental com atuação na área social em Pernambuco - afirmava que o Estado não quer conviver com prostituição, exploração sexual de jovens e menores, pedofilia e "homossexualismo", a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) divulgou, na terça-feira, uma nota de repúdio contra a campanha intitulada "Pernambuco não te quer". Pela manhã, representantes da ONG Leões do Norte, que defende a liberdade sexual e milita junto à comunidade LGBT (Lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), estiveram na sede do Ministério Público (MP-PE) onde formalizaram uma denúncia contra o Instituto Pró-Vida. O MP-PE acatou o pedido, que será investigado pela promotoria de Direitos Humanos.

    Cartaz considerado homofóbico causou reação em redes sociais de pernambuco

    Cartaz considerado homofóbico causou reação em redes sociais de pernambuco

    Na última terça-feira, o caso ganhou grande repercussão nas redes sociais e na mídia local. O Instituto não se pronunciou oficialmente. Revoltados, integrantes de movimentos de Direitos Humanos exigem uma retratação. O anúncio do Pró-vida contém elementos gráficos e visuais claramente associados à campanha da Secretaria de Turismo - "Pernambuco te quer". Em reserva, fontes ligadas ao Instituto afirmam que a intenção do grupo foi mostrar que a sociedade pernambucana não estaria disposta a receber o que eles classificam como "turismo de má qualidade". O Governo do Estado e a Prefeitura do Recife também condenaram a campanha por meio de representantes das secretarias de Saúde e Direitos Humanos.

    Horas depois da publicação, o jornal Folha de Pernambuco divulgou em seu site um pedido de desculpas e garantiu não ter "qualquer responsabilidade sobre o anúncio". A comunidade LGBT, no entanto, afirmou estar disposta a acionar juridicamente o veículo. "Ninguém divulga um anúncio sem saber o que está escrito. O jornal sabia. E se sabia, tinha obrigação de recusar. Ora, estamos falando de um material recheado de preconceito. O jornal errou, no mínimo, porque foi omisso", destacou o advogado George Andrade, do Fórum de Direitos Humanos do Recife.

    O caso também ganhou destaque fora do Estado. O deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) divulgou nota repudiando a publicidade do Instituto Pró-Vida. "Como 2º vice-presidente da Comissão de Inquérito (CPI) de Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e homossexual assumido que tem orgulho de sua orientação e escolhas, não posso deixar de manifestar minha indignação", disse o parlamentar.

    Para o deputado, "o perigo do turismo sexual está na exploração sexual e no tráfico de pessoas - sejam adultos ou menores - que são crimes gravíssimos, mas o anúncio mistura tudo com o claro objetivo de associar esses crimes horríveis a grupos sociais específicos. Isso se chama calúnia", comentou.

    Fonte: UOL Notícias



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 23h24
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

     

     

    Resposta a um jornalista homofóbico de Joinville: um beijo é sempre um beijo




    O candidato Leonel Camasão, cujo vídeo de campanha causou reação de jornalista catarinense

    O candidato a prefeito de Joinville pelo PSOL, meu companheiro Leonel Camasão, decidiu incluir um beijo gay no horário eleitoral. Algumas pessoas podem ver isso como uma provocação —necessária — mas eu vejo, principalmente, como um ato pedagógico. Leonel teve a coragem de aproveitar os poucos segundos que ele tem na televisão para dizer aos habitantes de Joinville que ele vai governar para todos e todas, inclusive para as minorias historicamente injuriadas. Leonel teve a coragem de dizer que o governo dele vai ser inclusivo e que ele não vai aceitar qualquer forma de racismo, seja por gênero, cor da pele, sexualidade ou o que for.

    Ele usou esses poucos segundos, também, para levar à televisão o que a própria televisão, por falta de coragem, invisibiliza: o afeto entre iguais. Quem ainda é ou já foi um menino, menina, ou adolescente LGBT sabe muito bem o que significa viver num mundo que te trata como invisível. Heterossexuais existem nos desenhos animados, na novela, no cinema, nos seriados, nas músicas, na publicidade, nas histórias que são contadas pelos pais, pelos professores, e até nos exemplos de orações, para analisar sintaticamente nas aulas de português. Há uma fase na vida de toda criança LGBT em que ela acha que é a única do mundo. A família, os amigos, e os colegas também vivem nesse mundo em que nós somos invisíveis. Como poderiam nos entender?

    A política deve cumprir essa função pedagógica. O que Leonel Camasão (Orgulho de você, companheiro!) disse para os habitantes de Joinville foi: Eu vou governar para todos e todas, não vou invisibilizar, esconder ou me esquecer de nenhum de vocês. E ele disse, ao mesmo tempo: Eu não me envergonho de dizer que vou governar, também, para a população LGBT da minha cidade. E mais: ele se posicionou claramente, num contexto político de crescimento ameaçador do fundamentalismo religioso na política, do lado daqueles que defendem o Estado laico, a liberdade e a igualdade. O PSOL é isso: um partido que tem lado e que não tem vergonha de mostrá-lo.

    Leonel fez tudo isso através de uma imagem de alto conteúdo simbólico, numa campanha que, de modo geral, cansa, de tão vazia: “Eu sou fulano, 235443, vote em mim”; “Eu sou fulano, filho de sicrano, 235443, vote em mim”; “Eu sou fulano, o candidato de Mengano, 235443, vote em mim”. Leonel tem poucos segundos, mas decidiu preenchê-los de conteúdo. Não vote em mim porque eu sou fulano, filho de sicrano, apoiado por mengano. Vote em mim porque eu defendo estas ideias e valores.

    Essa atitude corajosa, porém, foi recebida com gravíssimos insultos numa incrível coluna assinada por João Francisco da Silva, editor-chefe do Jornal da Cidade.

    “Nojento aquele beijo gay exibido no programa eleitoral do Leonel Camasão, do PSOL. Tão asqueroso quanto alguém defecar em público ou assoar o nariz à mesa. Gostaria de saber qual a necessidade de exibir suas preferências sexuais em público? Para mim isso é tara, psicopatia. No mínimo falta de decoro. E a “figura” quer ser prefeito e se diz jornalista”, escreveu Da Silva.

    Não vou responder às baixarias, que só qualificam seu autor. Apenas quero apontar para o fato de que chamar um beijo de “nojento”, comparar um ato de amor com “defecar em público” é algo que somente uma pessoa gravemente doente ou perversamente má poderia fazer. Mas, por trás da grosseria, do mal gosto e da falta de eduçação do jornalista, há um pano de fundo que acho, sim, importante analisar: a ideia de que nós, gays e lésbicas, deveríamos voltar aos armários, viver escondidos e nos envergonharmos de nós mesmos. O racismo que volta vestido com outras roupagens, mas não deixa de ser racismo.

    “Qual é a necessidade de exibir suas preferências sexuais em público?”, pergunta-se o jornalista.

    Ora, a resposta é óbvia e qualquer pessoa deveria ser capaz de respondê-la: é a mesma necessidade que todo o mundo tem! Heterossexuais se beijam na rua, no cinema, no restaurante, na boate, em todos os lugares que quiserem. Andam de mãos dadas, tiram as férias juntos e se hospedam no mesmo quarto, apresentam seus parceiros ou parceiras aos colegas de trabalho, à família, aos amigos, aos vizinhos, mudam o status de “solteiro” para “em um relacionamento sério” ou “casado” no Facebook, são representados na novela e nos filmes — e neles tem beijos, tem cenas sensuais, tem sexo, tem brigas de casal, tem reconciliações, tem infidelidades, tem amor à primeira vista, tem ciúmes, tem paixão. Heterossexuais namoram até nos contos infantis.

    Qual é a necessidade dos heterossexuais de exibir suas preferências sexuais em público? A mesma que a de todo o mundo! O problema está na maneira em que algumas pessoas ignorantes, preconceituosas e doentes de ódio nos enxergam. É a mesma maneira em que os racistas enxergam os negros. É a mesma maneira em que os antissemitas enxergam os judeus. É assim que os “João Francisco da Silva” da vida nos veem. E é através desse prisma embaçado, sujo, que a visão deles se distorce, e quando eles veem um beijo, não conseguem ver um beijo, mas alguma outra coisa que está, apenas, na mente deles.

    Quando duas mulheres que se amam se beijam, quando um homem e uma mulher que se amam se beijam, quando dois homens que se amam se beijam, é sempre um beijo. Um beijo é sempre um beijo! E quando dois homens andam de mãos dadas, quando duas mulheres almoçam juntas em um restaurante, quando um gay apresenta seu namorado para os amigos, quando uma lésbica tira férias com a namorada dela, quando um casal do mesmo sexo vai ao cinema e se beija durante o filme, eles não estão “se exibindo”. Eles  estão, apenas, vivendo suas vidas. Como todo o mundo.

    Como disse a cantora — e minha grande amiga — Zélia Duncan, em depoimento gravado para a campanha pelo casamento civil igualitário no Brasil: “Qualquer argumento contra o amor é um argumento vazio. É preconceito. E o preconceito é filho da ignorância e irmão da violência”.

    Veja o vídeo que motivou o comentário do jornalista em http://www.youtube.com/watch?v=xEQRKeRzfkM&feature=player_embedded

     

     

    Fonte: jeanwyllys.com.br

     

     



    Categoria: CRÔNICA
    Escrito por ligeirinho45 às 21h48
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

     

     

    Primeira convenção de games do público LGBT, GaymerCon acontecerá em 2013

    Gamehall 

    Voltado para o público LGBT, feira de games nasceu de contribuições no Kickstarter (Foto: Divulgação)Voltado para o público LGBT, feira de games nasceu de contribuições no Kickstarter (Foto: Divulgação)
    San Francisco, nos Estados Unidos, sediará a primeira convenção de games voltada ao publico LGBT em 2013. A Gaymercon, como é chamada a feira, acontecerá em 3 e 4 de agosto de 2013.

    O evento foi financiado pelo público, após menos de uma semana angariando fundos no site Kickstarter. A intenção dos organizadores era de levantar US$ 25 mil, mas com mais de 1.500 doações, a Gaymercon obteve a quantia de US$ 91.389. Entre seus apoiadores, está o serviço Xbox Live, da Microsoft.

    Com o dinheiro do Kickstarter, a Gaymercon promete arrumar um espaço bem localizado, levar bandas geeks e, claro, muitos consoles para jogar.

    Entre os brindes das contribuições, os organizadores ofereceram recompensas como agradecimento no site oficial (a partir de US$ 1) até espaço para divulgação da marca nos estandes, por US$ 6.464.

    Para saber mais sobre a Gaymercon, visite a página oficial
    http://gaymercon.org/
    Fonte: Gay1

     

     



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 16h06
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Advogados discutem em São Paulo aspectos da criminalização da homofobia

    Criminalização da homofobia é tema de encontro em SP

    O Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual (Gadvs) vai realizar em São Paulo no próximo dia 26, uma quarta feira, a partir das 19h, um debate com a participação de Paulo Roberto Iotti Vecchiatti e Marcelo Gerald, dois dos nomes mais participativos do movimento LGBT brasileiro atualmente.

    Os dois vão falar sobre “Os aspectos legais e políticos da criminalização da homofobia”, fazendo uma análise desde os termos do projeto de lei atualmente em discussão, o PLC 122/06, os argumentos contrários e falando ainda da tramitação, oposição e perspectivas da proposta no Congresso Nacional.

    O debate tem entrada gratuita e será realizado na sede do Sindicato dos Advogados de São Paulo (SASP), que fica na Rua da Abolição, 167 – Bixiga. Mais informações no site www.gadvs.com.br.

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 15h59
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    POLÊMICA

    SC: beijo gay em horário eleitoral causa polêmica em Joinville
    Exibição de beijo gay em programa do Psol trouxe o assunto para o debate, como queria o candidato do partido. Foto: Reprodução

    Exibição de beijo gay em programa do Psol trouxe o assunto para o debate, como queria o candidato do partido
    Foto: Reprodução


    Se na televisão brasileira o beijo gay ainda representa um tabu, o programa de um candidato a prefeito de Joinville, maior cidade de Santa Catarina, derrubou essa barreira em seu horário eleitoral. Mostrando um beijo entre dois homens, Leonel Camasão (Psol) marcou posição pelo respeito à diversidade e trouxe o assunto para o centro da campanha eleitoral, causando reação em setores conservadores da cidade.

    Veja o cenário eleitoral nas capitais 
    Veja quanto ganham os prefeitos e vereadores nas capitais brasileiras

    "O Psol tem na cidade uma trajetória na questão LGBT, muitos filiados do partido participam do movimento. Como já existia essa peça publicitária, que foi utilizada na campanha do Plínio para presidente, em 2010, nós decidimos reaproveitar essa peça", afirmou Camasão.

    A veiculação do material nos pouco mais de dois minutos de programa do Psol ganhou projeção e não ficou restrita ao horário eleitoral. "Não esperava a repercussão que está tendo no momento, inclusive o ataque que a gente recebeu do Jornal da Cidade, um jornal local do município, o que ampliou ainda mais a repercussão do caso. Um ataque gratuito levou isso para outro patamar. estou surpreso, mas ao mesmo tempo estou feliz, porque mostrar o beijo gay no horário eleitoral é justamente para promover o debate e a gente está fazendo com que as pessoas parem pra pensa nessa questão".

    O ataque a que o candidato do Psol se refere partiu do editor-chefe do jornal, João Franciso da Silva, em sua coluna no periódico. "Nojento aquele beijo gay exibido no programa eleitoral do Leonel Camasão, do PSOL. Tão asqueroso quanto alguém defecar em público ou assoar o nariz à mesa. Gostaria de saber qual a necessidade de exibir suas preferências sexuais em público? Para mim isso é tara, psicopatia. No mínimo falta de decoro. E a "figura" quer ser prefeito e se diz jornalista", escreveu o editor.

    Reagindo à publicação, Camasão e o Psol acionaram a Justiça contra o jornal e o jornalista em questão. "Já protocolamos o direito de resposta e ainda não teve uma decisão do juiz. Eu pessoalmente vou entrar contra o jornalista e contra o jornal por calúnia e difamação, porque ele não só faz a comparação mas me faz ofensas pessoais e também por dano moral por questionar minha formação de jornalista", disse Camasão.

    "Vamos esperar que a Justiça diga quem tem razão. Sou o editor do jornal , o beijo gay é uma coisa asquerosa. Não somos contra gay, não somos homofóbicos, mas se tivesse um sujeito cagando de porta aberta, um casal hétero fazendo sexo na sala da tua casa, o que tu ia achar?", respondeu João Francisco da Silva .

    Segundo o editor, seu posicionamento está de acordo com os valores defendidos por seu jornal. "Eu faço jornal pra um grupo social dominante, com valores dominantes, mas com aceitação das minorias sejam de cotas, de gays, de negros, mas tem que defender valores éticos, familiares, estéticos. (O beijo gay) fere meu senso estético. Eu tenho amigos gays, dois dos colunistas do jornal são gays assumidos, são meus amigos, agora aquilo ali vou combater o resto da minha vida. A Globo vem discutindo o beijo gay na novela há três anos e até hoje não colocou no ar. Por que será?", questiona o jornalista.

    Candidato manterá programa no ar
    Não foram somente ataques e críticas que Camasão recebeu por veicular o beijo gay em seu programa eleitoral. Em carta, o deputado federal Jean Willis (Psol) manifestou apoiou à iniciativa de seu companheiro de partido. "Algumas pessoas podem ver isso como uma provocação - necessária - mas eu vejo, principalmente, como um ato pedagógico. Leonel teve a coragem de aproveitar os poucos segundos que ele tem na televisão para dizer aos habitantes de Joinville que ele vai governar para todos e todas, inclusive para as minorias historicamente injuriadas. Leonel teve a coragem de dizer que o governo dele vai ser inclusivo e que ele não vai aceitar qualquer forma de racismo, seja por gênero, cor da pele, sexualidade ou o que for", escreveu o parlamentar.

    "O espírito da nossa campanha é diferente de verdade. A gente está trabalhando com temas polêmicos e com novas ideias para a cidade para estimular o debate, então a repercussão eleitoral disso nos votos ela foi analisada, mas não é o elemento principal. Nós não vamos tirar o comercial do ar como medo de perder votos. A gente sabe vai causar uma rejeição, principalmente numa parcela mais conservadora, mas estamos enfrentando a batalha de peito aberto, na expectativa de fazer o debate acontecer e trabalhar para que no futuro a gente tenha uma cidade menos conservadora, onde as pessoas tenham mais liberdade, possam ser felizes, não precisem ser apontadas ou xingadas no jornal por um simples ato de demonstração de afeto", finalizou Camasão.

    Fonte: Terra



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 15h46
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Médico é punido por receitar remédio de castração a paciente gay na Austrália

     

    Médico é punido por receitar remédio de castração a paciente gay na Austrália

    Quando se pensa que já aconteceu de tudo, eis que um médico australiano, membro de uma seita religiosa, perde sua licença após prescrever um tratamento de castração química a um jovem que queria se "curar" da homossexualidade.

    O fato aconteceu em 2008. Mark Christopher James Craddock, 75, receitou acetato de ciproterona ao paciente, que não teve sua identidade revelada. O medicamento provoca baixa na libido e é utilizado em tratamentos contra o câncer de próstata.

    Em audiência, realizada no mês passado, Craddock confirmou às autoridades médicas que não submeteu seu paciente a exames clínicos e que não falou dos efeitos colaterais do tratamento, como a impotência.

    O médico foi considerado culpado e perdeu o direito de praticar a medicina.

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 15h43
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Reino Unido:

    Homofóbicos querem ter direito a não atender casais gays

    Cristãos apelaram à Corte Europeia de Direitos Humanos. Para eles, obrigá-los a atender gays é desrespeitar a fé particular

    Lillian LadeleDois cristãos homofóbicos entraram com processo na Corte Europeia de Direitos Humanos para ter o direito a não atender casais homossexuais. De acordo com eles, não permitir essa escolha é discriminação contra preceitos de fé (olhe o nível do argumento!).

    Gary McFarlaneLillian Ladele, que celebra uniões civis, se recusou a prestar serviços a casais gays. Gary McFarlane é conselheiro de casais. Ambos foram demitidos por terem essa postura e agora querem ser reintegrados.

     

     

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h44
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Evento encerra no domingo, com Parada da Diversidade, na av. Beira-Mar.

    Semana da Diversidade tem início nesta terça-feira em Florianópolis

    Durante o período, serão recolhidas assinaturas para criação de Estatuto. 

    Parada, que atrai turistas de todo o Brasil, reuniu 120 mil pessoas em 2011 (Foto: Divulgação)Parada, que atrai turistas de todo o Brasil, reuniu 120 mil pessoas em 2011 (Foto: Divulgação)




















    Iniciam nesta terça-feira (4) as atividades da Semana da Diversidade de Florianópolis. Na programação estão previstos apresentações artísticas, entrega de prêmios, debates sobre adoção por casais do mesmo sexo e o tema 'gênero', uma feira cultural e jogos. Durante os seis dias de evento, a instituição organizadora recolherá assinaturas para apresentação, ao Congresso Nacional, de um projeto de lei para criação do Estatuto da Diversidade Sexual.

    O objetivo da proposta é assegurar direitos à população LGBT e criminalizar a homofobia. Ao final da Semana, no domingo (9), será realizada a 7ª Parada da Diversidade, na avenida Beira-Mar Norte. A marcha, que terá como tema 'Amar é um direito de todos', inicia às 14h e contará com a apresentação de shows.

    De acordo com a Associação dos Empreendedores LGBT de Santa Catarina, instituição não-governamental e sem fins lucrativos organizadora do evento, Florianópolis é uma cidade receptiva ao público de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais e conta com lei que criminaliza a homofobia. Ainda segundo a Associação, o evento é atrativo para turistas de várias regiões do Brasil e movimenta a economia de Florianópolis.

    Confira abaixo a programação da Semana da Diversidade:

    Terça-feira - 4 de setembro
    20h - Teatro da União Beneficente Recreativa Operária (UBRO) - Abertura oficial do evento com entrega de prêmios para personalidades e empresas apoiadoras da Semana, além de apresentações artísticas.

    Quarta-feira - 5 de setembro
    20h - Teatro da UBRO - Debate sobre o tema 'família' e apresentação artística. Presença de casais do mesmo sexo que participaram de processo de adoção, psicóloga e comissão da diversidade sexual da OAB-SC.

    Quinta-feira - 6 de setembro
    20h - Teatro da UBRO - Debate sobre o tema 'gênero', com a presença de Júh Asth e Maitê Schneider, transexuais masculino e feminino com grande expressão na mídia, ADEH (Associação para Defesa dos Direitos Humanos com enfoque na sexualidade), psicóloga e advogada. Também haverá apresentação artística.

    Sexta - 7 de setembro
    14h às 21h - Praça Portugal (trapiche da avenida Beira Mar) - Feira Cultural da Diversidade com exposições e manifestações artísticas, música e praça de alimentação. A intenção da feira é reunir as pessoas no espaço público para um momento de lazer, descontração e cultura.

    Sábado - 8 de setembro
    9h às 18h - CEFID/UDESC - Jogos da diversidade, com objetivo de reunir atletas não profissionais para competir entre si em diversas modalidades.

    Domingo - 9 de setembro
    14h - Avenida Beira Mar Norte - Parada da Diversidade.
    Fonte: Gay1



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 22h43
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    ABGLT pede que Folha de Pernambuco retire do ar anúncio homofóbico

    Militância protesta contra anúncio de Pernambuco

    A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) também não deixou passar em branco a publicação do polêmico anúncio em Pernambuco (saiba mais aqui). Em ofício (veja abaixo) enviado ao Ministério Público Federal (MPF), a entidade solicita a imediata retirada do anúncio do site da “Folha de Pernambuco” e direito de resposta. O jornal pernambucano já se retratou da publicação do anúncio.

    Ofício PR 124/2012 (TR/dh) Curitiba, 04 de setembro de 2012
    Ao:         Exmo. Sr. Aurélio Virgílio Veiga Rios
    Procurador Federal dos Direitos do Cidadão
    Procuradoria-Geral da República
    Ministério Público Federal
    Assunto: Solicitação de providências cabíveis – anúncios discriminatórios

    Senhor Procurador,

    A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – ABGLT – fundada em 31 de janeiro de 1995, é uma entidade de abrangência nacional com 257 organizações afiliadas e tem como objetivo a defesa e promoção da cidadania desses segmentos da população. A ABGLT também é atuante internacionalmente e tem status consultivo junto ao Conselho Econômico e Social da Organização das Nações Unidas. A missão da ABGLT é Promover ações que garantam a cidadania e os direitos humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, contribuindo para a construção de uma sociedade democrática, na qual nenhuma pessoa seja submetida a quaisquer formas de discriminação, coerção e violência, em razão de suas orientações sexuais e identidades de gênero.

    Neste sentido recebemos na data de hoje diversas denúncias sobre anúncio publicado na Folha de Pernambuco na segunda-feira dia 3 de setembro de 2012, conforme anexado a este e-mail, atribuído por este veículo de comunicação ao “Instituto Pró Vida-PE”. No entanto o mesmo material e mais outros parecidos também constam no site do Grupo Javé Nossa Justiça http://www.javenossajustica.com.br.

    O anúncio afirma que Pernambuco não quer “homossexualismo” e faz a associação a crimes como “exploração sexual de menores” e “pedofilia”. Basta trocar a palavra “homossexual” por “negro” ou “judeu”, por exemplo, para perceber que o anúncio é altamente ofensivo e discriminatório, ferindo frontalmente a Constituição Federal.

    Assim sendo, vimos por meio deste solicitar a tomada de providências por parte do Ministério Público, e entre elas gostaríamos de sugerir:

    •             a imediata retirada dos banners do site acima referido;
    •             igual espaço na forma de direito de resposta no jornal Folha de Pernambuco;
    •             que o Grupo Javé Nossa Justiça e o Instituto Pró Vida-PE sejam investigados por incentivo ao preconceito, à discriminação, à violência e a assassinatos contra a população homossexual.

    Na expectativa de sermos atendidos, estamos à disposição para colaborar.
    Atenciosamente
    Toni Reis - Presidente

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 18h58
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Turismo pernambucano rebate campanha homofóbica e reforça seu caráter friendly

    Turismo de Recife gonga campanha homofóbica

    O Recife Convention & Visitors Bureau, que cuida do Turismo da capital pernambucana, rebateu a campanha homofóbica do Fórum Pernambucano Permanente Pró Vida (FPPPV) que apregoa não querer o homossexual no Estado. A entidade lançou uma campanha deixando bem claro que Recife e Pernambuco querem sim o turista gay. Confira a mensagem do Convention:

    “O público LGBT é super bem-vindo e respeitado na capital pernambucana. O anúncio veiculado em um jornal de grande circulação no Estado não reflete a realidade vivenciada pelos turistas que nos visitam. Somos reconhecidamente um destino friendly. Recife não compartilha com qualquer ato de homofobia. Inclusive este mês, no dia 16, teremos mais uma edição da Parada da Diversidade, uma das maiores do Brasil. E deixamos um recado para todas as cores, religiões, opções e diversidades: o Recife te quer sempre!”

    Fonte: mixbrasil



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 18h55
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Anúncio preconceituoso em jornais de PE gera polêmica em redes sociais

    Fonte: G1

    Instituto diz que campanha visava o combate ao turismo sexual (Foto: Carolina Vejarano / Acervo Pessoal)

    Liberdade de expressão. Foi assim que a organização religiosa Pró-Vida Pernambuco tentou justificar o anúncio publicitário que veiculou, gerando polêmica nas redes sociais nesta terça-feira (4). Publicado na edição de segunda (3) do jornal Folha de Pernambuco, o anúncio, pago pelo movimento religioso, comparava o "homossexualismo" (sic) com a pedofilia, turismo sexual e exploração de menores. Para fazer a comparação, o Pró-Vida aproveitou o slogan "Recife te quer", utilizado na valorização da capital pernambucana, transformando-o em "Pernambuco não te quer".

    Além do anúncio publicado na Folha de Pernambuco na segunda (3), o instituto publicou ainda um anúncio no Diário de Pernambuco de domingo (2), desta vez, contrário ao aborto. A publicidade foi elaborada pelo próprio instituto e, segundo seu presidente, Márcio Borba, visava o combate ao turismo sexual no estado.

    “A Constituição permite o direito à liberdade de expressão, pensamento, culto, religião e opinião. O Fórum Pró-Vida trabalha com o combate ao turismo sexual. Identificamos quatro atrativos que colocam a cidade como destino: pedofilia, prostituição, exploração sexual de menores e prática do homossexualismo. Veja que a prática do turismo sexual heterossexual se dá pela prostituição, e o homossexual se dá pelo homossexualismo. O que o Fórum está dizendo é que Pernambuco não quer nenhuma dessas práticas emissoras de turismo sexual", disse Márcio Borba.

    Segundo ele, recentemente, o Governo veiculou uma campanha turística voltada para o público gay. "A nosso ver, ela teve uma abordagem incorreta porque foi voltada especificamente para um segmento, chamando para a prática do homossexualismo. Fizemos três ofícios contrários, contamos com 1.391 assinaturas de pessoas que discordavam da forma como a estava sendo feita e não obtivemos resposta. Falei com o secretário de Turismo, e ele disse que não iria se pronunciar. Assim, a campanha saiu como está, a fim de questionar essa campanha que pretende transformar Pernambuco em um destino de turismo sexual, seja ele homossexual ou heterossexual. Sem discriminações por parte do fórum, apenas achamos que não precisa colocar o estado no mapa do turismo sexual do mundo", argumenta.

    Márcio Borba critica a repercussão que o anúncio gerou. "Achamos que foi pela intolerância do segmento homossexual em aceitar críticas. Isso é contraditório à tolerância que eles pedem da sociedade. Aos que têm nos procurado para discutir o tema, temos discutido com estudos, conceitos, numa forma de alto nível. Aos que têm procurado o fórum com agressões, nós fazemos uma só pergunta: tolerância, só com o homossexualismo? Para os cristãos que são contra, só perseguição?”, questiona.

    Campanha veiculada no Diário de Pernambuco de domingo (Foto: G1 Pernambuco)Campanha veiculada no Diário de Pernambuco de domingo
    (Foto: G1)

    Por outro lado, o editor geral da Folha de Pernambuco, Henrique Barbosa, admite o erro do veículo: “A gente reconhece que errou. Mas temos um histórico de convivência respeitosa com o movimento. Sempre nos pautamos por isso, sempre cobrimos as manifestações, nunca desrespeitamos grupo nenhum. Erramos e é lamentável. Não vai acontecer de novo”.

    A Folha publicou ainda uma nota, em sua página do Facebook e no perfil do Twitter, em que se retrata:

    “Com referência ao anúncio publicitário autorizado e pago pelo Instituto Pró-Vida PE, publicado na edição de segunda-feira, dia 3 de setembro, a Folha de Pernambuco afirma que o seu conteúdo de forma alguma reflete a opinião do Jornal. Ao longo dos seus 14 anos, a Folha vem construindo e mantendo uma relação de respeito junto aos seus leitores, focado na promoção dos direitos humanos, inclusive da comunidade LGBT, com quem o jornal mantém diálogo constante”.


    Ainda de acordo com a direção comercial do jornal, o veículo deve publicar também uma nota de esclarecimento na edição da quinta-feira (5).

    Por sua vez, o Diario de Pernambuco – que publicou o anúncio do Pró-Vida contrário ao aborto – informou que a publicidade passou pela aprovação do departamento jurídico da empresa, antes de ser impressa no jornal.

    Procurado pela reportagem do G1, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) não se pronunciou devido a uma paralisação de 24 horas realizada nesta terça-feira. 

    Prefeitura
    A Prefeitura do Recife enviou uma nota afirmando que "lamenta o anúncio publicado, que desrespeita frontalmente o público LGBT, apropriando-se indevidamente do conceito de uma marca construída pela gestão municipal ao longo dos últimos anos, o 'Recife Te Quer'".

    Na nota, a PCR reforça que o posicionamento da instituição responsável pelo anúncio não reflete a realidade dos turistas que visitam a capital pernambucana, reconhecida como um "destino friendly", e lembra que a Parada da Diversidade acontece no dia 16 deste mês, com apoio das secretarias municipais de Turismo e Direitos Humanos e Segurança Cidadã.



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 18h52
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    MISTER BRASIL DIVERSIDADE 2012

    Vote no seu candidato do Mister Brasil Diversidade; mais votado ficará entre finalistas

     

    Vote no seu candidato do Mister Brasil Diversidade; mais votado ficará entre finalistas

    Está chegando o dia em que o Mister Brasil Diversidade 2012 será escolhido. A grande final, com apresentação de Evandro Santo, acontece na próxima semana, segunda-feira (10), no Teatro Gazeta, em São Paulo.

    Enquanto isso, você pode escolher o seu candidato preferido. No total, são 22 rapazes de vários estados brasileiros. 

    Agora, pelo portal Vírgula, você pode escolher quem está preparado para levar o título de Mister. O mais votado garante uma vaga entre os cinco finalistas do concurso. Para votar, clique em http://virgula.uol.com.br/concurso/lifestyle/mbd-2012. A votação segue até às 18h do dia 10.


    Mister Brasil Diversidade
    10/09 - Segunda - 21h
    Local: Teatro Gazeta - Avenida Paulista, 900
    Preço: R$ 30
    Pontos de vendas:
    Bilheteria do teatro de terça a domingo das 14h às 20h - (11) 3253-4102
    Loja Fahr-o: Rua Vieira de Carvalho, 165, República - São Paulo - (11) 3361 8571

    Fonte: ACAPA



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 18h42
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Luana Piovani nega ser homofóbica: "Dom será um gay incrível, se for"

    Atriz discutiu com um seguidor a quem chamou de "bissona"

    Luana Piovani e filhoLuana Piovani se envolveu em um bate-boca com um seguidor de seu Twitter nesta segunda-feira (3). A atriz se desentendeu com um rapaz que disse que ela deveria admitir que não sabe atuar e o chamou de "uma bissona". Na sequência, foi acusada por ele de ser homofóbica, o que negou prontamente.

    "Que lindo sua homofobia, cuidado, mundo dá volta e seu filho pode virar uma bissona hein?", respondeu o rapaz. Luana foi rápida. "Mas ele [Dom] será um gay incrível, se for e não patso como você. O problema não é a opção, é a foto", disse a atriz, que criticou por diversas vezes o visual do rapaz.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 18h05
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    ELEIÇÕES 2012

     

     

    Uberlândia é a primeira cidade de Minas Gerais em candidatos GLBT

    Para Tânia Martins, do Grupo Shama, eleitores GLBT precisam se conscientizar na hora de voto

    Uberlândia é a cidade de Minas Gerais com o maior número de candidatos a vereador que declararam pertencer ao grupo de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais ou transgêneros (LGBTs). Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) indicam que o município tem cinco candidatos que utilizam a causa gay como bandeira nas eleições deste ano. No país, a cidade fica atrás somente de São Paulo, que tem dez candidatos, e de Salvador, com oito integrantes do grupo LGBT que concorrem a uma vaga no Legislativo.

    Na disputa por uma cadeira na Câmara Municipal de Uberlândia estão os gays Leandro Baronny (PRP) e Marquim do Shama (PC do B), a lésbica Odete Afonso de Castro (PMDB) e as travestis Pamela Volp (PSDB) e professora Sayonara (PSB). Na última eleição, em 2008, somente Odete Afonso havia se candidatado para defender os interesses do movimento LGBT.

    Em números proporcionais, considerando o dado do Censo 2010 de que Uberlândia tem 70 mil homossexuais e o número de eleitores da cidade, 444.656, o público LGBT votante – estimado 51 mil – poderia eleger três vereadores, caso todos votassem em candidatos LGBT.

    Para a secretária da Associação Homossexual de Ajuda Mútua (Grupo Shama), Tânia Martins, é importante que a classe tenha consciência do poder de voto. “O aumento no número de candidatos foi expressivo. Os eleitores LGBT precisam se politizar para escolher bons representantes”, afirmou.

    A união da classe não se aplica na política. Segundo Sayonara Nogueira, os candidatos pertencem a partidos de ideologias distintas, fato que inviabilizou uma aliança entre os cinco para a escolha de um nome que representasse o grupo. “Sou de um partido de esquerda. A Pâmela Volp e o Leandro Baronny, por exemplo, são de direita. Isso motivou a candidatura de cinco pessoas em prol dos interesses de um público comum”, disse a travesti.

    A maior visibilidade do público LGBT e a necessidade de um representante em processos decisórios são apontadas pelo cientista político João Batista Domingues Filho como alguns dos fatores que explicam o aumento do número de candidatos e um cargo no legislativo. “O público LGBT percebeu que, para ser reconhecido em uma democracia, é preciso ter representação política”, disse.

    Candidatos falam de suas propostas

    Nas propostas apresentadas pelos cinco candidatos do grupo LGBT ao cargo de vereador em Uberlândia estão contemplados interesses do público gay e da população em geral.

    Representante dos professores transexuais de Minas, Sayonara Nogueira afirmou que, além da bandeira GLBT, também vai atuar em prol da rede de educação estadual. “Como profissional da área, conheço as carências do setor”, disse.

    Precursora do envolvimento GLBT na política, a candidata Odete Afonso, funcionária pública municipal há 29 anos, também concorreu a uma vaga na Câmara em 2000 e em 2008. “Em 2008 fui a única a levantar a bandeira do movimento. Fico feliz por ter plantado uma ideia que está se multiplicando”, afirmou.

    Estreante no meio político, Leandro Baronny disse que é especulado há quatro eleições, mas somente agora recebeu o convite de um partido menor. “O PRP consegue eleger um vereador com menos votos, cerca de 2,3 mil. Acredito que é mais fácil”, disse.

    Militante da classe LGBT há 26 anos, a travesti Pamela Volp é candidata a vereadora pela primeira vez. Segundo ela, se houvesse acordo para a escolha de um único candidato, a chance de ter um representante na Câmara Municipal seria maior. “Com um nome o movimento poderia ser mais forte, mas a política também envolve vaidade e ideias divergentes”, afirmou.

    À frente do Grupo Shama durante vários anos, Marcos André Martins, cujo nome de urna é Marquim do Shama, afirma que somente agora se sente mais maduro para concorrer ao cargo de vereador. “Surgi dentro do movimento LGBT organizado. Pretendo defender causas das pessoas que ficam à margem da sociedade, como negros e portadores de HIV.”

    Candidaturas em âmbito nacional batem recorde

    O aumento no número de candidatos a vereador que utilizam a causa LGBT como bandeira também é percebido em âmbito nacional. Segundo a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), neste ano, o total é recorde no Brasil, com 144 concorrentes. Em 2008, a ABGLT registrou 79 candidatos. Para identificar o ideal na campanha, muitos dos LGBTs inseriram o 24 no número da candidatura.

    Com o objetivo de instruir o grupo e estimular o voto consciente, os homossexuais elaboraram a Cartilha LGBT para as eleições deste ano e a de 2014. Entre as orientações, estão recomendações como “não votar em candidatos de coligações que envolvam partidos que concentram a maioria de deputados homofóbicos”, “desconfiar das legendas com integrantes na Frente Parlamentar Evangélica”, “votar em candidato LGBT ou pró-LGBT”.

    Principais Propostas

    Leonardo Baronny (PRP)
    Implantar a 1ª Delegacia de Intolerância Homofóbica de Uberlândia
    Combater a homofobia
    Criar calendário de atividades voltadas ao público LGBT

    Marquim do Shama (PC do B)
    Criar um centro de referência de direitos humanos LGBT
    Incluir a Parada Gay no calendário oficial dos eventos de Uberlândia
    Criar uma lei municipal que puna cidadãos e empresas por atos discriminatórios por orientação sexual

    Odete Afonso (PMDB)
    Propor legislação que prevê cassação de alvará de estabelecimentos que discriminem público LGBT
    Identificação pela identidade de gênero com o nome social
    Prevenção da homofobia nas escolas

    Pâmela Volp (PSDB)
    Inclusão social de direitos e garantias específicas do público LGBT
    Assistência a grupos em situação de vulnerabilidade
    Garantir a utilização do nome social na rede municipal de saúde

    Professora Sayonara (PSB)
    Criação de um centro de referência de diversidade sexual
    Política de inclusão das travestis e transexuais nas escolas
    Criação de uma carteira de identidade social

    Fonte: Correio de Uberlândia

     

     



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 12h20
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Atletas enfrentam barreiras em dose dupla

    Nos Jogos Paralímpicos de Londres, só dois atletas são homossexuais assumidos

    Jogos Paralímpicos 2012Lee Pearson e Claire Harvey, ambos britânicos, são os dois únicos atletas homossexuais assumidos da Paralimpíada de Londres.

    Pearson, de 38 anos, nasceu com artrogripose múltipla congênita, uma doença rara que se caracteriza por múltiplas contraturas articulares. O praticante de hipismo levou medalhas nas últimas três edições do jogos e é favorito para levar mais um nessa.

    Ao jornal “The Telegraph”, o atleta disse: “Às vezes, eu sonho que eu tenho uma lindo corpo musculoso, mas eu não tenho escolha sobre minha deficiência, assim como eu não tem uma escolha sobre ser gay. Eu amo ser quem eu sou e certamente não tenho problema em ser gay.”

    Já Harvey teve sua perna direita incapacitada depois de um acidente de carro em 2008. Após dois anos, ela começou a praticar vôlei e está na briga por uma medalha paralímpica. Por muito tempo depois do meu acidente, minha vida toda e da vida da minha família eram sobre coisas que eu não poderia fazer mais. Mas quando eu conheci o estilo de vôlei sentado, minha vida passou a ser  sobre o que eu poderia fazer, apesar da minha deficiência e, de certa forma, por causa da minha deficiência”, disse a atleta à BBC.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 23h23
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Gay assumido, diretor da marca Burberry está de casamento marcado

    Além do casório, Christopher Bailey tem na agenda o desfile do Verão 2013 da Burberry na London Fashion Week, que também está marcada para setembro

    Christopher Bailey and Simon WoodsSegundo informação do jornal Daily Mail, o diretor criativo da marca britânica Burberry, Christopher Bailey e o ator Simon Woods estão com casamento marcado para o final do mês de setembro. Juntos desde 2009, o casal de 40 e 32 anos, respectivamente, está organizando uma cerimônia íntima para amigos e familiares em Londres.

    Simon Woods atuou com Keira Knightley e Matthew Macfadyen em “Orgulho e preconceito”, sucesso mundial em 2005. Com poucos trabalhos na telona, o loiro de olhos azuis é visto frequentemente ao lado do namorado, e futuro marido, em eventos de moda.

    Os dois foram vistos juntos em um cartório no distrito de Chelsea no início desta semana para dar entrada nas papeladas da união. Além do casório, Christopher Bailey tem na agenda o desfile do Verão 2013 da Burberry na London Fashion Week, que também está marcada para setembro. Mês agitado para o estilista!

    Curiosidade: Simon Woods é o segundo namorado de Christopher Bailey famoso. O designer teve um relacionamento com Geert Cloet, diretor criativo da Miu Miu, que morreu de câncer no cérebro quando ainda estavam juntos.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 23h22
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    Mato Grosso:

    Educação se transformou em arma contra preconceito

    Uma das maiores referências na luta pelo respeito e direitos dos travestis, Adriana Sales conta que ela, assim como as demais travestis, sofrem preconceitos e passam por situações constrangedoras desde o momento que acordam até quando vão dormir.

    No decorrer de sua formação enquanto sujeito, percebeu que não estava de acordo com os padrões que exigiam o grupo social, cultural, familiar em que se encontrava.

    Ela observa que se surpreendeu quando foi acusada de aberração devido aos trejeitos, comportamento e identidade. Adriana era considerada subversiva e diziam que, daquela maneira, sendo uma travesti, não poderia viver numa sociedade considerada “correta” e “normal”.

    “Enveredei-me, então, pelos estudos, que neste momento se apresentava como único caminho para entrar no embate dessa discussão, a de compreender o sujeito travesti e sobreviver nos grupos que sempre tiveram aversão a mim”, destaca.

    Foi nesse processo, que começou a compreender a importância de algumas instituições sociais e culturais e o que elas representam para a formação humana. “Elegi a escola como foco de meus olhares, minha vida profissional e minha paixão”, diz.

    Nessas etapas da vida, Adriana teve contato com o movimento social organizado de travestis e transexuais através de encontros nacionais e regionais promovidos e organizados pela Articulação Nacional de Travestis e Transexuais, a ANTRA, da qual faz da nova diretoria (2012 a 2014).

    Hoje, Adriana Sales é uma das diretoras da Rede TransEduc, uma organização de Travestis e Transexuais profissionais da Educação de todo o país, que tem mais de 80 filiados. Também é vice-diretora da Associação de Travestis e Transexuais de Mato Grosso.

    Fonte: Mundo Alternativo



    Categoria: NOTÍCIAS
    Escrito por ligeirinho45 às 23h21
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Gays, evangélicos e o direito à igualdade num Estado laico

    Gays, evangélicos e o direito à igualdade num Estado laico
     Um deputado federal e pastor evangélico fez um chamado no mês de julho de 2012 a todas as denominações evangélicas do Brasil para que se unam contra a criminalização da homofobia e criticou as decisões do Supremo Tribunal Federal “de esquerda” a favor de “tudo que não presta”, incluída aí a “união estável homoafetiva”.

    O pastor está longe de ser o único a fazer manifestações públicas dessa natureza: basta fazer uma busca em alguns sites fundamentalistas na internet, assistir a determinados programas de televisão e ouvir discursos proferidos por certos parlamentares evangélicos.

    Fico me perguntando por que tanto desprezo, tanto ódio, tanta agressão, tanto amedrontamento infundado dos fiéis, tanto anúncio da “catástrofe” por vir que representaria a proteção jurídica dos direitos humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT), e tanta perseguição até contra pessoas que não são LGBT, mas que têm manifestado seu apoio à causa da diversidade, vide alguns ataques que já se iniciaram nestas eleições. Onde está o espírito do cristianismo exemplificado e pregado pelo próprio Cristo? O que aconteceu com o mandamento pregado por ele: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”?

    A homofobia é pecado, assim como o racismo. Vejam, por analogia, o relato de Tiago: “Todavia, se estais cumprindo a lei real segundo a escritura de amar ao teu próximo como a ti mesmo, fazeis bem. Mas se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, sendo por isso condenados pela lei como transgressores”. E também em Atos: “Então Pedro, tomando a palavra, disse: ‘Na verdade, reconheço que Deus não faz acepção de pessoas’”. Mesmo que fôssemos utilizar argumentos de livros sagrados, o que não é o caso, está havendo – sim – acepção da comunidade LGBT.

    Querer marginalizar segmentos da sociedade em nome de uma suposta verdade é uma prática perigosa, e também um erro no sentido original da palavra pecar (errar o alvo). A esse respeito é impossível não fazer um paralelo com o extermínio nazista de todas as pessoas que – segundo o dogma deles – também “não prestavam”. O resultado disso foi o holocausto. O paralelo também se espelha em seguir de modo incondicional, cegamente e sem senso crítico, as pregações dos líderes fundamentalistas, até se chegar ao caos irreversível, o verdadeiro inferno na terra: o holocausto, no caso do regime nazista; a intolerância e barbárie no caso do islamismo fundamentalista, por exemplo. Seria imperdoável a religião – no caso, o fundamentalismo evangélico no Brasil – errar mais uma vez.

    Os protestantes/evangélicos já sofreram muito no Brasil e em outros países católicos, chegando a ser uma minoria perseguida. Por que então perseguir outra minoria por causa de sua condição sexual? Não se aprendeu nada da triste lição de ser objeto de preconceito, discriminação e até de morte por serem “hereges”, ou terem uma religião diferente da predominante? E é assim que as pessoas LGBT sofrem hoje por terem uma sexualidade diferente da convencionalmente aceita. Apenas como exemplo, na semana passada publicaram-se os resultados de mais uma pesquisa que apontou que 70% dos gays de São Paulo já sofreram agressão, verbal, física ou sexual.

    Temos plena consciência de que é um erro generalizar e sabemos – de primeira mão – que há muitas pessoas evangélicas que não seguem essas posições fundamentalistas homofóbicas e, sim, procuram respeitar a todos na profissão e no exercício de sua fé.

    Um exemplo é o bispo negro sul-africano Desmond Tutu, da igreja anglicana, ganhador do Prêmio Nobel da Paz, que tem se posicionado inúmeras vezes contra a prática de fazer acepção às pessoas LGBT: “Discriminar nossas irmãs e nossos irmãos que são lésbicas ou gays por motivo de sua orientação sexual é para mim tão totalmente inaceitável e injusto quanto o apartheid… Opor-se ao apartheid foi uma questão de justiça. Opor-se à discriminação contra as mulheres é uma questão de justiça. Opor-se à discriminação por orientação sexual é uma questão de justiça. É improvável que o Jesus a quem louvo colabore com aqueles que vilipendiam e perseguem uma minoria que já é oprimida” (tradução minha, fonte).

    Não queremos uma guerra santa ou uma guerra arco-íris, muito menos criar e impor uma “ditadura gay” ou um “império gay”. Não! Absolutamente! Não queremos ser excluídos das famílias e nem destruí-las, como se alega. Queremos ter a nossa vivência e construir a nossa família da nossa forma, em coexistência pacífica e harmoniosa com as já estabelecidas. A diversidade existe e isso há de ser reconhecido e respeitado. Uma sociedade se faz com toda a diversidade: “Quase sempre minorias criativas e dedicadas tornam o mundo melhor” (Martin Luther King). Não se deve discriminar ninguém, sejam tais parcelas sociais representativas de 0,25%, 25% ou 90% da população. Respeitar as minorias é dever de todos, como já diz o grande pacifista Gandhi: “Uma civilização é julgada pelo tratamento que dispensa às minorias”.

    Também há muitas pessoas LGBT que são cristãs e para as quais é dolorido serem tachadas de pecadoras e desviantes dentro do seio das igrejas, ao ponto de se sentirem excluídas e desistirem de frequentá-las. Nesse sentido, gostaria de citar o primeiro ministro do Reino Unido, David Cameron (Partido Conservador) em pronunciamento recente: “Eu sei que isso é muito complicado e difícil para todas as igrejas, mas acredito fortemente que as instituições devem redescobrir a questão da igualdade e as igrejas não devem ser oposição a pessoas que são gays, bissexuais ou a transgêneros, que também podem ser membros plenos das igrejas, assim como muitas pessoas com visões cristãs profundamente enraizadas são homossexuais”.

    A igualdade é uma das questões no cerne desse debate. O Brasil é um Estado laico – não há nenhuma religião oficial, as manifestações religiosas são respeitadas, mas não devem interferir nas decisões governamentais – e o país é regido por uma lei magna, a nossa Constituição Federal. A Constituição garante que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, e que não haverá discriminação. Por isso as proposições legislativas que visem a restringir nossos direitos se veem derrotadas uma a uma.

    No caso da população LGBT no Brasil, ainda não temos igualdade de direitos em todos os quesitos, e ainda sofremos muita discriminação. Os dados oficiais do governo federal para o ano 2011, obtidos através do módulo LGBT do serviço telefônico Disque-denúncia, revelam que houve 6.809 denúncias de violações de direitos humanos de pessoas LGBT, representando 18,6 violações por dia. As violências mais denunciadas são as de ordem psicológica (42,5%), por discriminação (22,3%) e a violência física (15,9%).

    Esse quadro, que inclui também o elevado número de assassinatos, se repete todos os anos no Brasil. Apesar disso, o Congresso Nacional tem sido omisso e em 11 anos não aprovou nenhuma proposição em resposta a essa situação. A omissão é mais um sinal de desrespeito aos preceitos constitucionais da igualdade, da não discriminação, da dignidade humana, entre outros e, acima de tudo, um sinal claro do desrespeito e da indiferença quanto à situação vivida pela população LGBT. Diante disso, não podemos mais ficar de braços cruzados e aceitar o descaso. Buscamos junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) a possibilidade do reconhecimento de nosso direito à proteção jurídica contra a violência e a discriminação homofóbica, como já existe em 58 países.

    Isso não é uma ameaça à liberdade de expressão, e nem à liberdade de crença. A nossa iniciativa não é um ataque frontal voltado para as igrejas. Defendemos intransigentemente essas liberdades, contanto que não sejam utilizadas como salvo-conduto para ataques à nossa cidadania, e nos defenderemos com todas as armas políticas e jurídicas disponíveis – incluídos aí o Ministério Público e o Judiciário, sempre.

    O mandado de injunção apresentado ao STF é uma tentativa de reverter o comprovado quadro de violência e discriminação que nós, cidadãs e cidadãos LGBT brasileiros, vivenciamos nos mais diversos campos, mas que – ao contrário do racismo, por exemplo – não é punido por legislação específica, de modo a incentivar e perpetuar a impunidade de quem pratica esses crimes.

    A decisão de 5 de maio de 2011 do STF em reconhecer a união estável homoafetiva foi uma afirmação da soberania da Constituição em nosso país e da indivisibilidade da igualdade dos direitos. Isso quer dizer que não há mais direitos para alguns setores da sociedade e menos para outros, mas que os direitos são iguais, ou pelo menos deveriam ser, no dia a dia da sociedade brasileira. Enquanto o Legislativo federal persiste em não reconhecer isso, a mais alta instância do Judiciário foi firme e unânime em fazer valer os preceitos constitucionais indiscriminadamente. Que o mesmo exemplo seja dado em relação à criminalização da homofobia.

    Fonte: Liberdade de Expressão



    Categoria: CRÔNICA
    Escrito por ligeirinho45 às 23h20
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    Homossexualidade e Solidão


    Uma das imagens mais trágicas da solidão moderna é aquela do idoso passeando pelas ruas apenas acompanhado pelo seu cachorrinho.

    "Como tenho pensado em ti,
    na solidão das noites úmidas/
    De névoa úmida/
    Na areia úmida..."
    Manuel Bandeira, in Estrela da Vida Inteira

    Ainda no início de 1980, o Grupo Somos de Libertação Homossexual promoveu um encontro e, dentro dele, uma oficina sobre homossexualidade e solidão. Chegamos a uma conclusão animadora para a época: A nossa solidão, a solidão dos gays masculinos é política. Falo "gays masculinos" por que as lésbicas participaram, sim, do Encontro, mas não dessa oficina  especificamente.Ou seja, na medida em que supostamente avançaríamos nas nossas conquistas e direitos, essa solidão tenderia a diminuir. Iria adquirir os mesmos contornos existencialistas da solidão de um heterossexual qualquer.   E, quem sabe nós, gays, com a força do nosso amor e desejo não iríamos ensinar toda a sociedade novos instrumentos de combate a essa dor tão doída chamada solidão. Dor muitas vezes medonha, como cantava o Ney Matogrosso.

    Quero aqui refletir apenas, levantar hipóteses junto com você.

    Eu ainda acredito que o reconhecimento legal da homossexualidade e a diminuição do preconceito trará benefícios e  afirmarão nossas amizades, amores e companhias. Mas, hoje, contraditoriamente, não é o que vejo. Estamos, cada vez mais, sós.

    Uma das imagens mais trágicas da solidão moderna era aquela do idoso passeando pelas ruas apenas acompanhado pelo seu cachorrinho. Essa fotografia já foi decantada por muitos poetas, inclusive pelo nosso Cazuza, em Só as Mães são Felizes. Eu lia muito sobre a Suíça, a Suécia e os países nórdicos a respeito de como haviam conseguido superar a maior parte dos problemas econômicos e oferecer às pessoas um invejável nível de vida financeiro e social. Mas eles não conseguiam acabar com isso, com a solidão dos seus habitantes, cada vez mais isolados em excelentes moradias, excelentes planos de saúde e aposentadorias, excelentes e exemplares democracias e, sós. Sós na excelência de seus animaizinhos de estimação. Não se comunicam com seus vizinhos e lá o céu quase sempre é cinza. Solidão pode ser também uma forma de acinzentar nossos corações. Ou mais, solidão é a conseqüência de termos já acinzentado nossos corações.

    Sim, bem sei que a solidão é um preço a se pagar pela nossa liberdade e autenticidade. Mas liberdade também é questionamento. Lembro-me de quando eu ainda era um menininho, sentava com minha mãe e ficávamos olhando as fotos dos belos artistas de fotonovelas italianas, na revista Grande Hotel. Editora Vecchi, fundada por italianos e forte concorrente da Abril,  dos Civita. Mas a Vecchi não existe mais, infelizmente. Naquela época, um artista era considerado belo pelo seu rosto. Quase ninguém comentava o corpo. O rosto, por ser o repositório das nossas emoções, me foi ensinado como um valor maior. Maior e definitivo.  O que carregava um rosto? Os olhos traduziam um universo, a gente tinha até que tomar cuidado ou poderíamos ver a alma do outro pelos olhos, ou revelar a nossa. Pela boca saíam palavras. E palavras apaixonam. Ainda tinham os ouvidos para ouvir tudo, inclusive nossas fofocas e nossos segredos, tinha o cérebro para criar e... felicidade suprema: tinha, no rosto, uma barba por fazer que me fascinava o roçar. Isso era o rosto.   O mesmo que, com o tempo, perdeu muito do seu valor, emoções saíram de moda e tornaram-se inconvenientes num prático mundo globalizado, internetizado;  preconceitos mais sutis (mais cruéis, também...) e que carrega uma contradição grave, pois com o avanço da Ciência e das descobertas medicinais nós vivemos mais, se vivemos mais envelhecemos mais e, na ausência das emoções acabamos sendo considerados descartáveis, algo mesmo para ser deixado de lado, segurando a corrente de um cachorrinho. O rosto, nossa foto na carteira de identidade, revelará nossas rugas e nossos cabelos brancos. Essas marcas lembrarão ao próximo que ali poderia existir alguém que um dia qualquer se emocionou e se emocionou muito, como emoções perderam o sentido e finalidade social, não queremos ver isso, nem admitir isso, seria uma possibilidade de uma existência plena, plena, portanto envolve riscos. E agora queremos viver sem riscos. Deixamos de envelhecer e de morrer, em reverência à sociedade de imagens.

    Mesmo entre os homossexuais, nos anos setenta não havia esse papo de ditadura da estética e o hedonismo exacerbado do culto ao corpo. Quando comentávamos entre nós da beleza de alguém estávamos nos referindo ao rosto. Para corroborar essa minha tese basta você alugar um filme pornô gay antigo e veja que os corpos não eram tão malhados como os de hoje e os tipos eram mais "comuns", do nosso dia-a-dia, um rosto belo tinha um enorme valor mesmo que viesse junto com um corpo não "perfeito". 

    Anos e anos se passaram e construímos "caixas" (seriam caixões, túmulos?) cujas paredes tem buraco, os famosos glory holes, onde tudo é bem simples: você coloca o valorizado pênis lá, ou o cu ou a boca. Agora, a boca não irá falar nesse lugar, irá chupar. Darks rooms não seriam os túmulos das emoções? Mutuamente não se vê o rosto (muito menos as emoções, podem ocorrer alguns gemidos. Gemidos muito altos não são bem vindos), não se sabe o nome e muito menos o que pensa o sujeito da parede ao lado. Quando entramos em uma sala de sexo virtual não se fala mais, no apelido, se os olhos são pretos, castanhos ou verdes. Mas o tamanho do pau ou se somos "passivos" ou "ativos". Não sei não, mas acho que alguém/muitos perdeu/perderam muita coisa nessa... 

    Mas voltando à fotografia do idoso com o seu cachorrinho, já tão batida pelos poetas, os fotógrafos da alma; o que eu fui vendo foi que o tal gay "idoso" foi sendo gradualmente substituído por outros cada vez mais jovens. E cada vez mais individuais, rostos fechados.  De quantos e quantos gays eu ouvi a triste declaração de que "preferem confiar num animal do que num ser humano". Ou "animais são leais e confiantes, nunca vão te trair". Etc. e etc. Conheci um homossexual que tinha sete gatos em sua casa. Só conseguia se comunicar com eles, pelos bichos ele tudo fazia, mas nunca havia namorado seriamente ninguém em sua vida. E, para não viver, para não sofrer riscos e nem se entregar, preferia amar os gatos. 

    Sempre morei no centro de São Paulo. Andava muito pela Av. São Luis, velhos com seus cachorrinhos e gatos. Ainda ando pela São Luis, hoje, jovens com seus cachorrinhos e gatos. Há ainda os que só amam as plantas. E meditam: "elas não mijam nem cagam fora do lugar...". Jovens homossexuais...

    Ok! A solidão é a condição humana. Nem sempre estar só é ruim, pode ser o contrário já que cada ser é único e extraordinário, rico em suas nuances e em sua existência. Mas ela não pode, jamais, ter sido provocada pelo medo. Medo da entrega, medo do outro, medo dos preconceitos, medo de amar e de viver.   Parece que quando mais deveríamos olhar o próximo, quando há luz, não olhamos e fazemos o nosso já tradicional "carão". Esperamos escurecer e aí procuramos olhar, mas sempre a região abaixo do pescoço. Ah, os óculos escuros, hoje, são mais um objeto de desejo...

    Agora, péra aí! Posso garantir a você que no dia em que a homofobia for criminalizada, no dia em que o Casamento Homossexual for aceito com naturalidade e respeito, no dia em que eu puder cantar um cara com um sorriso e até falar algumas bobagens no ouvido dele, em plena rua e sem que isso signifique um risco de morte para mim, como não é para qualquer machão hétero, posso te garantir que vou me sentir muito melhor na minha "existencial" solidão. Portanto, a solidão dos gays, a despeito dos trinta anos passados daquela oficina do Grupo Somos, continua política. E é pela política que poderemos mudar algo. Se bem que olharmos o rosto do outro de cabeça erguida e trocar algumas palavras com ele deixando um pouco as defesas de lado pode ajudar um tanto. Ainda há fogo sob as cinzas e ainda há muita poesia até nos olhos daquele que se esconde atrás dos óculos escuros. A gente vai ter que insistir, procurar. Mas será altamente recompensador.

    Fonte: Nossos Tons



    Categoria: CRÔNICA
    Escrito por ligeirinho45 às 23h17
    [] [envie esta mensagem] []



     
     

    .

    A ÂNSIA PELA MASCULINIDADE

    Ricardo Rocha Aguieiras

    Os preconceitos e a baixa estima fazem mais estragos que podemos imaginar, alguns muito sutis. Um deles é a busca e valorização do masculino no nosso mundo atual. Nunca entendi muito bem isso, por que acho que masculinidade ou feminilidade nada tem a ver com o caráter de alguém, são meras características, como ter pestanas longas ou cabelos castanhos. E acho ainda que esse binômio não engloba toda a riqueza humana, já que tem momentos em que podemos ser mais “masculinos” e outros sermos mais “femininos”, não é uma dualidade, muito menos um contraponto. Sinto dizer, mas essa busca têm tudo a ver com o machismo e a heteronormalidade.

    Vou relatar algumas coisas que já ouvi, senti e vivi.

    Muitos jovens gays se sentem atraídos por homens mais velhos, não apenas por uma mera preferência pessoal, mas por que acreditam piamente que o tal coroa é mais másculo do que os gays da mesma idade. Tenho um amigo formado e pós graduado, mestre em comunicações, que fala isso. O que me deixa perplexo por que ele não percebe o quanto é frágil o seu raciocínio, ou seja, acreditar que a idade traria mais masculinidade a uma pessoa, apenas pela… idade. E pensar que, caso isso ocorra, seria um ganho, algo bom. Por que, para o mundo dos homens, é bom ser macho.

    A idade nos traz muita coisa, boas ou ruins, mas não deixamos de ser o que éramos na nossa juventude, não mudamos simplesmente por que somos mais velhos. Isso é um mito.

    Vou contar um caso que considero absurdo, mas ilustrativo do que falo. Tive um namoro que durou muito pouco com um rapaz bem mais jovem. Quando ele me conheceu  disse para mim: “Você é tudo o que eu sonho e procuro”. O tempo passou e eu percebi que na verdade ele procurava um pai, um protetor. Até aí, tudo bem, isso não é um problema em si, já que todos e todas procuramos algo em quem amamos, algo que justifique o nosso amor e não tem nada de errado jogarmos algumas fantasias nossas nessas buscas, desde que entendamos que é uma fantasia e não uma coisa que nos move sem saber para onde. Mas um dia, no carro, ele, esse meu namorado, estava dirigindo e eu tive a “infeliz” ideia de colocar minha cabeça em seu ombro. Ele se retraiu de tal forma, como se eu tivesse feito algo horrível. Perguntei o que houve e ele me disse que “ele tinha o direito de colocar a cabeça em meu ombro, não eu no dele. Por que eu é que era o protetor, ali, eu era o coroa, o mais velho…”. Bom, entenderam por que durou muito pouco?

    Nego-me a pensar que precisam existir relações de poder no amor. Eu, mesmo sendo “o mais velho”, posso também ter momentos em que vou precisar de ajuda, proteção e guarida do meu companheiro, mesmo ele sendo “o mais novo”. Vejo como uma troca. Ser mais velho não me dá mais poder sobre o outro e amor tem que ser uma relação de igualdade, não uma nova forma de opressão. Exceto, claro, quando é algo discutido, consensual e que faça parte de uma fantasia, não é disso que eu falo aqui. Nem estou julgando acordos explícitos ou não, declarados e discutidos ou subjetivos nos casais que conheci, para mim basta que sejam felizes em suas diretrizes. Mas acho, sim, que tudo tem uma explicação, um motivo. Inclusive o nosso Desejo, apesar deste ser um rei e reis não carecerem de compreensão.

    Não acho que é à toa essa busca tão ansiosa pela masculinidade, pelo másculo, pelo viril. Acho que isso é uma construção do mundo heteronormativo, heterossexista, mundo esse que necessita muito da relação “opressor x oprimido”. Acabamos, nós gays, ficando sem opções, já que ou podemos ser muito masculinos, ou femininos – estes últimos em condição de inferioridade, sempre. Não é uma mera reprodução do comportamento heterossexual, Homem versus mulher? Temos mesmo que fazer esse jogo sem refletir, como se fosse algo sem saída? Onde entra aí a tal “diversidade” que tanto falamos? Toda a construção atual do imaginário gay está calcada nisso, atualmente. E isso é sufocante! Corpos cheios de músculos, por que músculo representa o homem e a masculinidade, gays que treinam uma voz grave , mesmo que artificial e, se pudessem, colocariam pinos em seus punhos para nunca mais desmunhecarem.

    E desmunhecar deveria ser algo lindo, mesmo entre os homens heterossexuais. A fragilidade teria que ser entendida como algo importante, belo, pois nos dá a dimensão humana, pela fragilidade eu conquisto a força. E, sem perceber, ao aceitarmos tudo isso, ao aceitarmos a masculinidade imposta como “o normal”; ao pensarmos erroneamente que temos que nos adaptar a esses conceitos, estamos é alimentando a infelicidade e a opressão. Conheci gays femininos que mudaram radicalmente suas vidas só para refletirem esse ideal: horas na academia, injeções de testosterona – já que esta vem das bolas do saco e saco “só homem têm “ – que acabaram com seus fígados, roupas “mais discretas”, mais “sérias”, braços duros ao longo do corpo, não demonstração de afeto, tudo para ser mais homem, mais másculo, mais viril, mais discreto, mais cool, mais frio… tudo isso para serem mais felizes, neste mundo de homens. Eu pergunto: conseguiram? Ou, de noite, ao acenderem a luz do banheiro para escovarem seus dentes – sem rebolar, por favor!! – e verem suas imagens refletidas no espelho: São mais felizes?

    Ser mais aceito no conceito de normatividade é ser mais respeitado? Ou o legal mesmo seria você ser respeitado como você é,  em toda a sua autenticidade? Chegará ao ponto de que não saibamos mais quem somos , de tanto nos moldarmos ao olhar do próximo e ao que consideram como o “correto”? Sim, eu, infelizmente, conheci gente assim, que não sabiam mais onde se encontrava o seu verdadeiro eu, lá na academia e na boate tá cheio de gente assim…

    Não consigo deixar de achar tudo isso extremamente dolorido. E que passa ao largo do que poderia ser uma realmente transgressora luta homossexual.

     

     

    Fonte: Todos Iguais



    Categoria: CRÔNICA
    Escrito por ligeirinho45 às 23h16
    [] [envie esta mensagem] []




    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]